ELEIÇÕES

Ratinho Júnior deve ampliar alianças para 2022

Ratinho Jr: novas adesões
Ratinho Jr: novas adesões (Foto: Franklin de Freitas)

O governador Ratinho Júnior (PSD) deve ampliar, em 2022, as alianças partidárias na busca pela reeleição para o cargo. Com a força do cargo e da “caneta”, Ratinho Jr tende a atrair mais partidos para a coligação governista do que a que o levou ao Palácio Iguaçu em 2018. Tanto que legendas que há três anos foram adversárias do atual governador, já sinalizam apoiá-lo, mesmo faltando quase um ano e quatro meses para a disputa.

Em 2018, Ratinho Jr se elegeu no primeiro turno com uma coligação que reunia nove siglas: além do seu PSD, PSC, PRB, PR, PPS, PV, PHS, AVANTE e Podemos. Na época, ele foi beneficiado pela desistência, na última hora, do ex-senador Osmar Dias em disputar o Palácio Iguaçu pelo PDT.

Para o ano que vem, o governador já larga com a promessa de apoio de sua principal adversária há 3 anos: a ex-governadora Cida Borguetti, do PP, que concorreu à reeleição na época com uma coligação de oito partidos. Além de sua própria legenda, ela teve o apoio na ocasião do PSDB do ex-governador Beto Richa, além de PSB, PTB, DEM, PROS, PMN e PMB.

No início do mês, porém, o PP de Cida e de seu marido, o líder do governo Bolsonaro na Câmara Federal, deputado Ricardo Barros, anunciaram a intenção de apoiar a reeleição do atual governador, em troca da indicação do vice ou de umas das vagas para o Senado. Cida Borghetti, por sua vez, informou que não pretende disputar a eleição para nenhum cargo, preferindo dedicar-se à uma das diretorias da Itaipu Binacional para a qual foi recentemente nomeada por Bolsonaro.

Ratinho Jr, alías, é aliado de Bolsonaro e deve apoiar a reeleição do presidente ou ficar neutro na disputa. Com isso, pode atrair legendas que gravitam na órbita do presidente, como o PSL e o Patriota. Em 2018, o governador declarou voto a Bolsonaro no segundo turno.

Retribuição

Além do PP, outra sigla que deve se integrar à aliança governista é a do Democratas, partido do prefeito de Curitiba, Rafael Greca, que em 2018 apoiou Cida Borghetti para o governo. Greca já anunciou que retribuiria a Ratinho Jr a apoio dado à sua reeleição na Capital em 2020. A pedido do governador, três pré-candidatos expressivos se retiraram da disputa: o deputado federal Ney Leprevost, do PSD, partido do governador; o deputado federal e ex-prefeito de Pinhais, Luizão Goulart (Repub) e o ex-prefeito e deputado federal Luciano Ducci (PSB), abrindo caminho para a reeleição do prefeito no primeiro turno. Além disso, o ex-prefeito e deputado federal Gustavo Fruet (PDT) – isolado – desistiu de concorrer alegando falta de recursos para a campanha, esvaziando a oposição.

Outras legendas que apoiaram Cida Borghetti em 2018 tendem a ir com Ratinho Jr desta vez, como o PROS, que já integra a base do governador na Assembleia Legislativa.