Publicidade
Política em Debate

Recusa

Recusa

A direção da Associação dos Municípios do Paraná (AMP) emitiu nota repudiando a decisão do governo federal de adiar o repasse dos R$ 2 bilhões de auxílio financeiro que seria feito às 5,5 mil prefeituras brasileiras, no final de ano. O adiamento foi confirmado no último dia 28 pela Casa Civil da Presidência da República, segundo a qual os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles e do Planejamento, Dyogo Oliveira se recusam a assinar a Medida Provisória autorizando o repasse dos recursos porque querem criar um Programa Especial de Auxílio aos Municípios.

Prejuízo
De acordo com a Casa Civil, este programa ainda deverá ser aprovado pelo Congresso, o que significa que os recursos só deverão ser liberados aos municípios em fevereiro ou março de 2018. Segundo a AMP, isto prejudica o planejamento das prefeituras, que contavam com os recursos até o final de ano. Os municípios do Paraná devem receber R$ 135,92 milhões.

Palavra
A AMP condenou a decisão do governo porque o próprio presidente Michel Temer, havia se comprometido duas vezes a repassar os recursos em reunião com representantes dos municípios. O governo não teve palavra e isso causou problemas para os municípios, que haviam feito um planejamento de gestão para pagar suas contas neste final de ano, disse o presidente da AMP e prefeito de Assis Chateubriand, Marcel Micheletto (PSDB).

Visionários
Pré-candidato à Presidência da República, o senador Alvaro Dias (Podemos) começou o ano em alta nas previsões de videntes citados em reportagem do jornal Folha de São Paulo de ontem. Dois deles apostam que Alvaro vencerá a disputa. Ambos são da região Sul.

Favorito
Cigano Iago, catarinense disse, ao Floripa em Foco da TV Floripa que Dias provavelmente vence. Já Carlinhos Vidente, natural de Apucarana (Norte do Estado) previu a vitória do senador do Paraná no programa regional gaúcho Masbah! e repetiu a informação no programa policial Tolerância Zero! de uma emissora de TV do Sergipe.

Onda
Deputados estaduais se dizem impressionados com a onda favorável ao pré-candidato à Presidência, deputado Jair Bolsonaro (PSC/RJ), no interior do Paraná. Segundo eles, o entusiasmo é grande, principalmente, entre o eleitorado mais jovem e de menor escolaridade. Já em relação ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), haveria um alto grau de rejeição.

Na gaveta
Nos bastidores da política paranaense, a maioria não acredita que a direção nacional do PMDB cumprirá a ameaça de expulsar o senador Roberto Requião – provável candidato à reeleição – do partido. O processo contra o paranaense foi aberto em agosto, pelo presidente nacional em exercício e senador Romero Jucá (RO). Na mesma época, o partido também abriu processo contra a senadora e ex-ministra da Agricultura, Kátia Abreu (TO). O processo contra Requião não andou.

Aliados
Requião contaria com o apoio de outros senadores peemedebistas próximos ao PT, como Renan Calheiros (PE) e o presidente do Senado, Eunício Oliveira (CE). Ambos já anunciaram a intenção de promover coligações com os petistas, que também têm em Requião um aliado.

Publicidade