Publicidade
Cotidiano

Reduto de abonados, Punta del Este celebra virada à beira-mar ou na montanha

PUNTA DEL ESTE, URUGUAI (FOLHAPRESS) - A água do mar é bem mais fria que a nossa. Em compensação, o sol costuma brilhar até as 21h. Ao despedir-se, deixa um rastro de cores intensas no céu que não se vê nas praias do Brasil.

O vento fresco é um convite para apreciar vinhos e espumantes à beira-mar. É um lugar tanto para quem procura praias quanto para quem planeja conhecer vinícolas.

Localizada numa das regiões mais desenvolvidas do Uruguai, o Departamento de Maldonado, Punta del Este ocupa uma estreita faixa de areia entre o Atlântico e o rio da Prata. Nesta época do ano, transforma-se numa espécie de clube seleto de uruguaios, argentinos e brasileiros que ali se instalam para curtir o verão sem choro na hora de passar o cartão.

Na estreia de temporada, o balneário renova-se: bares, restaurantes, cafés, lojas de grifes famosas, galerias de arte e baladas pipocam por todos os cantos.

É justamente essa gama de opções sofisticadas, aliada à sensação de segurança, que justifica a viagem até lá, costumam dizer os forasteiros.

O cardápio segue eclético na areia. Há praias para diferentes estilos: das mais calminhas, ideais para ir com as crianças, às agitadas, procuradas sobretudo pelas galeras do kitesurf e do surfe.

Antiga vila de pescadores, famosa pelo seu farol de 1877, José Ignacio preserva uma particularidade: a de mesclar o rústico com o chique.

Com praias mais tranquilas (algumas delas até desertas), bares e restaurantes pé na areia, fica a cerca de 30 km de Punta, acessível por uma agradável rodovia costeira.

Dono de uma atmosfera que lembra a das cidades interioranas do Uruguai, o premiado restaurante La Huella converteu-se em uma vitrine para o visitante se aclimatar ao cenário dos descolados.

Um dos drinques mais requisitados deste momento ensolarado é o que leva gim,  suco de limão e óleo de Cannabis - no Uruguai é legal -, ao preço aproximado de R$ 40.

Conhecido como parador, nome dado aos uruguaios para restaurantes de praia, o espaço é o que melhor define o "lifestyle" de José Ignacio, dizem seus simpáticos funcionários vestidos de uniforme da marca francesa Lacoste - os mesmos que nos vão informar, com um sorriso no rosto, que para conseguir uma mesa ali é imprescindível fazer reserva bem antes.

Para a festa da virada, já está tudo ocupado em bares e restaurantes de José Ignacio. Mas isso não é um problema. Um dos Réveillons mais concorridos de Punta nem acontece à beira-mar: ocorre em um dos lugares mais altos da região, dono de bela vista para a cidade e para o campo: o Fasano Punta del Este 

(fasano.com.br).

No dia da virada, o jantar terá 26 opções de pratos, como ceviche de polvo ou queijos uruguaios (entradas), cordeiro ao forno ou fettuccini negro com lagosta (principais) e tiramisù ou mil-folhas de chocolate (sobremesas). Durante a festa, haverá um bufê de saladas frias e "finger foods".

Queima de fogos não pode faltar, é claro, assim como atrações circenses, mas o destaque ocorrerá durante a madrugada com o show do DJ israelense Guy Gerber. Os ingressos incluem jantar e festa. Custam US$ 800 (cerca de R$ 3.200) por pessoa.

Primeiro hotel da rede fora do Brasil, o Fasano Punta del Este situa-se a cerca de 20 minutos do balneário uruguaio. Ocupa uma área de 500 hectares de uma antiga fazenda em La Barra, lugar perto de tudo, porém sem a ferveção típica da região - La Barra é point de surfe e baladas sem hora certa para acabar.

O hotel é para quem procura conforto, luxo e sofisticação sem abrir mão do menu de atrações que existem em Punta e nos arredores. A praia fica a menos de meia hora dali, o mesmo tempo que se gasta para visitar uma vinícola.

O próprio Fasano trabalha com agências especializadas para conduzir seus hóspedes a esses ambientes. Um deles, por exemplo, é a Bodega Narbona, a cerca de 20 minutos do hotel - a filial de Punta é bem menor que a matriz de Carmelo, mas, sim, é possível comprar queijos, frios, doces, massas e, por favor, 

vinhos com preços palatáveis.

RÉVEILLON NO COPA

Em frente à praia que celebra a festa de Réveillon mais famosa do Brasil, o Copacabana Palace inicia sua festa da virada a partir das 20h desta segunda-feira (31).

Os jantares vão ocorrer no restaurante Cipriani - que tem à frente o premiado chef italiano Nello Cassese - com menu degustação, harmonizado com champanhe e vinhos; no Pérgula, o chef Filipe Rizzato traz um bufê que inclui grelhados; e os salões de festa Golden Room, Nobre e Frontais também farão parte do cenário da virada.

Champanhe, uísque, vodca e vinho estão incluídos na festa, que custa R$ 3.650 (belmond.com/pt-br).

Logo após a tradicional queima de fogos, a partir da 1h, quem comandará a festa na piscina, que terá uma pista de dança, será o DJ brasileiro Guga Weigert.

 

*O jornalista viajou a convite do Grupo Fasano

DESTAQUES DOS EDITORES