Publicidade
Bombas em igrejas

'Rei da pimenta' do Sri Lanka é detido após seus filhos serem apontados como homens-bomba

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Mohammad Yusuf Ibrahim é um dos mais ricos comerciantes de temperos do Sri Lanka. Ele construiu sua fortuna com a venda de pimenta, cravo e noz-moscada e vivia uma vida de luxo com sua família. Até que dois de seus filhos foram citados como suspeitos de serem homens-bomba.

Nesta quarta-feira (24), Ibrahim foi detido por conexão com os ataques que mataram mais de 350 pessoas em igrejas e hotéis no domingo de Páscoa (21). Outros integrantes de sua família também estão sob custódia, segundo informações obtidas pelo The New York Times e pela CNN.

A suspeita, relevada também pela agência Reuters, é de que dois dos filhos de Ibrahim participaram dos ataques e foram parte dos oito homens-bomba que realizaram explosões em igrejas e hotéis.

Há também a suspeita de que uma mulher que detonou explosivos quando a polícia se aproximava de uma casa, nos arredores de Colombo, era esposa de um dos filhos de Ibrahim.

Na quarta-feira, Ruwan Wijewarden, ministro da Defesa do Sri Lanka, deu mais detalhes sobre a origem dos terroristas, mas sem citar nomes, por temer que isso possa atrapalhar as investigações. 

"A maioria deles é bem-educada e veio de famílias de classe média e classe média alta, então são financeiramente independentes e suas famílias são financeiramente estáveis", afirmou Wijewarden.

"Há um fator preocupante nisso. Alguns deles estudaram no exterior, obtiveram diplomas de advogados etc."

O ministro disse que as investigações continuam para saber se os suspeitos receberam algum tipo de treinamento ou ajuda financeira do Estado Islâmico, que na terça (23) assumiu a autoria do atentado.

NOVAS SUSPEITAS DE BOMBAS

Nesta quinta-feira (25), houve temores de novos ataques a bomba no país. As autoridades do Sri Lanka isolaram o banco central do país, e a principal via que leva ao aeroporto da capital foi fechada brevemente devido a uma ameaça de bomba, nesta quinta-feira, quando mais pessoas foram detidas na busca pelos responsáveis pelo ataque do domingo. 

Dois funcionários do banco central disseram à Reuters que a rua diante do edifício, próxima do World Trade Center da capital Colombo, foi interditada para o tráfego antes de o alerta de segurança ser suspenso.

Em um sinal do clima de nervosismo na nação do oceano Índico, as autoridades também interditaram a via de acesso ao principal aeroporto de Colombo, depois que um veículo suspeito foi identificado em um estacionamento próximo. A estrada foi reaberta quando o alerta foi declarado um alarme falso.

Um porta-voz da polícia também disse que houve uma explosão ainda sem explicação em uma cidade a leste da capital, mas que não houve vítimas. Não foi uma detonação controlada, como outras dos últimos dias, e está sendo investigada.

A polícia disse que um egípcio e vários paquistaneses estão entre as pessoas detidas nesta madrugada, mas que não havia indícios imediatos de que as prisões têm relação direta com os ataques.

DESTAQUES DOS EDITORES