Publicidade
Esporte

Róger Guedes negocia com Shakhtar e se aproxima de saída do Atlético-MG

MARCUS ALVES E THIAGO FERNANDES

LISBOA, PORTUGAL, E BELO HORIZONTE, MG (UOL/FOLHAPRESS) - A saída de Róger Guedes do Atlético-MG é dada como praticamente selada. O jogador de 21 anos já avisou à cúpula do clube mineiro que dificilmente segue na Cidade do Galo e trabalha para definir o seu futuro ainda nesta semana.

Com ofertas na mesa, uma delas, em especial, é tratada com mais carinho: a do Shakhtar Donetsk, da Ucrânia. Emprestado ao Atlético pelo Palmeiras, com quem tem contrato até março de 2021, o atacante sonha em atuar no futebol europeu.

Conforme apurado pela reportagem, o seu nome é uma das prioridades dos ucranianos no mercado, especialmente após o clube ser comunicado que um de seus destaques, Taison, pretende mudar de ares ao fim da Copa do Mundo.

O homem de confiança de Tite está em Donetsk desde 2013 e pretende aproveitar a valorização com a ida à Rússia para seguir o caminho de seu companheiro Fred, que assinou com o Manchester United, da Inglaterra, e também se aventurar em um país com mais visibilidade.

A princípio, ele ouviu que, com "a proposta correta, existe conversa".

A eventual saída de Taison abriria uma lacuna ainda maior na beirada de campo no elenco do técnico Paulo Fonseca. Bernard, cujo contrato está se encerrando, não irá renovar e anunciou o seu adeus. Outra baixa na frente foi a do argentino Facundo Ferreyra.

Róger Guedes é uma alternativa para o Shakhtar preencher esta lacuna e concretizar, assim, a volta por cima do atacante, que quase foi devolvido pelo Atlético-MG ao Palmeiras no início do empréstimo.

NEGOCIAÇÃO COMPLEXO

Os cartolas ucranianos, no entanto, têm consciência de que não estão sozinhos na parada: Al-Wehda e Al Hilal, ambos da Arábia Saudita, os portugueses Benfica e Porto, além do Stuttgart, da Alemanha, também demonstraram interesse pelo jovem jogador.

Até o momento, as cifras giram ao redor de 7 milhões de euros (R$ 29 milhões).

O empresário Paulo Pitombeira, responsável por cuidar da carreira de Guedes, quer resolver o assunto com o presidente atleticano, Sérgio Sette Câmara, em Belo Horizonte até sexta-feira (22).

O Atlético-MG tenta manter o artilheiro do Brasileirão, com nove gols, pelo menos até dezembro. A chance é classificada como remota para não dizer nula.

O negócio é tido como complexo por envolver diversas frentes: o Palmeiras, que detém 25% dos direitos econômicos, mas possui a última palavra sobre o seu futuro e exige um valor mínimo para liberá-lo; o Criciúma, que manteve os outros 75%; e, claro, o próprio atleta e seus representantes.

Do outro lado da mesa, defendendo o Shakhtar, está o agente franco-argelino Franck Henouda, que fechou a compra da revelação palmeirense Fernando na semana passada. O empresário atua em sintonia com o novo diretor esportivo do clube, o português José Boto, contratado junto ao Benfica para a próxima temporada. Boto defendia a ida de Guedes para Lisboa.

Henouda é figura conhecida nos bastidores e foi um dos principais responsáveis pela legião de brasileiros que ficou famosa em Donetsk.

No aguardo de uma decisão, Róger Guedes já definiu que sua prioridade é se transferir para a Europa.

DESTAQUES DOS EDITORES