Publicidade
Esportes

Roger indica Palmeiras sem surpresas para dérbi e pede atenção com Romero

LEANDRO MIRANDA SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O técnico Roger Machado não quis confirmar a escalação do Palmeiras para o clássico deste sábado (24) contra o Corinthians, pelo Campeonato Paulista, mas deu a entender que o time que começará jogando em Itaquera será o mesmo que treinou como titular durante a semana na Academia de Futebol. A tendência é que a equipe inicie com Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Thiago Martins e Michel Bastos; Felipe Melo, Tchê Tchê e Lucas Lima; Willian, Borja e Dudu. "Não foge muito do que vocês viram até agora, até porque hoje (sexta-feira) vou trabalhar a estratégia defensiva de bola parada, uma ou outra coisa. É só um polimento. Nesse último dia, não se muda muita coisa", disse o treinador. A principal mudança é a volta de Borja, que ficou de fora do empate sem gols com a Ponte Preta na última rodada por dores no joelho. Com o retorno do colombiano ao comando do ataque, Willian volta a atuar como ponta, enquanto Guerra perde a vaga entre os titulares. Do outro lado, Fábio Carille optou por abrir a equipe do Corinthians que começará jogando: Cássio; Fagner, Balbuena, Henrique e Maycon; Gabriel e Renê Júnior; Jadson, Rodriguinho e Clayson; Romero. A maior novidade é a presença de Romero como centroavante, onde ele não costuma jogar. Roger disse que a mobilidade do paraguaio é um ponto a se prestar atenção no dérbi. "Me preocupo com a força coletiva da minha equipe, mas claro que faço pontuais ajustes dependendo da escalação e do posicionamento (do adversário), da característica do jogador que atua em determinado setor. Centroavante com jogador mais móvel requer um pouco mais de atenção, principalmente dos dois zagueiros", afirmou. "Esses pequenos ajustes, por vezes, não se consegue fazer no treinamento, mas se faz conversando bastante. Se eu for basear meu treinamento só no adversário, eu vou ter que ficar mudando de um dia para o outro. Mas pontuais ajustes, sim, é necessário fazer", completou o treinador alviverde. MICHEL BASTOS O técnico palmeirense também explicou os motivos que fizeram Victor Luís perder a posição para Michel Bastos na lateral esquerda. Segundo o comandante, o camisa 15 oferece mais opções de passe e construção de jogo para Dudu na ponta esquerda do que o concorrente, cujo jogo é mais baseado na força física e na intensidade. "Neste momento, eu quero com o Michel mudar a característica da função. O Victor é um jogador de força, que ataca a profundidade em jogada de tempo, e o Michel faz jogo apoiado, diferente do Victor. Quero um equilíbrio um pouco maior dos dois lados do campo", explicou. "A ideia com o Michel é ter um jogo mais apoiado. O Lucas Lima gosta de jogar mais do meio para o lado direito, o Tchê Tchê tem facilidade para jogar dos dois lados, e quando tínhamos a bola o Dudu não tinha a companhia para criar jogadas". Além da disputa entre Michel e Victor, o Palmeiras ainda tem Diogo Barbosa. Contratado do Cruzeiro para ser titular, o lateral torceu o tornozelo ainda na pré-temporada e não fez sua estreia com a camisa alviverde até o momento.
Publicidade