Publicidade

Assembleia suspende votação de projeto que extingue mil cargos

O deputado Valdir Rossoni, presidente da Assembleia Legislativa, acatou a Questão de Ordem apresentada ontem (15) pelo deputado Ênio Verri (PT) questionando o fato de não ter sido convocado para a reunião da Comissão de Finanças, ocorrida no dia 8 de outubro, que analisou o projeto do governo que pretende extinguir mil cargos comissionados.

Rossoni argumentou que Verri extrapolou o prazo de três dias regimentais para recorrer da decisão da comissão, mas assim mesmo encaminhou ofício pedindo explicações ao presidente da Comissão de Finanças, deputado Jonas Guimarães.

A mensagem em questão foi votada em primeira discussão na terça-feira, quando é analisada a constitucionalidade da matéria, mas, por determinação do presidente, foi retirada da pauta da Sessão Plenária desta quarta-feira, até que a questão levantada por Verri seja esclarecida.

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano (PSDB), admitiu hoje que a votação em primeira discussão do projeto que extingue 1 mil cargos comissionados pode ser anulada. Ele reconheceu que a Comissão de Finanças errou ao não convocar oficialmente, por escrito, seus membros, para votar parecer sobre a proposta.

A questão de ordem foi levantada ontem pelo deputado Ênio Verri (PT), que é membro da comissão e disse não ter sido avisado sobre a reunião. Por conta disso, o presidente da Assembleia, deputado Valdir Rossoni (PSDB), retirou o projeto de pauta e pediu explicações à comissão.

Houve uma falha processual na tramitação, confirmou Traiano, que porém, considerou desnecessária a realização de nova votação em primeira discussão. Não vejo razão para isso. Mas se for necessário não vejo problema de fazer outra votação, afirmou.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES