Publicidade
Música

Samsung vai incluir Spotify em novos aparelhos, incluindo assistente doméstico

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Samsung anunciou nesta quinta-feira (9), em Nova York, uma parceria de longo prazo com o aplicativo de músicas Spotify, o que inclui o Galaxy Home, novo concorrente do HomePod, assistente doméstico da Apple.

A empresa contou a novidade durante a apresentação do novo smartphone da empresa, o Galaxy Note 9, que tem lançamento previsto para o dia 24 de agosto nos Estados Unidos.

A parceria com o Spotify deve aparecer em todos os dispositivos inteligentes da Samsung a partir de agora: celulares, TVs, caixas de som e geladeira. O aplicativo de músicas estará nas configurações dos aparelhos da Samsung para que os usuários desfrutem de uma integração doméstica com dispositivos da marca.

Basicamente, será possível ouvir músicas e podcasts tanto no celular como na geladeira.

Ainda não está claro se as pessoas que não assinam Spotify terão algum tipo de facilidade ou desconto.

Uma das novidades do Galaxy Note 9 é que a S-Pen, caneta do celular, agora funciona com conectividade Bluetooth. Outro destaque é que usuários do Samsung Galaxy terão conteúdo exclusivo do Fortnite, fenômeno entre os jogos on-line, desenvolvido pela Epic Games, que deve rodar em Android.

O smartphone premium terá duas versões, uma de US$ 1 mil e outra US$ 1,25 mil. Ainda não há data prevista para a comercialização no Brasil.

QUEDA NAS VENDAS

Pela primeira vez em sete trimestres, a Samsung registrou queda no seu lucro devido à queda de venda de celulares. O lucro operacional de aparelhos móveis caiu para 2,67 trilhões de won (R$ 9 bilhões), ante quatro trilhões de won (R$ 13,4 bilhões) em relação ao mesmo período do ano passado.

As vendas do smartphone Galaxy S9, linha de luxo da companhia, foram mais mornas do que o esperado. Apesar disso, a sul-coreana tem projeções otimistas para o segundo semestre deste ano.

A empresa afirmou que investirá no mercado de memória e em painéis OLED flexíveis. Entre as grandes empresas de tecnologia, os papéis da Samsung apresentaram o pior desempenho este ano.

A empresa ainda é líder no mercado de smartphones (detém mais de 20%), no entanto seu protagonismo é ameaçado por rivais chineses, como Huwaei e Xiaomi, que apostam em modelos mais baratos.

Há poucos dias, a Huawei ultrapassou a Apple e se tornou a segunda maior vendedora de smartphones do mundo, embora não consiga entrar no mercado americano.

A Apple, por sua vez, teve um desempenho positivo no último balanço, e parte disso foi graças ao às vendas do iPhone X, seu modelo mais caro de celular. A receita cresceu em 17% ante os resultados do período em 2017.

Para competir e esquentar as vendas, Samsung e Apple ofertam celulares mais caros, capazes de aumentar os lucros. Especialistas, no entanto, apontam para a ameaça da China, já que as empresas estão conseguindo melhorar o hardware e manter o preço baixo.

DESTAQUES DOS EDITORES