Anticovid

Saúde também convoca idosos para dose de reforço no sábado

Saúde vacina os acima de 70 anos, adolescentes e imunossuprimidos
Saúde vacina os acima de 70 anos, adolescentes e imunossuprimidos (Foto: Luiz Costa/SMCS)

Um novo grupo de moradores de Curitiba poderá receber a dose de reforço da vacina anticovid neste sábado. Serão contemplados idosos com mais de 70 anos que completaram o ciclo de imunização até o dia 6 de abril. São aqueles que já atingiram 180 dias ou mais da data de aplicação da segunda dose. O atendimento será feito em 33 pontos de vacinação das 8 às 17h.

Também poderão receber a dose de reforço neste sábado pessoas imunossuprimidas que completaram a imunização até o dia 4 de setmbro, ou seja, já completaram 28 dias ou mais da segunda dose. Serão atendidos, transplantados de órgão sólido em uso de imunossupressor, transplantados de medula óssea, pessoas vivendo com HIV/Aids, pessoas em tratamento de quimioterapia e outras condições de imunossupressão.

Todos que fazem parte desse público estão sendo convocados por mensagem pelo aplicativo Saúde Já, que deverá ser apresentada na hora da vacinação.

Convocação

Quem faz parte desses grupos deve acessar o aplicativo Saúde Já. Ao realizar o acesso aparecerá, a partir de hoje, uma mensagem de “pop-up” com o comunicado de que aquele usuário está sendo convocado. Quem for convocado e não conseguir comparecer deverá aguardar nova data de convocação para dose reforço que dependerá de chegada de vacinas.

Idosos que não receberam a mensagem de convocação pelo Saúde Já ainda não estão no prazo indicado para receber a dose de reforço neste momento.

Adolescentes

No sábado também haverá o início da vacinação dos adolescentes sem comorbidades. Poderão receber a primeira dose da vacina anticovid os nascidos entre 2 de outubro de 2003 até o dia 31 de dezembro de 2005.

Pessoas que já completaram 18 anos podem receber a vacina durante a repescagem contínua nos pontos de vacinação da cidade em outras datas, durante a semana – inclusive aquelas que completam 18 anos até amanhã podem comparecer na repescagem contínua na data do seu aniversário durante a semana.

Paraná espera primeiro lote destinado a doses de reforço de trabalhadores da saúde

O Ministério da Saúde confirmou o envio de 176.670 vacinas contra a Covid-19 da Pfizer/BioNTech para o Paraná, sendo 146.250 para dose reforço (DR) de trabalhadores da saúde que tenham tomado a segunda dose (D2) ou dose única (DU) até 31 de março; e 30.420 para DR de idosos acima de 60 anos que tenham finalizado o esquema vacinal também até 31 de março.

Os imunizantes fazem parte da 55ª pauta de distribuição do Ministério da Saúde e devem incluir ainda, 137.200 vacinas da AstraZeneca/Fiocruz para completar 100% da D2 da 30ª pauta (90.200 doses) e 59% de D2 da 31ª pauta (47 mil doses). Ao todo, o Paraná receberá 313.870 vacinas contra a doença. As doses ainda não têm data confirmada para envio, mas devem chegar ao Estado ainda nesta semana.

“O Ministério da Saúde já havia sinalizado o interesse em incluir idosos acima de 60 anos e trabalhadores da saúde na dose reforço e agora tivemos a oficialização dessa recomendação que é muito bem recebida aqui no Paraná. Estes grupos estão mais suscetíveis à contaminação pela doença e por isso há necessidade de reforçar a imunização”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

No Brasil, atraso na segunda dose está em 11%, diz boletim da Fiocruz

A Fundação Oswaldo Cruz lançou ontem o primeiro Boletim VigiVac, que acompanha o cumprimento do esquema vacinal proposto contra a Covid-19. Dessa forma, é verificada a efetividade das vacinas utilizadas pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) no Brasil.

Os primeiros resultados, feitos com base nos dados lançados até o dia 15 de setembro, mostram que a taxa de atraso nacional para todas as vacinas é de 11%, sendo de 15% para a Astrazeneca, 33% para a CoronaVac e 1% para a Pfizer-BioNTech. A Fiocruz ressalta, no entanto, que a vacinação com o imunizante da Pfizer começou apenas em maio e que a quantidade de indivíduos em possível atraso ainda é pequena.

Para a AstraZeneca e a Pfizer, foram considerados 84 dias de intervalo para a segunda dose, e para a CoronaVac o prazo é 28 dias. O painel leva em conta os indivíduos que tomaram a primeira dose e que ainda não tomaram a segunda. A situação de atraso é caracterizada após 14 dias da data prevista para a segunda injeção.
Em um recorte estadual, o Ceará tem a maior proporção de pessoas em atraso para a segunda dose, com 33%, e o Rio Grande do Norte tem a menor proporção, com 5,4%.