Publicidade
Copa 2018

Segundo mais equilibrado em sete edições, Mundial "quebra" bolões

FÁBIO TAKAHASHI E LEONARDO DIEGUES

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Não é só impressão de quem está apostando nas seleções tradicionais nos bolões e vem ficando para trás.

Este início de Copa na Rússia é o que teve mais tropeços das favoritas desde 2010, quando foi disputado na África do Sul.

A Folha de S.Paulo analisou todos os jogos de primeira fase de Copas em que uma seleção tinha ao menos dez posições acima da adversária no ranking da Fifa, no início da competição (o ranking é atualizado ao menos uma vez por ano).

Se o time favorito (com melhor ranking) empatou ou perdeu, foi considerado como resultado inesperado -apontando o equilíbrio na Copa.

Com esse critério, em cinco partidas nesta primeira rodada no torneio na Rússia a equipe pior ranqueada tirou pontos do favorito.

Na série desde 1994 (primeira Copa com ranking disponível), o Mundial da Rússia só teve menos "zebras" do que no torneio de 2010.

Pode ser considerada zebra em 2018, por exemplo, a derrota da atual campeã Alemanha (1ª) para o México (15º).

Outro resultado que mostra o equilíbrio do torneio foi o empate da vice-campeã em 2014 Argentina (5ª) com a Islândia (22ª), que disputa sua primeira Copa.

Na Copa de 2010, algumas das "zebras" foram Portugal 0x0 Costa do Marfim e Itália 1x1 Paraguai.

A metodologia do ranking da Fifa, criado em 1993, prioriza os resultados dos últimos 12 meses das seleções. Ou seja, o desempenho histórico, a chamada "camisa" do time, pesa pouco.

Especialistas têm afirmado que os jogos de Mundial vem ficando mais equilibrados porque atualmente há mais informações disponíveis sobre todas as seleções.

Uma equipe com rendimento inferior pode treinar especificamente como parar a seleção favorita.

Outro fator que pode estar contribuindo é a melhora da eficiência para se defender de algumas seleções pior ranqueadas. É o caso, por exemplo, da Islândia, cuja posição média da maioria dos seus atletas ficou próximo à sua área, no empate com a Argentina.

Também foi o caso do México contra a Alemanha. Neste caso, porém, o time da América Central mostrou ter algumas jogadas para sair da defesa, tanto que balançou as redes e venceu.

Nas últimas Copas, outro fato marcante é que tem havido derrotas da seleção que defende o título. Neste ano, foi o caso da Alemanha. Em 2014, a Espanha foi derrotada pela Holanda (o placar também foi atípico, 6 a 0).

Em 2002, a França perdeu para Senegal no seu primeiro jogo e também não chegou a avançar para as oitavas.

Nesta quarta-feira (20), vem uma nova leva de partidas para testar o equilíbrio do Mundial, já pela segunda rodada.

Os três jogos contam com seleções em que há claramente um favorito, segundo o ranking da Fifa (Portugal contra Marrocos, Uruguai contra Arábia Saudita e Espanha contra Irã).

DESTAQUES DOS EDITORES