Publicidade
Política em Debate

Segurança

Segurança
(Foto: Divulgação)

Em reunião com moradores do bairro do Cajuru, ontem à noite, em Curitiba, o deputado estadual e pré-candidato ao governo do Estado, Ratinho Júnior (PSD), destacou seus planos para melhorar a segurança pública e combater a criminalidade. Ele lembrou os dados do Atlas da Violência e que apontam a cidade de Almirante Tamandaré (região  metropolitana de Curitiba) como uma das dez cidades mais violentas do País entre as com mais de 100 mil habitantes. “Sabemos que diferentes metodologias para medir os índices de violência são usadas. Mas o que importa mesmo é a sensação de segurança ofrerecida à população e hoje se perguntarmos para os parananenses, eles não se sentem seguros”, afirmou.

Muralha
Entre as propostas do pré-candidato do PSD está o projeto “Muralha”, que segundo ele, é um ““é um paredão tecnológico onde todo caminhão e carro será monitorado no seu trajeto de origem e destino”. No caso de suspeita ou identificaçãoo de crime, a policíca poderá interceptá-lo. Outro projeto, chamado “Olho Vivo”, consiste na instalação de centros de monitoramento regionais, seguijndo modelo já existente no centro integrado em Curitiba.

Ideias
Já o ex-senador e também pré-candidato ao governo, Osmar Dias (PDT) passou os últimos dias em sucessivas reuniões com técnicos para discutir ideias para seu plano de governo. Na segunda-feira, ouviu representantes de servidores da Receita Estadual, e das áreas de agricultura e segurança. Ontem foi a vez de representantes da área de logística, Sanepar e Copel.

Obviedade
Osmar ironizou o anúncio feito pela governadora Cida Borghetti (PP) – pré-candidata à reeleição – de que teria notificado as concessionárias do pedágio sobre o fim dos atuais contratos, em 2021. Para o pedetista, o anúncio só faria sentido se o governo estivesse cobrando das concessionárias a realização das obras de duplicação e melhoria das rodovias previstas nos contratos que não saíram do papel. Do contrário, informar o fim do contrato em 2021, na verdade, seria apenas reafirmar “o óbvio”. 

Rock in Rio
A vereadora Nanci Rafain Andreola (PDT), de Foz do Iguaçu (região Oeste), foi afastada do cargo ontem por quebra de decoro parlamentar. A resolução que prevê o afastamento foi aprovada por 14 votos em sessão na Câmara Municipal. A punição foi indicada pelo Conselho de Ética, que investigou uma denúncia apontando que Nanci apresentou um atestado para justificar a falta na sessão realizada um dia antes de viajar para o Rock in Rio, em setembro de 2017, sem ter comparecido ao médico.

Atestado
Em depoimento encaminhado por e-mail em maio, o médico Maxsuel Fidélis da Pádua Almeida afirmou que o atestado atribuído à autoria dele e apresentado pela vereadora é falso. O médico disse não conhecer Nanci, que soube da notícia pelos jornais e que não reconhece o documento, de uma clínica em Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). “Não confirmo a emissão do atestado, e ainda menciono que a letra e a assinatura do atestado não é minha”, declarou Almeida.

Diárias
O Ministério Público entrou com ação por improbidade administrativa contra o prefeito de Formosa do Oeste, Luiz Antonio Domingos de Aguiar (PSDB) e um ex-assessor especial. O prefeito é acusado de receber diárias de viagens entre 2017, com valores pagos a mais. Além disso, o ex-assessor, que acompanhou o prefeito recebeu adiantamentos para custear seus gastos. 

DESTAQUES DOS EDITORES