Na linha de frente

Servidores da FAS em Curitiba reivindicam prioridade na vacinação contra Covid-19

(Foto: Ricardo Marajó/SMCS)

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc) reivindicou nesta segunda (12) que os funcionários da Fundação de Assistência Social (FAS) sejam incluídos como prioridade na vacinação contra a Covid-19, devido ao alto de risco de contaminação, das dificuldades estruturais nos prédios e a falta de equipamentos de proteção individual (EPI) adequados. 

O Sismuc lembra ainda que nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e nos Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas) o fluxo de pessoas que buscam atendimento diariamente é alto. Segundo o sindicato, nas unidades de acolhimento a situação é ainda mais crítica, já que nesses espaços muitas vezes não há condições para manter o distanciamento e condições adequadas de higiene, já que faltam trabalhadores de limpeza e algumas vezes falta até água para lavar as mãos. As denúncias recebidas estão sendo encaminhadas para o Ministério Público do Trabalho (MPT).

Conforme denúncias recebidas pelo Sindicato, já ocorreram surtos de Covid-19 em ao menos três locais de atendimento da FAS. De acordo com o Sismuc, na última semana oito servidores foram afastados do Centro de Encaminhamento Social 24 horasm, seis do Centro POP Jardim Botânico, e outros quatro trabalhadores de um terceiro equipamento, por Covid-19. O sindicato aponta ainda que mesmo com os surtos, os prédios não passaram por sanitização, nem os colegas foram testados.

"O Sismuc lembra que o plano municipal de vacinação já imunizou os trabalhadores que atuam com idosos na assistência social em equipamentos particulares, mas não garantiu a imunização dos servidores municipais que realizam trabalho semelhante nas Unidades de Abrigo Institucional (UAIs) que acolhem idosos, adolescentes e outros.Os servidores da FAS , que trabalham com acolhimento, estão trabalhando diuturnamente sem parar desde março de 2020. Os governos garantiram que a assistência social é uma atividade essencial, mas não incluíram os trabalhadores do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) na prioridade para vacinação, diz comunicado do sindicato. 

A própria prefeitura divulga que a Fundação de Ação Social (FAS) mantém os serviços que oferece à população, mesmo durante o período de vigência da bandeira vermelha. Os dez Núcleos Regionais instalados nas Ruas da Cidadania continuam em funcionamento, das 8h às 18h. O horário de atendimento dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) - porta de entrada para os serviços da assistência para as famílias em vulnerabilidade - permanece das 10h às 16h, o mesmo desde o início da pandemia.  O mesmo horário é adotado pelos Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas), que atendem pessoas com direitos violados. 

A abordagem social à população em situação de rua permanece funcionando 24 horas por dia, sete dias da semana.  Os Centros de Referência Especializados para a População em Situação de Rua (Centros POP), que antes da pandemia funcionavam durante o dia, continuam a atender 24 horas para garantir que os usuários não precisem voltar para as ruas e fiquem protegidos do novo coronavírus.