Publicidade
Em Assembleia

Servidores negam fim de greve e vão discutir proposta do governo neste sábado

Servidores chegaram a acampar em frente ao Palácio Iguaçu
Servidores chegaram a acampar em frente ao Palácio Iguaçu (Foto: Valquir Aureliano)

Servidores estaduais que estão em greve por reajuste salarial declararam nesta sexta-feira (12) que a paralisação não vai se encerrar apenas porque o governo do estado disse que iria. O encerramento da greve, se houver, sairá apenas após assembleia da categoria, marcada para este sábado (13) em Curitiba.

Nesta sexta, o governo fez nova proposta para encerrar a greve. Foi oferecida a implantação da data-base, com a primeira parcela de 2% liberada em janeiro de 2020. No total, o Estado pagaria 5,08% de reposição. Ao mesmo tempo em que anunciou a proposta, o governo declarou que a greve estaria encerrada, em matéria veiculada pela agência oficial de notícias do Estado.

“O governo diz que saiu um acordo e a greve acabou com 2% (de reposição) para janeiro. É uma tremenda mentira, o governo está brincando com a gente. Quem encerra a greve é a assembleia que vai ter amanhã”, disse nesta sexta-feira Rodrigo Tomazini, que pertence ao comando de greve.

Segundo ele, a chance de a proposta ser aprovada é pequena. “Não fizemos essa discussão, mas vamos levar amanhã (sábado) em debate na assembleia. É provável que não seja aprovado”, disse ele. “Por enquanto não tem nada. A greve continua”.

Os servidores reivindicam reajuste de 4,94% relativo à inflação de abril de 2018 a maio de 2019.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES