Publicidade
Sustentabilidade

Startup desenvolve aplicativo para contenção do desperdício de água

(Foto: Pixabay)

Embora seja naturalmente renovável, a água potável do planeta é um recurso finito. O brasileiro consome de forma direta, em média, 154 litros de água diariamente – 44 litros acima do recomendado pela Organização das Nações Unidas (ONU). Para resolver esse problema, uma startup do Rio Grande do Sul está desenvolvendo um sistema de monitoramento em tempo real do consumo de água em imóveis. A iniciativa busca assegurar padrões de produção e consumo sustentáveis, conforme prevê o 12º Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas, de quem o Sebrae é parceiro no fomento aos negócios de impacto social e ambiental desde 2015.

A Aldiwa - Sistema de Controle Sustentável surgiu como um projeto acadêmico de Alan Henkel, Diego Mergener e Wagner Kuhn, do curso de Design da Universidade Feevale (RS). Eles buscaram rever o desperdício de água por meio do controle consciente do uso em imóveis. “Na época, não sabíamos se o projeto era aplicável, mas agregamos um programador à equipe para viabilizarmos comercialmente”, conta Wagner Kuhn. Hoje, já formados, os jovens seguem no desenvolvimento do aplicativo que irá fornecer, ao usuário final consulta ao consumo de água em tempo real, alertas preventivos de vazamento e consumo, bem como o desligamento remoto do fornecimento, com o objetivo de economizar dinheiro e os recursos hídricos do planeta.

Atualmente, a Aldiwa está em fase de implantação, testes e viabilidade para utilização em outros equipamentos de hardware. A startup é do Rio Grande do Sul, mas espera entrar no mercado nacional, atendendo de forma compatível os mais diversos equipamentos de automação do consumo de água existentes. As negociações mais avançadas para implementação da ferramenta são de fora do estado gaúcho.

Não deve demorar para que moradores, síndicos e administradoras de grandes centros habitacionais, como prédios e condomínios, possam controlar os gastos excessivos de água. O app estará em fase de testes até o final de março e a previsão é de no 2º semestre de 2019 o piloto entre em operação em dois locais. “Nossa expectativa é facilitar a vida das pessoas e, acima de tudo, conscientiza-las quanto ao correto uso da água. Ninguém faz ideia de quanto consome em seus banhos, lavando louça e roupas, mas quando se depararem com essa informação em litros, vão se impressionar e, a partir daí, tomar providências para economizar, reeducando os seus usos”, finaliza Wagner.

DESTAQUES DOS EDITORES