Publicidade
Copa 2018

Suker admite surpresa com Croácia na final e pede Bola de Ouro a Modric

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Artilheiro da Copa de 1998, quando fez seis gols e foi decisivo para levar a Croácia ao terceiro lugar logo em sua primeira participação no torneio, Davor Suker viu nesta quarta-feira (11) a seleção superar o feito daquela geração ao bater a Inglaterra por 2 a 1 e garantir a vaga na final do Mundial da Rússia.

“Estou contente, emocionado, morto, vivo... Não há palavras para definir como estou”, disse o ex-atacante de Sevilla, Real Madrid e Arsenal, em entrevista à rádio espanhola Cadena Cope logo depois da semifinal.

“Todos pensávamos que a campanha de 1998 não aconteceria de novo, mas aconteceu. Quero agradecer os jogadores e o treinador. É um orgulho para a torcida e para nós, estamos na final do Mundial”, completou o hoje presidente da Federação Croata de Futebol.

Desde que ficou em terceira há 20 anos, a Croácia havia sido eliminada na primeira fase das Copas de 2002, 2006 e 2014 —em 2010 o país sequer se classificou.

Suker lembrou que o país possui quatro milhões e meio de habitantes para valorizar o feito. “Sabemos jogar futebol e investimos nisso. Todos sabem o que significa uma Copa do Mundo e a dificuldade de se chegar a uma final.”

O ex-atacante afirmou que os jogadores devem lutar até a morte na decisão do próximo domingo (15), a partir das 12h (de Brasília), contra a França e disse que cada seleção tem 50% de chances de ficar com a taça.

Já quando questionado sobre dois dos destaques da campanha croata na Rússia, Suker comparou o atacante Mandzukic a um touro e exaltou o meia Modric. “Acho que ele merece ser o Bola de Ouro neste Mundial”, concluiu.

DESTAQUES DOS EDITORES