Publicidade
Banido

Suspenso, Del Nero consegue definir sucessor na CBF até 2023

SÉRGIO RANGEL RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Banido provisoriamente do futebol pela Fifa, Marco Polo Del Nero conseguirá emplacar seu escolhido na presidência da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) até 2023. Aliado do cartola, o diretor Executivo de Gestão da CBF, Rogério Caboclo, 45, será candidato único ao cargo na próxima eleição.

Em uma reunião articulada às pressas nesta quinta-feira (8), ele conseguiu o apoio da maioria dos presidentes das federações para concorrer ao próximo mandato. Presidente da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos, tentou articular uma chapa de oposição, mas foi avisado por aliados no final da tarde desta quinta (8) para desistir.

O pleito poderá ser realizado a partir do dia 15 de abril. Para registrar chapa na eleição da entidade, o candidato tem que ter o apoio de oito federações e cinco clubes. Caboclo já teria acertado com 20 dirigentes pelo menos, o que inviabiliza outra candidatura. “O meu voto é do Marco Polo. Discutimos agora há pouco apoio ao Caboclo. Ainda não assinei porque não chegou a minha vez. Mas farei isso até amanh㠔, disse Francisco Cesário de Oliveira, presidente da Federação de Futebol do Mato Grosso do Sul.

A candidatura do diretor executivo está sendo construída por Del Nero, que pode ser banido definitivamente do futebol pela Fifa até a próxima quinta (15). Em dezembro, ele foi suspenso pela entidade mundial por 90 dias com base nas acusações feitas por delatores na Justiça dos EUA. Ele é acusado de participar de um esquema de recebimento de propina na venda de torneios no Brasil e no exterior. O cartola nega.

Segundo a Fifa, a suspensão pode ser renovada por mais 45 dias. Na Justiça dos EUA, José Maria Marin, seu antecessor, já foi condenado por seis crimes. A pena só sairá em maio. Com o futuro incerto, Del Nero decidiu fazer o seu sucessor no próximo mandato. Para isso tem se reunido com cartolas de federação e defendendo apoio a Caboclo. Proibido de ir na CBF, se comunica por telefone com os integrantes da cúpula da entidade por telefone e em reuniões fora da sede.

A atuação pode configurar uma infração às regras da suspensão preventiva que ele recebeu da Fifa. O código disciplinar da entidade, no artigo 22, diz que o banimento do dirigente é referente “a qualquer atividade relacionada ao futebol (administrativa, esportiva ou qualquer outra)”. “Em relação ao Sr. Del Nero podemos apenas dizer o que já foi dito. Ele está suspenso por 90 dias de qualquer atividade relacionada ao futebol. Uma potencial falha em respeitar a decisão da Fifa será analisada pelo Comitê Disciplinar da Fifa”, afirmou a entidade em nota à reportagem.

RENOVAR

Principal executivo da CBF, Caboclo é uma tentativa do presidente afastado de renovar a imagem da CBF desgastada após tantos escândalos. Nascido em São Paulo, Caboclo é advogado e administrador de empresas. Ele começou a sua carreira de dirigente aos 26 anos, quando passou a integrar, como conselheiro vitalício, o Conselho Deliberativo do São Paulo. Em 2002, se aproximou de Del Nero ao entrar na Federação Paulista de Futebol, onde ocupou vários cargos até 2014. Homem de confiança do presidente afastado, foi diretor do Comitê Organizador da Copa de 2014 e entrou na CBF em seguida. Agora, ele acumula o cargo de CEO da organização da Copa América 2019, que será disputada no Brasil.

Na CBF, recebe R$ 120 Caboclo chegará ao cargo máximo do futebol brasileiro sem se expor. Hábil nos bastidores, fala pouco. Raramente concede entrevistas. Poucos sabem o que o dirigente pensa sobre o futebol. Na CBF, ele tem poderes ilimitados desde o afastamento de Del Nero pela Fifa, em dezembro. Caboclo toca os principais projetos estratégicos da entidade. Ele foi o responsável pela renovação de contrato da Copa do Brasil, que prevê R$ 300 milhões por edição. No encontro desta quinta, Del Nero negociou também os vices da chapa. Pelo novo estatuto, a nova direção contará com oito vices. Ate então, a entidade tinha cinco vices.

DE FRENTE PRO MAR

Nos últimos dias, Del Nero pediu apoio para Caboclo aos presidentes de federações. Del Nero mora na mesma avenida do hotel que abriga os cartolas, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. A reunião desta quinta contou com presidentes das federações do Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Nesta sexta, o cartola vai se reunir com os dirigentes das demais federações. No processo eleitoral, as federações são decisivas. As entidades regionais são maioria no colégio eleitoral. No ano passado, Del Nero manteve o poder das federações no pleito.

O dirigente conseguiu ampliar o colégio eleitoral, mas manteve seus aliados históricos (os presidentes de federações) como maioria. Pela nova regra, o voto de cada federação tem peso três. Já os times da Série A ficam com peso dois. Os clubes da segunda divisão, que não votavam até então, tem peso um. Neste caso, as federações ficam com 81 votos contra 60 dos clubes. A CBF ainda repassa cerca de R$ 70 mil mensais para cada uma delas. Apesar das acusações do FBI, o presidente da entidade manteve nos últimos anos praticamente intacto o seu poder com os dirigentes das federações. Na tarde desta quinta, o presidente da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos, chegou no hotel no Rio para se reunir com os outros cartolas. Bastos tenta articular uma chapa de oposição. “Não é hora de falar”, disse o dirigente, ao deixar o hotel.

DESTAQUES DOS EDITORES