Publicidade
Novas modas

Toque francês nos palcos do Rock in Rio

Toque francês nos palcos do Rock in Rio

Quando subir ao palco hoje para se apresentar no Rock In Rio, a cantora ‘swing sangue bom’ Fernanda Abreu estará vestida por um dos criadores brasileiros mais ligados com a França. Rogério Vasques é brasileiro, de Belém do Pará, viveu anos em Paris, onde estudou e se formou em moda e trabalhou com muita gente, inclusive com Karl Lagerfeld.

Ao lado do kaiser da moda, Vasques o assessorou na sua marca própria, a KL. E foi aqui em Paris que nos conhecemos, na saída de um desfile da Chanel. Ficamos amigos – como podem ficar dois brasileiros que se encontram no grande círculo do mundo da moda.

Alguns anos mais tarde, ele se mudou para o Brasil e lançou no Rio a Maison Revolta. Uma marca dedicada às mulheres do mundo, como um dia foi Lili Marlene, como é Monica Belucci, um dos símbolos femininos que inspira a marca e também Fernanda Abreu.

Rogério é uma das pessoas mais educadas e delicadas que eu conheço, por isso, a coluna de hoje é uma homenagem e um reconhecimento meu ao cara gente boa e talentoso que ele é.

Sobre o figurino de Fernanda ele conta à coluna que a imaginou como uma Lili Marlene brasileira, algo Couture, Rock, feminino e generoso. Acompanhe:

O que pensou ao criar o figurino da Fernanda?
Tenha a imagem de uma Lili Marlene brasileira. Algo Couture, Rock, muito feminino e generoso. A Fernanda chegou até a Maison Revolta através do couro verniz, que virou o protagonista do figurino.
Para criar um contraste de matérias primas e luzes, pensei em usar uma malha tecnologia que também traz conforto, já que a Fernanda dá uma parte muito importante à dança. Usamos esse dialogo em um colete, um short saia e também acessórios de cabeça, braços e pernas, que traduzem totalmente o que eu imaginava. 

Qual a peça mais fetichista da Maison Revolta? 
Um vestido que chamamos de Monica Belluci. A modelagem é perfeita, valoriza o corpo de toda mulher brasileira. O fizemos em homenagem a Monica Belluci, que é uma mulher totalmente Revolta, o oferecemos a ela, e ela amou. Faz parte de cada coleção numa cor ou numa matéria prima diferente, e virou nosso primeiro it-dress. 

O que a brasileira tem que a francesa não tem? 
Eu diria a espontaneidade e um lado lúdico. O figurino tem muito disso, e é provavelmente o que diferencia ele da Lili Marlene, intocável, meio fria, quase masculina.  

A atriz italiana Monica Belucci e o vestido em couro da Maison Revolta desenhado em sua homenagem.

Rogério Vasques é o designer responsável pelo figurino que a Maison Revolta criou para Fernanda Abreu usar no Rock In Rio 2017.

Publicidade

DESTAQUES DOS EDITORES