Publicidade
Quatro Barras

Transporte de secretaria de Saúde beneficia 26 mil pacientes

Atendimento do transporte auxilia os mais necessitados
Atendimento do transporte auxilia os mais necessitados (Foto: Divulgação)

Um levantamento da Secretaria Municipal de Saúde de Quatro Barras apontou que o serviço de transporte de pacientes realizou 25.956 atendimentos ao longo de 2018. Muito além dos números, na prática, o serviço é determinante para quem precisa acessar serviços médicos de emergência, além de consultas e exames especializados em outras cidades, como Curitiba e Região Metropolitana.

Os dados referem-se à frota completa da Saúde, incluindo o atendimento de veículos pequenos, van, ambulância, vigilância, deslocamento aos serviços de hemodiálise e fisioterapia em clínicas conveniadas e no Hospital Angelina Caron, e também o transporte oferecido a moradores da área rural pelo Linhão da Saúde.  

O levantamento traz informações mês a mês, com índices subdivididos por categoria de veículo. No caso da ambulância, foram 1.891 serviços prestados no ano passado. No período, o Linhão da Saúde atendeu 5.172 pacientes. Já os deslocamentos ao Hospital Angelina Caron e às clínicas conveniadas, para serviços de fisioterapia e hemodiálise - na maioria destinados a pacientes debilitados e com dificuldades de locomoção - chegaram a 14.266.

O prefeito Angelo Andreatta (Lara) disse que a frota da Saúde nunca esteve tão completa e enfatizou a importância da prestação do serviço à comunidade. “Hoje temos um veículo próprio para cadeirantes, uma linha específica para a área rural e uma frota nova e atuante no atendimento aos pacientes. Para quem acompanha isso de perto, a visão sobre o serviço é ainda mais crucial, porque sem o transporte uma grande parcela da população não teria acesso a estes serviços”, enfatizou Lara, que agradeceu o empenho e a dedicação de toda a equipe.  

O secretário de Saúde, Leonardo Presa, ressaltou que o transporte de pacientes ainda auxilia em outro ponto determinante: o acompanhamento periódico e o tratamento contínuo de doenças, o que, segundo ele, é essencial para a recuperação e o restabelecimento do paciente.

“Sem o transporte, vários pacientes não teriam acesso aos serviços e nem dariam continuidade ao tratamento com a devida e necessária frequencia, por isso ele se torna tão imprescindível”, afirmou.  

DESTAQUES DOS EDITORES