Publicidade
Estudo

Três meses para o Enem; como estudar neste tempo

As férias acabaram e a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) se aproxima. É possível estudar e ficar preparado para a prova, que acontecerá nos dias 3 e 10 de novembro, em apenas 3 meses? Segundo o Professor e Learning Coach Gilberto Augusto, fundador da plataforma de estudos Aprovação 360º, é possível desde que o aluno tenha um planejamento de estudos e mantenha uma rotina disciplinada. “Se o estudante tiver consciência e disciplina para saber quanto estudar, quando, onde, por onde, o quê e como. Se conseguir organizar estes seis KPIs (Key Performance Indicator ou os famosos Indicadores-Chave de Desempenho) no dia a dia, ele terá menos dificuldade no processo e terá resultados melhores em pouco tempo”. 

Outra dica importante é focar em ser um “especialista” no vestibular desejado. Segundo o Professor e Learning Coach, o Enem apresenta três grandes especificidades que precisam ser dominadas pelo estudante: conteúdos mais abordados, pesos de cada área e gerenciamento do tempo de prova.

Os 6 Indicadores-Chave de Desempenho de um planejamento de estudos são:

1. Quanto: quantas horas por dia o aluno irá estudar.
Tem gente com tempo para estudar 4 horas, outros 8 horas por dia, e ainda quem tem só uma hora porque trabalha e estuda. Independente da quantidade de horas, o importante é ter uma rotina consistente, estudando todos os dias a mesma quantidade. Se a pessoa nunca estudou 8 horas por dia e tem tempo para isso, recomenda-se que ela comece pequeno, pensando grande, para crescer rápido. O hábito é criado na repetição. Comece com duas horas e vá aumentando o tempo até chegar ao máximo que puder.

2. Quando: dias da semana que o aluno escolhe estudar.
A semana tem 7 dias e, pensando em Enem, que é daqui a 3 meses, a sugestão do Professor e Learning Coach é intensificar os estudos para todos os dias, deixando alguns momentos para descanso como um sábado à noite ou um domingo na hora do almoço. Os alunos devem estudar de segunda a sexta-feira, fazer simulados aos sábados e deixarem os domingos para corrigirem os erros do simulado. Desta forma, com um planejamento definido, a chance de procrastinar será menor.

3. Onde: ambiente de estudos.
O ambiente influencia. Se o aluno está em casa com televisão, geladeira, cachorro, celular, tudo perto, a chance de se jogar nas distrações é muito alta. O ideal é ir para um centro de estudos ou biblioteca, onde há muitas pessoas estudando, um local que estimule o ato de estudar, motivando o aluno a ter disciplina, foco, atenção, concentração e não procrastinar.

4. Por onde: materiais que irá utilizar (caderno, livros, apostilas, resumos).
Caderno é sempre mandatório. Copie o que o professor está explicando e use o conteúdo para fazer as revisões depois. Segundo Gilberto Augusto, se tiver muita dificuldade na matéria, tenha bons livros, pois as apostilas são mais resumidas.

5. O quê: tenha uma “bússola”: PRD (Peso, Recorrência e Dificuldade).
Se o aluno estudar tudo do mesmo jeito, irá se frustrar todos os dias porque não conseguirá bater suas metas diárias. A dica é focar nas matérias de maior peso – o Enem da peso diferente para cada área do conhecimento, assim como 99% das universidades também têm pesos diferentes para cada área do conhecimento. O aluno precisa ter claro que a prova do Enem tem suas recorrências, ou seja, as matérias que caem mais. Foque nos temas que mais aparecem nas provas. E, por último, estude as matérias que você tem mais dificuldade, principalmente se forem as de maior peso e recorrência”.

6. Como: técnicas de estudo que serão implementadas.
Regra básica: estudar a teoria, fazer o máximo de exercícios e ter uma fazer com frequência a revisão daquela teoria (pelo caderno ou por resumo), até aquele conteúdo estar bem absorvido.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES