Saudades

TV Cultura presta homenagem a Eva Wilma e Bruno Covas com reapresentação de entrevistas

(Foto: Reprodução/TV Cultura)

A TV Cultura, empresa púbica de São Paulo, faz neste domingo (16), homenagens a Bruno Covas e Eva Wilma, ambos vítimas do câncer neste fim de semana. Eva faleceu na  noite de sábado (15) e Covas nesta manhã de domingo.

A TV Cultura reapresenta o Roda Viva com Covas, a partir das 23h deste domingo. Sob o comando da jornalista Vera Magalhães, o programa foi gravado em janeiro de 2020. Na pauta da entrevista, constaram temas como o aumento no IPTU e a isenção para os templos religiosos, o preço das passagens de ônibus e a recuperação da malha de ciclovias na cidade, a reeleição e a sua luta contra o câncer.

O Roda Viva contou com uma bancada de entrevistadores formada por Fábio Zambeli, analista-chefe do site Jota; Flávio Freire, coordenador de Nacional e Política da sucursal do jornal O Globo em São Paulo; Eduardo Scolese, editor de poder do jornal Folha de S. Paulo; José Alberto Bombig, editor executivo do jornal O Estado de S. Paulo e titular da coluna do Estadão; e Fabíola Cidral, âncora da rádio CBN em São Paulo.

Também neste domingo (16/5), a partir das 21h, o Persona com a grande dama da dramaturgia brasileira, a atriz Eva Wilma, terá reapresentação.

Com 70 anos de carreira artística, Vivinha, como é conhecida pelos mais próximos, se consagrou como atriz de teatro, cinema e televisão, e colecionou uma infinidade de reconhecimentos e uma grande lista de premiações. No programa, durante o bate-papo com a jornalista Regina Helena de Paiva Ramos e a escritora Edla Van Steen, a artista fala da sua trajetória, seu início como bailarina, o teste para um filme de Alfred Hitchcock e outras curiosidades de sua longa carreira de sucesso. O programa traz ainda trechos de suas peças, filmes e novelas, dentre elas algumas raridades que surpreenderam até a própria artista.

Eva Wilma relembra sua infância, fala sobre a época em que ingressou no Balé do IV Centenário de São Paulo em 1954 e quando conheceu seu primeiro marido, John Herbert. Também comenta sobre sua primeira fala como atriz no filme "Uma Pulga na Balança" (1953).

Vivinha, na década de 50 ainda, decidiu trocar o balé pela carreira de atriz. Nesse período, fez três filmes, "O Homem dos Papagaios", "O Craque" e "A Sogra". No primeiro longa, conviveu com Procópio Ferreira.

A artista também lembra a época em que fazia Teatro de Arena; e de certa noite, em 1953, no TBC, quando o ator Renato Consorte a encontrou e disse que Cassiano Gabus Mendes queria levá-la para a televisão. O dramaturgo dirigiu Eva Wilma e John Herbert no programa "Alô, Doçura!", que ficou no ar por mais de 10 anos.

A triste época da ditadura militar também ganha destaque nas lembranças de Eva Wilma, assim como sua atuação em novelas como "Mulheres de Areia" (1973/TV Tupi); o fim do casamento com John Herbert e a paixão pelo ator Carlos Zara; e o teleteatro que fez na TV Cultura em 1977, chamado "O Gravador". No programa ainda, o agente artístico Sérgio D’Antino conta que Eva Wilma foi a primeira presidente da Apetesp (Associação dos Produtores de Espetáculos). Já a atriz Regina Duarte, o diretor Antunes Filho e o ator Renato Borghi, emocionados, relembram histórias com Vivinha e dão depoimentos sobre a parceria com a atriz. Eva também fala da época em que fez a peça "Querida Mamãe", na década de 90, com a atriz sorocabana Eliane Giardini, e também presta uma homenagem ao ator José Wilker, recentemente falecido.