Toque de recolher

Validade do último decreto do governo do Paraná de combate à Covid termina nesta sexta-feira

(Foto: Geraldo Bubniak/AN-PR Arquivo)

A validade do decreto 7.737/2021, que implantou restrições mais duras no combate à pandemia do novo coronavírus no Paraná, termina nesta sexta-feira (11). O atual decreto foi publicado no Diário Oficial do Estado no dia 27 de maio. O governo pode divulgar novo decreto nesta quinta-feira (10), prorrogando a validade das medidas ou mudando as suas restrições.

As regras atuais começaram a vigorar às 5h do dia 28 de maio, e valem até as 5h do dia 11 de junho. Segundo o decreto, medidas mais rígidas adotadas pelos municípios terão apoio da administração estadual.

O texto previa restrição da circulação de pessoas e de venda e consumo de bebida alcoólica em espaços de uso público ou coletivo depois das 20 horas. Comércio e atividades não essenciais seguem proibidas de funcionar aos domingos. Isso se aplica a restaurantes, shopping centers e academias.

Nos outros dias da semana, o comércio de rua, galerias, centros comerciais e estabelecimentos de prestação de serviços não essenciais em municípios com mais de 50 mil habitantes poderão abrir ao público das 9h às 18h, com 50% de ocupação (o texto anterior era das 10h às 22h). Aos domingos e fora desses horários, durante a semana, só será permitido o atendimento na modalidade delivery.

Os shoppings, que até então podiam funcionar das 11h às 22h, devem abrir até as 20h, com 50% da ocupação. Os supermercados, que não tinham limite de horário, poderão atender das 8h às 20h, com 50% de ocupação, com permissão de funcionarem 24 horas somente para entregas. As academias podem funcionar das 6h às 20h, com até 30% da ocupação. Os museus também poderão abrir das 10h às 20h, com limitação de 50% do público.

Serviços e atividades essenciais, como farmácias e clínicas médicas, não terão que atender as regras de toque de recolher e de funcionamento. Os serviços considerados essenciais estão especificados no decreto 4.317, de 21 de março de 2020.

Seguriam proibidas atividades que causem aglomerações, como casas de shows, circos, teatros e cinemas; eventos sociais e atividades correlatas em espaços fechados, como casas de festas, de eventos, incluídas aquelas com serviços de buffet; os estabelecimentos destinados a mostras comerciais, feiras, eventos técnicos, congressos e convenções; casas noturnas e correlatos; além de reuniões com aglomeração de pessoas, encontros familiares e corporativos.

As práticas religiosas devem atender a Resolução 440/2021 da Secretaria da Saúde, publicada em 26 de fevereiro, que orienta templos, igrejas e outros espaços a adotarem, preferencialmente, o formato virtual. Em casos de atividades presenciais, os locais devem respeitar o limite de 35% da ocupação.

O Paraná vive uma nova onda de contágio neste mês e o sistema de saúde no Estado está em níveis de alerta, o que impôs, no final de maio, a decretação de medidas mais restritivas de circulação.

O secretário de saúde Beto Preto disse que a saída para o fim da pandemia é através da vacinação, e que todos os esforços estão sendo feitos para aplicar as doses recebidas com a maior velocidade possível.