Publicidade
Período de férias

Veja oito cuidados básicos ao contratar uma agência de viagem

Veja oito cuidados básicos ao contratar uma agência de viagem

Com as férias de fim de ano, muitas famílias aproveitam a ocasião para tirar alguns dias de folga e viajar. Segundo uma pesquisa realizada pelo Ministério do Turismo, a intenção de viagem por parte do brasileiro subiu de 19,1% para 22,7% no primeiro semestre de 2017. Os dados consideram todas as faixas de renda. Além disso, de acordo com o Boletim de Desempenho Econômico do Turismo (BDET), outro estudo do Ministério do Turismo, as agências de viagens tiveram um crescimento de 5,7% em seu faturamento médio no nesse mesmo período, o que sinaliza o aumento da demanda.

Muitos turistas optam pelas agências por conta da praticidade e comodidade dos serviços oferecidos (reserva de transporte aéreo, passeios com guia, pacotes de hospedagem, locação de veículos etc). Antes de embarcar, porém, é necessário ficar atento a questões burocráticas e de segurança. Em alguns casos, a programação da tão sonhada viagem de férias pode se tornar um verdadeiro problema.  

A ADT, maior empresa de monitoramento de alarme no Brasil, listou algumas precauções que devem ser tomadas ao escolher uma agência de turismo. Confira a lista e saiba como evitar transtornos e garantir a tranquilidade dos dias de folga.

1.    Referências: antes de contratar uma agência, busque por referências, recomendações e comentários sobre a empresa;

2.    Cadastur: seja transporte interestadual ou internacional, rota própria ou terceirizada, a agência e a transportadora devem ter registros no Cadastur, sistema de cadastro de pessoas físicas e jurídicas do Ministério do Turismo. Verifique, também, se a agência é associada à Abav (Associação Brasileira de Agências de Viagem);

3.    Contrato: solicite por escrito tudo o que está sendo contratado (hospedagem, companhia aérea, hotel etc);

4.    Confirmação de reserva: o consumidor deve solicitar com antecedência o documento de confirmação de reserva do hotel, o recibo da fatura de hospedagem, a marcação de assentos e o roteiro da viagem;

5.    Opções de passeios turísticos: muitas agências oferecem passeios turísticos sem avisar ao consumidor que o serviço é cobrado à parte. Atente-se a isso;

6.    Promoções: promoções com valores estonteantes devem ser estudadas e avaliadas com cautela;

7.    Cancelamento: em caso de cancelamento do serviço por parte da agência sem a autorização do cliente, é recomendável acionar o Procon, órgão de defesa do consumidor do seu estado. Se o consumidor desistir da viagem, é preciso comunicar à agência de turismo ou operadora por escrito, estando sujeito ao pagamento de multa prevista em contrato;

8.    Desastres climáticos: caso o consumidor tenha comprado uma viagem para locais que estejam passando por situações de emergência comprovada, como furacões e enchentes, é possível optar pela troca do pacote para outra data e local, sem custos adicionais, ou o cancelamento do contrato;

Também vale a pena ficar atento à recomendações para evitar o furto de bagagens em aeroportos. Confira aqui algumas dicas.

Publicidade