Publicidade
Junot Díaz

Vencedor do Pullitzer, escritor é acusado de assédio e misoginia

(Foto: Reprodução/ Youtube)

O escritor dominicano Junot Díaz, ganhador do prêmio Pullitzer, abandonou neste sábado (05 de maio) o Festival de Escritores em Sidney, na Austrália, após ser acusado publicamente de abuso e misoginia. A denúncia, feita pela escritora Zinzi Clemmon, foi uma reação ao recente ensaio de Díaz publicado na "New Yorker", no qual o dominicado relatou a violência sexual que sofreu aos oito anos. 

Clemmon acusa Díaz de ter a encurralado e a beijado à força há seis anos, quando ela teria o convidado para participar de uma oficina. Na sequência, outras duas escritoras, Carmen María Machado e Monica Byrne, também relataram pelo Twitter terem sido vítimas do comportamento inadequado e agressivo do autor.

À imprensa, Zinzi ainda afirmou não acreditar ter sido a única mulher "explorada" pelo professor de criatividade literária do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (IMT), reclamando ainda da cumplicidade de sua equipe e das instituições que o empregam.

"É hora de colocar o fardo de sua má conduta diretamente sobre seus pés para que ele enfrente a consequência de suas ações", disse a escritora.

Já o Festival de Escritores de Sydney informou que o vencedor do Pullitzer de 2008, pela obra "A breve e maravilhosa vida de Oscar Wao", deixou a programação do evento, destacando que a organização está tratando de fornecer "um ambiente de apoio e segurança para os autores e o público".

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES