Publicidade
ELEIÇÕES 2020

Vice de Greca migra para PSD; Leprevost segue no partido

Leprevost: secretário deixa governo em 2 de junho
Leprevost: secretário deixa governo em 2 de junho (Foto: Divulgação)

O vice-prefeito de Curitiba, Eduardo Pimentel, deve oficializar sua filiação ao PSD, partido do governador Ratinho Júnior, até o próximo sábado (4), prazo final previsto em lei para quem pretende se candidatar às eleições municipais de outubro. A informação foi confirmada por fontes da sigla ontem. Em reação, o secretário de Estado da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost (PSD), afirmou ontem que segue na legenda, e mantém sua disposição de disputar a prefeitura de Curitiba com o aval das direções municipais e estaduais da sigla.

A entrada de Pimentel no PSD é apontada como uma estratégia para levar o partido a apoiar a a reeleição do atual prefeito Rafael Greca (DEM), em detrimento das pretensões de Leprevost. O secretário, porém, garante que está “absolutamente tranquilo”, e que deve seguir no governo até o próximo dia 2 de junho, quando deixa o cargo dentro do prazo previsto em lei para a desincompatibilização de quem pretende disputar as eleições deste ano.

Em nota divulgada ontem, Leprevost afirmou ontem que tem evitado falar de política desde que começou a pandemia do coronavírus, e que tem focado o trabalho no apoio às autoridades de saúde no atendimento às vítimas da pandemia que atinge o País e o mundo. Ele disse ainda que recebeu convites de seis partidos para mudar de legenda, mas que pretende seguir no PSD. “O Ratinho Jr me fez um apelo e vou atendê-lo. Ficarei mais um pouco no governo, para depois ser o candidato do PSD a prefeito de Curitiba,” disse ele, que é deputado federal licenciado.

Articulação
Quanto à entrada de outras lideranças municipais no partido, Leprevost assegura ter a garantia por escrito da Executiva municipal do PSD, presidida por ele, e também da Executiva estadual, comandada pelo próprio Ratinho Jr, de que será o candidato do PSD à prefeitura da capital, “independente de qualquer nova filiação” que o partido receba nestes “45 minutos do segundo tempo”. O secretário afirma ainda que também tem assegurada pelo presidente nacional da legenda, Gilberto Kassab, a candidatura pelo partido. No início do mês, quando a filiação de Pimentel à legenda começou a ser cogitada, Leprevost afirmou que ela seria “antiética, incoerente”, e uma tentativa de afastá-lo da disputa “no tapetão”. Na ocasião, ele já garantiu que, independente dessa articulação, seguia “mais pré-candidato do que nunca”.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES