Publicidade
Araucária

Vidros da coleta seletiva são transformados em objetos de decoração e outras utilidades para casa

(Foto: Carlos Poly/SMCS)

Quando os moradores de Araucária separam os materiais para a coleta seletiva, além de contribuir para preservar o meio ambiente, estão ajudando um o trabalho de coletores da Associação de Catadores de Materiais Recicláveis de Araucária. Os materiais da coleta seletiva são devidamente separados para a reciclagem. No caso do vidro, parte do que chega à Central de Processamento de Materiais Recicláveis é transformada pelos coletores em peças de decoração e utilidades para casa. O trabalho conta com o apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA).

Nas mãos dos trabalhadores, os cacos de vidro viram fruteiras, petisqueiras, pratos para bolo, troféus, entre outros objetos. De acordo com a equipe que atua na Central de Processamento, a fornada costuma ocorrer uma ou duas vezes na semana, conforme a demanda de encomendas. As peças levam até dois dias para ter todo o processo concluído. A temperatura do forno pode chegar a até 1.200 graus. As peças produzidas são expostas em eventos de Araucária e região. O valor arrecadado com a venda das peças em vidro é dividido entre os associados. Recentemente, a fachada da Central de Processamento passou a contar com um painel em mosaico em vidro que retrata o trabalho de um coletor de materiais recicláveis. A obra foi uma realização da professora Solange Lesnioski Chadai e dos trabalhadores do local.

Os interessados em adquirir as peças podem entrar em contato pelo telefone (41)3607-2566. A Central de Processamento, onde são feitas as peças em vidro, fica à rua Iolando Zanardini Camargo, nº 42, bairro Tindiquera.

Importante - A SMMA recomenda que os cacos de vidro sejam colocados em caixas de leite, caixas de sapato, garrafas pet ou outros materiais que permitam o isolamento. É importante que o volume com o vidro esteja em separado (e, de preferência, identificado) dos demais materiais para descarte para que os coletores de lixo tomem os devidos cuidados. Essas orientações valem também para outros materiais cortantes (como cacos de porcelana). Araucária já teve casos recentes de trabalhadores da coleta seletiva que, mesmo com os equipamentos de segurança, ficaram feridos por caco de vidro.

DESTAQUES DOS EDITORES