Publicidade
Comportamento

Viva a democracia na moda!

E aí, você é do time que gosta ou não de animal print?  Na foto, uma versão bem urbana, ao lado dos básicos do armário
E aí, você é do time que gosta ou não de animal print? Na foto, uma versão bem urbana, ao lado dos básicos do armário (Foto: Maria Badasian/Unsplash)

Se “está na moda” e muita gente insiste em dizer que” tem de ter”, alto lá! Modismos e tendências são inspirações e usa só quem quer. As regras de estilo, as leis do pode ou não pode, o que combina com que, são tabus, que precisamos nos libertar. E o bom senso? Ah, esse é um lance super-relativo, porque depende de autoconhecimento, de coragem e de adequação. Vamos falar um pouco desses três conceitos?

Modismos — adote, só se você gostar, se quiser, se combinar com seu estilo e corpo. Quer um exemplo prático? Todo mundo sabe que onça está na moda, mas se você não suporta a estampa ou está de saco cheio de ver tanto bicho por aí, não caia nessa porque é cilada. Se quiser experimentar, use um lencinho, um cinto, a estampa em outra cor, afinal, esse é um exercício bacana de construção de estilo. Agora, se você é uma tigresa desde sempre e está feliz com isso, se jogue, seja você mesma e aproveite a fartura de produtos.

Tabus e regras de estilo —  esse papo de pode não pode é pra lá de demodê. A gente vive em um mundo cheio de pessoas com corpos, idades, crenças, origens, gostos e opiniões diferentes, não há como padronizar tudo isso. É chato, é desrespeitoso, é ultrapassado. Misture estampas, use a cor que faz você feliz, experimente subir um pouquinho a barra da saia. Democracia é bom, a gente gosta e pode vivenciá-la até na moda!

Bom senso — não tem certo ou errado. O que tem é estar adequado ou não a uma condição que pode ser ocasião, local, ou algo do gênero. É o velho papo do ambiente de trabalho. Pode usar brilho e estampa e saia curta no escritório? Pode, desde que você segure a onda, o ambiente permita e isso não coloque você em risco, em casos de empresas com esquema de segurança pessoal. Aqui, é importante lembrar da roupa como linguagem, como cartão de visitas. Você não é o que você veste, mas é um código e, por isso, vale pensar na mensagem que você quer passar para os outros.

Divulgação/Joulik

Vale usar paetês de dia, sim. Combine com uma peça mais neutra, use um tênis e saia para brilhar

Reprodução/O Diabo Veste Prada

Se o ambiente é formal, experimente brincar com detalhes da roupa. A estratégia é válida, deixa você feliz e não fere nenhum código de conduta

DESTAQUES DOS EDITORES