Publicidade
Política em debate

Wandscheer representou

(Foto: Câmara dos Deputados)

O coordenador da Bancada Paranaense Federal, deputado Toninho Wandscheer (PROS), afirmou em nota oficial, que “a maioria dos parlamentares que estiveram ausentes da reunião com a UFPR também manifestaram apoio às universidades e institutos federais do Paraná. Alguns não puderam comparecer na agenda, mas mantiveram contato direto com os reitores e também se sentiram representados por mim, que coordeno a Bancada Paranaense em Brasília”. A ausência de 21 deputados na reunião gerou um questionado publicado pelo jornal Plural. A nota de Wandscheer foi motivada pelo texto.

Totalidade
A UFPR afirma que Wandscheer garantiu que “totalidade dos parlamentares manifestaram solidariedade às instituições federais paranaense de ensino superior”. Estiveram na reunião na reitoria os três senadores eleitos do Paraná Álvaro Dias, Flávio Arns e Oriovisto Guimarães e os deputados federais Aliel Machado, Gustavo Fruet, Luciano Ducci, Luizão Goulart, Sergio Souza, Schiavinato, Rubens Bueno, Reinhold Stephanes Junior, Hermes Frangão Parcianello e Toninho Wandscheer. Todos os representantes políticos que estiveram presentes manifestaram solidariedade às instituições federais paranaense de ensino superior.

Ainda voto impresso
A discussão em torno da possibilidade de recontagem e impressão dos votos depositados nas urnas eleitorais voltou a agitar ontem os bastidores da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Federal. Segundo o deputado Rubens Bueno (Cidadania-PR), que é membro do colegiado, a mudança nas normas é um retrocesso. Em razão da forte polêmica, a análise do projeto de lei nº 1.169/15 foi adiada. A matéria em análise altera a lei que estabelece normas para as eleições, para “possibilitar a recontagem física de votos nos pleitos para cargos eletivos federais, estaduais, distritais ou municipais”. O parecer apreciado pelo colegiado se posiciona pela “constitucionalidade, juricidade e técnica legislativa e, no mérito, pela aprovação do projeto”. “Sou declaradamente contra o voto impresso, porque vivi e conheci muita fraude e roubalheira e mandatos comprados no mapa que era recolhido no interior do País. Hoje apoio 100% a urna eletrônica, que ela dá a mim a segurança de que não há nenhum tipo de manipulação”, colocou Rubens Bueno, durante a sessão.

Voltas na Terra
Entre fevereiro e março deste ano, os deputados da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) gastaram R$ 332 mil em combustível, segundo informação compilada pela agência de notícias Livre.jor. A quantia, convertida em gasolina com base no preço médio calculado pela Agência Nacional do Petróleo daria para bancar 29 voltas no planeta Terra, considerando o rendimento médio de um carro popular. O valor total gasto integra o rol de verbas ressarcidas aos deputados em decorrência da atividade parlamentar. Entre fevereiro e março, a título de ressarcimento, os deputados gastaram R$ 2,2 milhões.

Desinformação
Uma sondagem do instituto Paraná Pesquisa mostra que a grande maioria da população se considera desinformada sobre o projeto de Reforma da Previdência, proposta pelo governo Bolsonaro e em discussão no Congresso Nacional. O levantamento, feito entre os dias 30 de abril e 3 de maio com 2.020 pessoas de todos os estados, aponta que menos de 35% dos entrevistados disseram se achar informados, enquanto que 61% pouco sabem ou não sabem nada respeito do projeto.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES