O dólar está volátil na manhã desta sexta-feira, 10, e volta a exibir queda no mercado à vista, após subir à máxima de R$ 4,9548 (+0,30%) nos primeiros negócios, alinhado ao sinal predominante frente moedas emergentes e ligadas a commodities. Há pouco, o dólar á vista registrou mínima a R$ 4,9298 (-0,20%).

A queda deve estar refletindo ingressos de fluxo comercial em meio à alta de mais de 1,00% do petróleo e de 2,56% do minério de ferro em Dalian, na China.

Os investidores precificam também a desaceleração do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) a 0,24% em outubro, ante 0,26% em setembro, vindo abaixo da mediana da pesquisa Projeções Broadcast, de 0,29%. As estimativas iam de 0,16% a 0,38%. A curva de juros é influenciada também pela queda bem moderada dos juros dos Treasuries.

A média dos cinco núcleos de inflação acompanhados pelo Banco Central acelerou a 0,26% no IPCA de outubro, ante 0,22% em setembro, calcula o banco. O resultado ficou abaixo da mediana da pesquisa do Projeções Broadcast, que indicava alta de 0,31%, com intervalo entre 0,23% e 0,40%. A difusão do IPCA atingiu 52,52% em outubro, ante 42,71% em setembro, calculam os economistas do Banco BV. A taxa mede a proporção dos 377 subitens do indicador que tiveram aumento de preços no período.

Os investidores aguardam discursos de dois dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) – presidente do Fed de Dallas, Lorie Logan e do Fed de Atlanta, Raphael Bostic, após a sinalização ontem do presidente do Fed, Jerome Powell, de que um novo aumento de juros é possível diante da força da economia americana. Até então, prevalecia a leitura de que o BC norte-americano teria encerrado seu ciclo de aperto monetário, após deixar as taxas básicas inalteradas em suas duas últimas reuniões.

Em evento do Fundo Monetário Internacional (FMI), Powell disse que não há confiança de que a taxa básica norte-americana já atingiu nível suficientemente restritivo para levar a inflação à meta de 2% e que o Fed não hesitará em promover aperto adicional da política monetária. Monitoramento da CME mostra que, após comentário de Powell, as chances de uma elevação dos Fed Funds subiram de cerca de 15% para perto de 20%.

Às 9h42, o dólar à vista caía 0,17%, a R$ 4,9308. O dólar para dezembro recuava 0,11%, a R$ 4,9410.