Arya 1 - Carolina Aguiar e Ricardo Elias

Investir em imóveis ainda é uma boa alternativa em Curitiba?

13 junho, 2017 às 15:06  |  por Maximilian Santos

Em um cenário atual tão ruim para a economia e para a política brasileira, vários especialistas do mercado imobiliário confirmam que o momento é bom, sim, para investir na área. O principal motivo, além de ser um dos bens mais seguros com a instabilidade financeira, é que a fase complicada permite que ocorram melhores negociações.

Diante deste contexto e das expectativas de 2018, quem investir no segmento ainda neste ano poderá atingir bons resultados nos próximos.

Em cada cidade, o mercado imobiliário é regido pelas leis de zoneamento e as regras de desenvolvimento urbano de cada município. Curitiba, nos últimos anos, apontou uma grande oferta de imóveis, concentrando várias opções em situação de estoque, o que acarretou condições bastante atrativas e facilitando para quem aguardava o momento certo para encontrar negociações de grandes vantagens. Além disso, a boa colocação da capital paranaense em estudos e pesquisas de qualidade de vida e, principalmente, com a volta da cidade ao topo da lista das melhores capitais para se viver no Brasil, ajudarão ainda mais em valorizações futuras.

Além do momento ser favorável em negociações, ajudando no valor do investimento, Curitiba está entre as capitais que desenvolveram a melhor qualidade de vida do País. Hoje, a cidade concentra uma grande quantidade de imóveis bem localizados, com preços competitivos e de ótimas características, que certamente valorizarão nos próximos anos”, explica Carolina Aguiar (foto), sócia-proprietária da Arya 1 Imóveis, uma das principais imobiliárias com opções de imóveis para investimentos da cidade.

Com a consultoria de uma boa imobiliária e de bons profissionais do mercado, as negociações são mais eficientes na compensação do investimento, sobressaindo aplicações com ganhos líquidos de 12%. A contrapartida vem por meio do retorno com locação e, principalmente, por valorização patrimonial.

Muitos clientes, ao comprarem um imóvel de alto-padrão, acabam também adquirindo outros imóveis de valor inferior, tipo apartamentos de 1 quarto, devido ao alto retorno do investimento. Ao adquirir um imóvel com esta característica, no valor aproximado de R$180 mil, em cerca de 24 meses, o imóvel valerá aproximadamente R$230mil. Ou seja, se o cliente locar por R$1.400/ao mês, o retorno conquistado será superior a muita aplicação financeira”, completa Ricardo Elias (foto), também sócio-proprietário da Arya1 Imóveis, e salienta que o cálculo é baseado na soma da rentabilidade patrimonial, acrescido do valor da locação, resultando em um ganho bem superior a 1% ao mês.

O mercado imobiliário curitibano é bastante amplo. Cada bairro possui realidades distintas e existem regiões com uma grande demanda por imóveis que continuam valorizando.

Geralmente compramos dólar e investimos em ações quando estão em baixa, para podermos vender quando chegarem na alta. Levando em consideração não só essa visão de investimento, mas dados precisos do imóvel, da região e da cidade de Curitiba, podemos obter um bom retorno quando o mercado se aquecer novamente, resultando em preços mais elevados e na segurança do dinheiro aplicado”, finaliza Elias.

 

 

 

Editado por Maximilian Santos
Crédito da foto: Divulgação.

 

 

 

 

Print

Equipes engajadas são um diferencial das empresas de sucesso

5 junho, 2017 às 19:03  |  por Maximilian Santos

Uma equipe engajada traz inúmeros benefícios para um negócio. Isso porque funcionários motivados se esforçam mais para atingir os objetivos e metas da empresa melhorando, com isso, sua produtividade. Neste caso, o líder tem um papel fundamental, sendo assertivo em suas decisões e contribuindo para o engajamento da sua equipe. A assertividade nas relações é um dos temas que serão abordados na segunda edição do Intensive Leadership Academy (ILA), que acontece nos dias 9 e 10 de junho, em Curitiba. O seminário é organizado e ministrado por executivos da Dale Carnegie Training, referência mundial em desenvolvimento de competências e habilidades profissionais.

Segundo, Leandro Roth (foto), trainer dos programas Dale Carnegie Course, Advanced Dale Carnegie Course, Sales Advanced e responsável pelas franquias do Noroeste do Rio Grande do Sul e Campinas (SP), aumentar o nível de assertividade, que está relacionado à confiança e respeito, contribui para a melhoria do engajamento. “Há três estilos de comportamento: passivo, agressivo e assertivo. A grande sacada é saber qual a melhor maneira de ser assertivo na hora de tomar decisões”, diz.

Equipes motivadas e engajadas dão o máximo de si para alcançar os resultados. “Não há uma fórmula secreta para convencer as pessoas a colaborarem, mas descobrir e se importar com os objetivos da pessoa, e ter este alinhamento organizado, ajuda muito”, ressalta Roth.

 

 

Editado por Maximilian Santos
Crédito da foto: Divulgação.

 

 

 

A partir de R$ 300 em compras o cliente recebe uma ficha para concorrer a um toy art e a deliciosas experiências gastronômicas

1 junho, 2017 às 17:14  |  por Rafaela Salomon

A partir de R$ 300 em compras o cliente recebe uma ficha para concorrer a um toy art e a deliciosas experiências gastronômicas

 

Para deixar o Dia dos Namorados ainda mais especial, o Pátio Batel realiza a partir do dia primeiro de junho uma campanha divertida, com o objetivo de oferecer uma experiência diferenciada para os casais. Até o dia 12, os clientes que efetuarem compras a partir de R$ 300 nas lojas participantes, poderão trocar suas notas fiscais por uma ficha (limitada a uma unidade por CPF) para brincar em uma das toy machine’s instaladas no piso L1. Alguns desses personagens virão com surpresas e além de levar para casa um dos toy art’s, os clientes podem ganhar deliciosas experiências gastronômicas:

  • Jantar no La Varenne
  • Jantar no Pobre Juan
  • Jantar no Alessandro & Frederico
  • Jantar no La Pasta Gialla
  • Jantar no Madero
  • Aula de preparação de coquetéis no Gards Rooftop Bar

 

Para completar a experiência, o shopping preparou um cenário em sua praça de eventos criado especialmente para a data. Todo ambientando na cor rosa, remetendo ao clima romântico do dia dos namorados, os casais poderão garantir fotos super bacanas e aproveitar para se divertirem nos balanços que serão instalados no cenário.

 

São cinco toy arts, cada um com uma história diferente, confira:

image005image009image011image013

image007

José Pio Martins e Osvaldir Benato

Casteval e Universidade Positivo lançam concurso para a elaboração de projeto de casa em condomínio, em Curitiba

1 junho, 2017 às 17:06  |  por Rafaela Salomon

A Casteval Construção e Incorporação e a Universidade Positivo assinaram nessa quarta-feira (31/5) termo de cooperação técnica para a realização do “Concurso de Ideias para Residência Unifamiliar em Condomínio”, que vai envolver os alunos dos cursos de Arquitetura e Urbanismo e de Engenharia Civil da instituição para a elaboração de estágio inicial de projeto para uma residência térrea de 250 m² num dos lotes de terreno do Condomínio Giuseppe Garibaldi, com área total de 869,41 m², localizado no bairro Santa Felicidade, em Curitiba. O condomínio conta com áreas de lazer e infraestrutura implementadas.“Essa ação visa a auxiliar na preparação dos futuros profissionais para o mercado de trabalho, aproximando a teoria da prática, ao mesmo tempo em que vai contribuir para a inovação no canteiro de obras, por meio da busca de novas soluções para projetos e processos construtivos, bastante focados em sustentabilidade e acessibilidade”, destacou o sócio fundador da Casteval Construção e Incorporação, Osvaldir Benato.

O reitor da Universidade Positivo, José Pio Martins, também ressaltou a importância desse intercâmbio. “Um concurso desse tipo tem dois grandes benefícios. Evidentemente, um deles é para a Academia que ganha no sentido de envolver os alunos, inclusive com a descoberta de soluções. Para a empresa, existe a possibilidade de ela se beneficiar de alguma inovação que apareça no projeto e de integrar a universidade com a atividade empresarial”, citou.

Além da área construída da residência térrea, o projeto deve levar em conta os seguintes cômodos para a edificação: 4 quartos (sendo 1 suíte máster, 1 suíte júnior e 1 demi-suíte), 3 vagas de garagem, salas (jantar/estar), cozinha, lavabo, banheiro de empregada, quarto de empregada/ despensa, lavanderia, lareira e churrasqueira. As propostas, em nível de estudo preliminar, deverão ser elaboradas a partir dos elementos técnicos fornecidos e deverão obedecer rigorosamente às normas brasileiras da ABNT, inclusive com acessibilidade em todos os cômodos; o Código de Obras e Edificações do Município de Curitiba e às diretrizes urbanísticas do empreendimento horizontal. As equipes inscritas farão três visitas ao empreendimento para verificação do terreno in loco.

Os projetos devem levar em consideração questões relativas à qualidade e à sustentabilidade, utilizando soluções que se traduzam em conforto ambiental e menor impacto possível, incorporando novas tecnologias para ganho em eficiência. Além dos aspectos plásticos, tecnológicos e de sustentabilidade, as soluções arquitetônicas devem privilegiar economia, agilidade construtiva, racionalização, desempenho e facilidades de operação e manutenção. As propostas serão avaliadas por uma comissão formada pelos seguintes jurados: dois arquitetos e urbanistas da Universidade Positivo, indicados pela coordenadoria do curso; dois arquitetos e/ou engenheiros representantes da Casteval Construção e Incorporação; um engenheiro civil, professor da Universidade Positivo; um arquiteto e urbanista com escritório atuante no mercado.

Os critérios de seleção serão: apresentação; integração com o entorno; solução funcional; design e diretrizes técnico-funcionais. Cada item poderá ser pontuado de 1 a 10 e a equipe que tiver a maior soma total será a vencedora. Todos os membros da equipe vencedora, que será a equipe com a maior pontuação geral, receberão como prêmio um ebook Kindle Amazon, 8ª geração, Tela 6’’, 4GB com WiFi. Caso a Casteval opte pela construção de uma entre as três propostas com maior pontuação, os integrantes da equipe que tiver o projeto implementado terão a oportunidade de realizar estágio remunerado na construtora, em período determinado. Caso o projeto não seja implementado, a oportunidade de estágio será oferecida aos integrantes da equipe vencedora.

O edital com as informações para participação ao concurso será publicado nessa quinta-feira (1º/6), no site da Universidade Positivo, com a abertura das inscrições, que seguem até 16/6/2017. A entrega das propostas pelas equipes inscritas – de três pessoas, sendo dois estudantes de Arquitetura e Urbanismo e um de Engenharia Civil – deve ser até o dia 30/7 e a divulgação dos resultados está prevista para 15/8.

 

Laguna na Ásia (2) (1)

Laguna na Ásia

1 junho, 2017 às 16:54  |  por Rafaela Salomon

A equipe da Construtora e Incorporadora Laguna acaba de retornar de viagem pelo Qatar e Líbano, onde esteve em busca de novas tendências em arquitetura, design e métodos construtivos visando os lançamentos de luxo previstos para 2017 e 2018. Na foto, Fabio Siqueira Giamundo (esq.), diretor de engenharia, Faissal Assad Raad, fundador da Laguna e Flávio Schiavon (dir.), arquiteto e sócio do escritório Baggio Pereira & Schiavon, em frente a um dos empreendimentos mais luxuosos do Líbano, o Beirut Terraces.

Foto blog

Estudo da IDC revela que mercado brasileiro de tablets apresentou queda de 8% no primeiro trimestre

1 junho, 2017 às 14:41  |  por Maximilian Santos

Após dois anos seguidos de quedas expressivas no primeiro trimestre, com 1,7 milhão (20% menos) de unidades comercializadas em 2015 e 836 mil (53% menos) em 2016, o mercado brasileiro de tablets atingiu a marca de 770 mil equipamentos vendidos no primeiro trimestre de 2017, queda de apenas 8% em relação ao mesmo período do ano passado e deve se estabilizar nos próximos meses. É o que aponta o estudo IDC Brazil Tablets Tracker, realizado pela IDC Brasil, líder em inteligência de mercado, serviços de consultoria e conferências com as indústrias de Tecnologia da Informação e Telecomunicações. Durante os meses de janeiro, fevereiro e março deste ano, a receita total do mercado foi de R$ 370 milhões, 28% a menos que no mesmo trimestre de 2016.

“Nos últimos dois anos, o mercado de tablets caiu principalmente por conta da alta do dólar, do crescimento dos smartphones com telas maiores e da saída de muitos fabricantes do país. No primeiro trimestre deste ano, notamos um mercado mais estabilizado, com empresas atendendo bem a demanda que existe no setor infantil, por exemplo. Por isso, a queda foi bem menor do que a dos anos anteriores”, avalia Wellington La Falce (foto), analista de mercado da IDC Brasil.

Já a queda na receita se deve a um fato específico: os fabricantes adotaram uma nova estratégia para alavancar as vendas e diminuíram os valores dos produtos porque o primeiro trimestre costuma ser bem fraco para o segmento de tablets. “O tíquete médio dos tablets no primeiro trimestre de 2016 era de R$ 615 e, em 2017, passou para R$ 485”, exemplifica La Falce.

Para a IDC, ao longo do ano de 2017 devem ser comercializados 3,7 milhões de dispositivos, ou seja, 7% a menos do que em 2016. “A tendência é de que o mercado se estabilize e volte a apresentar números positivos no segundo semestre, com a chegada de datas importantes para o segmento como Dia das Crianças, Black Friday e Natal”, conclui La Falce.

 

 

Editado por Maximilian Santos
Crédito da foto: Divulgação.

 

 

 

Ety Cristina Forte Carneiro-Diretora Executiva do Hospital Pequeno Príncipe

Grupo Massa no enfrentamento à violência infantojuvenil com o Pequeno Príncipe

29 maio, 2017 às 15:02  |  por Maximilian Santos

Os veículos de comunicação do Grupo Massa firmaram uma parceria com o Hospital Pequeno Príncipe, em apoio a campanha “Pra Toda Vida”, de enfrentamento à violência infantojuvenil, promovida pela instituição. A Campanha Pra Toda Vida – A violência não pode marcar o futuro das crianças e adolescentes foi contemplada no ano de 2016 com o Prêmio Criança, concedido pela Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança e do Adolescente a projetos inovadores voltados à Primeira Infância.
Além de veicular chamadas institucionais na Rede Massa | SBT, spot de conscientização na Massa FM, banner e matérias no portal Massa News e ações nos shows promovidos pela Massa Play nos meses de maio e junho, os apresentadores, radialistas e colunistas vão aderir a causa, atuando com orientação e informação sobre o assunto, para os telespectadores, ouvintes e internautas.

“O projeto desenvolvido pelo Hospital Pequeno Príncipe se assemelha aos valores e posicionamento da Rede Massa|SBT. Por conta do nosso grande alcance midiático e poder de mobilização em nossos veículos de comunicação, priorizamos sempre campanhas que façam a diferença e que contribuam para a sociedade”, afirma Gislayne Muraro, Gerente de Marketing do Grupo Massa.

O Hospital Pequeno Príncipe é referência no atendimento de casos de suspeita de violência desde a década de 1970, quando os profissionais iniciaram o atendimento diferenciado às crianças que chegavam à instituição com lesões incompatíveis com as histórias relatadas por seus responsáveis. Desde então, desenvolve ações de mobilização e conscientização sobre o tema. Em 2006, essas atividades foram formalizadas como parte da Campanha Pra Toda Vida – A violência não pode marcar o futuro das crianças e adolescentes.

“A campanha busca mobilizar os diversos atores da sociedade contra a violência, capacitá-los e encorajar para a denúncia, além de trabalhar a autoproteção. Trabalhamos desde os anos 1970 recebendo crianças e adolescentes vítimas. A Campanha Pra Toda Vida nasceu em 2006 como uma iniciativa de caráter contínuo que, junto à sociedade, tem buscado proteger mais e educar melhor meninos e meninas para a autonomia, vislumbrando um futuro promissor para as novas gerações”, destaca Ety Cristina Forte Carneiro (foto), Diretora Executiva do Hospital Pequeno Príncipe.

 

 

Editado por Maximilian Santos.
Crédito da foto: Divulgação / P.P

 

 

yashitta

Pesquisa mostra mudança no hábito de consumo em restaurantes no Brasil

25 maio, 2017 às 21:08  |  por Maximilian Santos

O cenário econômico desafiador dos últimos dois anos impactou os hábitos de consumo dos brasileiros que passaram a fazer escolhas mais racionais e usar mais promoções nas suas refeições fora do lar, segundo revelou a pesquisa CREST, realizada pela GS&Inteligência, empresa do Grupo GS& Gouvêa de Souza, que entrevista 72 mil consumidores por ano no Brasil.

Alimentação fora do lar – A pesquisa aponta que os brasileiros continuam frequentando os restaurantes em todo o Brasil, porém passaram a priorizar as refeições mais importantes na sua percepção, “ou seja, eles priorizam o almoço e lanche da tarde, principalmente durante os dias da semana, e passam a consumir menos nas refeições periféricas do dia, como o café da manhã, o lanche da manhã e nas refeições de entretenimento no final do dia e aos finais de semana”, explica Eduardo Yamashita (foto), diretor de Inteligência de Mercado da GS&Inteligência, responsável pelo estudo.

Promoções – Outro aspecto interessante apontado pelo levantamento foi o aumento no uso de promoções nas refeições (seja cupons de desconto, compre 1 leve 2, entre outros), que cresceu +6% na comparação do ano móvel de Mar/17 x Mar/16.

Oferta certa no momento certo – Reforçando a tendência de racionalização, os consumidores têm dado preferência aos restaurantes que oferecem a oferta de valor certa para um dado momento de consumo, “ou seja, os consumidores não querem errar e continuam a frequentar aqueles restaurantes que oferecem a melhor relação entre conveniência, produto, preço, promoção e experiência para o momento de consumo em questão”, esclarece Yamashita, que cita como exemplo as padarias.

Os consumidores continuam frequentando as padarias durante a manhã, mas há uma queda de mais de 30% no tráfego (ano móvel de Mar/17 x Mar/16) de pessoas nas padarias na hora do almoço, uma vez que esse tipo de estabelecimento não oferece uma boa oferta de valor para os consumidores nesse momento do dia.

Repensar a oferta de valor – “As tendências e mudanças no comportamento de consumo, como a maior racionalização que vimos em 2016, continuam presentes em 2017, mas estão atenuadas”, comenta o diretor de Inteligência de Mercado da GS&Inteligência. “No curto prazo é importante que os restaurantes repensem a sua oferta de valor para os momentos de consumo nos quais são reconhecidos, como a padaria durante a manhã ou um restaurante por quilo na hora do almoço, mas no médio prazo, a diversificação desses momentos de consumo é o que garantirá o crescimento de vendas para esses estabelecimentos”, aponta Eduardo Yamashita.

 
Editado por Maximilian Santos.
Crédito da foto: Divulgação.

 

 

 

IBGC - Carlos Peres - Capítulo Paraná

Palestrantes vão compartilhar, em Curitiba, experiências sobre os desafios da gestão familiar

24 maio, 2017 às 18:26  |  por Maximilian Santos

O Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) irá promover, nesta quinta-feira (25), a palestra Governança da Família Empresária. Destinado a acionistas e conselheiros de empresas familiares, o evento tem como objetivo levar ao público orientações para os desafios que impactam no desempenho das empresas de controle familiar, além de fortalecer a unidade e a integração da família para com a empresa, visando construir um projeto de gestão com foco no longo prazo.

Entre os palestrantes, estão a executive coach e membro da Comissão de Empresas de Controle Familiar do IBGC, Cris Bianchi, e a diretora de Novos Negócios da Thermomix do Brasil e diretora do departamento de agronegócios da FIESP, Nuria Pont. A mediação será de Sandra Papaiz, sócia da Papaiz Empreendimentos Imobiliários. Juntas, elas discutirão o tema e compartilharão suas experiências com o público.

O coordenador geral do IBGC para o Capítulo Paraná, Carlos Peres (foto), ressalta a importância e a atualidade do tema. “A palestra levará ao público discussões sobre assuntos que interferem diretamente no dia a dia das empresas, além de promover a boa relação entre os membros da família e a longevidade dos seus negócios.”

O evento terá início a partir das 18h, no Curitiba Trade Center Office Building (Alameda Dr. Carlos de Carvalho, 417 – Centro). As inscrições são gratuitas, com vagas limitadas. Mais informações pelo telefone (11) 3185-4200.

 

Editado por Maximilian Santos.
Crédito da foto: Divulgação.

 

 

 

Adriana mulher

Operação Lava Jato contribuiu para que as organizações repensassem os seus modelos de negócio

24 maio, 2017 às 13:02  |  por Maximilian Santos

O Brasil continua em destaque mundial por causa de seus escândalos políticos envolvendo companhias nacionais e internacionais. A Operação Lava Jato é um exemplo clássico de como uma grande estatal passou de maior empresa do país em patrimônio à agente principal de um esquema de lavagem de dinheiro – o mais comentado dos últimos tempos.

Apesar de ser um case de insucesso em gestão, a Operação Lava Jato contribuiu para que as organizações repensassem os seus modelos de negócio, com foco nos serviços de suporte à gestão transparente e eficiente. Além das organizações de capital aberto, destacam-se neste processo as Pequenas e Médias Empresas, que sentiram a necessidade de participar desse movimento junto com as grandes corporações a fim de manter o controle periódico de suas atividades.

“O cenário muda quando se trata de Governança Corporativa no universo das PME’s, pois podemos analisar duas categorias dentro dessa dimensão: as empresas com maturidade organizacional e as que nasceram pequenas, mas continuam imaturas mesmo tendo crescido em termos de mercado. Neste segundo caso, por vezes estas empresas são provenientes de ecossistema de startups”, revela Adriana Almeida (foto), sócia-gerente da De Biasi. “Dependendo da análise de cada estrutura, o desenho de implantação do sistema de gestão terá as suas particularidades e um tempo muito maior para que a empresa entenda e aplique uma nova cultura em seu meio”.

A executiva acrescenta que o papel da consultoria é apoiar as organizações no que tange à conformidade com as leis vigentes e melhores práticas de mercado e que em tempos de Lava Jato pôde-se sentir um aumento na demanda por serviços que envolvem a implantação e melhoria de procedimentos e processos e conformidade fiscal. “Contudo, a demanda ainda é incipiente e contrasta com o alto potencial de mercado que essas pequenas organizações possuem – com forte participação na atividade econômica brasileira”, salienta.

Preceitos da Governança Corporativa – O desdobramento da Operação Lava Jato é parte de uma estratégia de Governança Corporativa malsucedida e se reflete em todos os âmbitos empresariais, inclusive na geração de valor de uma empresa. Adriana destaca que os preceitos básicos que tornam uma corporação transparente no mercado é a objetividade, honestidade, competência e bom comportamento profissional, sendo a transparência a principal base da Governança. “Pode parecer clichê, mas o que podemos extrair do cenário atual é que nem sempre a aparência da empresa está alinhada ao que ela realmente comunica no mercado”.

Neste cenário, o compliance se torna um dos grandes agentes responsável pela mudança de pensamento e cultura. “O nosso desafio na De Biasi é contribuir com as empresas na identificação e mapeamento de riscos, acompanhar o relacionamento com os reguladores governamentais e novas medidas da legislação tributária brasileira”, finaliza a executiva.

Confira as principais vantagens da Governança Corporativa:

Transparência - A falta de conhecimento ou incongruências na comunicação/administração da empresa pode afetar a saúde dos seus negócios. A transparência é a base da Governança Corporativa.

Capital Humano – Com os processos definidos, a empresa passa a ter uma melhor estrutura de capital humano em que são levados em consideração a atratividade, retenção e sucessão de talentos. Essas práticas ajudam a tornar a empresa mais competitiva, pois seus colaboradores, gestores, gerentes, proprietários, fornecedores e clientes se tornam os porta-vozes/embaixadores da empresa.

Prestação de Contas – Possui forte vínculo com ações de compliance, na qual as empresas assumem integralmente as consequências de seus atos e omissões. A Prestação de Contas garante lisura interno-externa, sendo que o papel das auditorias externas é o de acompanhar periodicamente este processo para que não haja erros.

Compliance – Esta área desempenha um papel importante na saúde dos negócios, garante o cumprimento das leis vigentes, promove a segurança dos dados e zela pela integridade da empresa. Gerencia o relacionamento com os reguladores governamentais e acompanha novas medidas legislativas.

Definição Sucessória – De quem é a palavra final? Neste tópico identificamos a importância de se ter um plano definido de sucessão. Com a Governança Corporativa, é possível estabelecer uma hierarquia empresarial em que os colaboradores saibam claramente para quem responder. Além disso, é importante que a empresa esteja precavida de possíveis acontecimentos em que haja a necessidade de sucessão instantânea de seu corpo diretivo.

 

 

Editado por Maximilian Santos.
Crédito da foto: Divulgação.