A praia de Renato

1 março, 2012 às 16:47  |  por Silvio Rauth Filho

Feijão e arroz. Futebol e cerveja. Renato Gaúcho e praia. São combinações quase inevitáveis. Não é a toa que Renato Gaúcho não passou muito tempo no frio de Curitiba. Técnico do Atlético em 2011, ele agora está empolgado com outro projeto. É capitão de uma das equipes que representarão o Brasil no 2º Mundial de Futevôlei Sul-América 4×4, disputado de 8 a 10 de março, no Rio de Janeiro. Em texto enviado pela assessoria de imprensa do evento, Renato se mostra motivado com o desafio. “Com certeza, todo mundo estará mais bem preparado do que no ano passado, quando o Mundial já teve um alto nível. Nossa expectativa, como não poderia deixar de ser, é conquistar o título”, disse o ex-jogador do Grêmio, que rasga elogios ao Rio de Janeiro. “É a melhor cidade do mundo e o campeonato não poderia acontecer em outro lugar. Praia e futevôlei têm tudo a ver”, declarou.

Joelson na segundona

29 fevereiro, 2012 às 17:26  |  por Silvio Rauth Filho

Que torcedor do Paraná Clube não lembra de Joelson? O meia-atacante passou pelo clube em 2008. Teve alguns lampejos de bom futebol, mas caiu de produção e virou alvo de vaias. Depois de deixar a Vila Capanema, rodou por Avaí, Mogi Mirim, Bahia, Vila Nova e Marcílio Dias. Hoje, aos 31 anos, disputa a 2ª divisão do Campeonato Mineiro, pelo Uberlândia. A competição está na 2ª rodada apenas, mas Joelson já marcou um golzinho.

 

Pintul em Curitiba

28 fevereiro, 2012 às 19:08  |  por Silvio Rauth Filho

A seleção da Bósnia consegue nos dias de hoje incomodar os grandes do futebol. Está em 19º lugar no ranking da Fifa e só não se classificou para a Eurocopa 2012 por um pontinho. Ficou atrás apenas da França no seu grupo das eliminatórias. Os principais jogadores da seleção jogam na 1ª divisão da Alemanha, da França, da Inglaterra, da Espanha e da Itália. Dzeko, Pjanic, Ibisevic e Salihovic são nomes conhecidos para quem acompanha o futebol europeu. Mas no final dos anos 90 o futebol da Bósnia tinha pouca representatividade. Mesmo assim, em 1997, o Atlético decidiu apostar em um zagueiro da Bósnia. Sanin Pintul chegou ao clube em 1997. Jogou apenas uma partida. Não agradou e deixou o clube sem qualquer destaque. Antes de se aventurar no Brasil, vagou por clubes pequenos da Alemanha (Stahl Brandenburg, VfB Oldenburg e Concordia Ihrhove). Entre 1996 e 1997, chegou a disputar sete partidas pela sua seleção. Depois da passagem pelo Furacão, foi para o Karabukspor, da Turquia, e para o Young Boys, da Suíça. Hoje tem 41 anos e seu paradeiro é desconhecido. Pelo menos para o público brasileiro.

Em queda

23 fevereiro, 2012 às 19:36  |  por Silvio Rauth Filho

O site Transfermarkt, da Alemanha, estabelece um valor de mercado para os jogadores que atuam nas principais competições do mundo, como Brasileirão, Campeonato Inglês, Alemão, Argentino, Espanhol e outros. O atacante Santiago “Morro” García teve uma queda no seu valor desde que chegou ao Atlético. Em junho, quando tinha o status de artilheiro do Campeonato Uruguaio, pelo Nacional, o jogador estava avaliado em dois milhões de euros. Depois disso, o site só fez uma atualização na ficha de Morro García, em dezembro. Agora está avaliado em 1,3 milhão de euros – cerca de R$ 3 milhões. O Atlético pagou cerca de R$ 7 milhões pelo atacante, de 21 anos.

R$ 2 milhões por ano

15 fevereiro, 2012 às 15:35  |  por Silvio Rauth Filho

O meia-atacante David Ferreira, 32 anos, não pode reclamar da vida. Tem um dos dez maiores salários da Major League Soccer, a principa liga de futebol nos Estados Unidos. A informação é do site Futebol Finance. O colombiano jogou de 2005 a 2009 no Atlético, disputanto 178 jogos e marcando 38 gols. Em 2009, foi negociado para o Dallas FC, onde está até hoje. Desde a primeira temporada, virou um dos destaques da equipe norte-americana e agora ganha 927.428 euros por ano (cerca de R$ 2,1 milhões). A merreca equivale a R$ 175 mil mensais.

 

Apagão Tático

13 fevereiro, 2012 às 15:18  |  por Silvio Rauth Filho

Demorou, mas alguém tomou coragem de provocar uma discussão mais profunda sobre o futebol brasileiro. A Pluri Consultoria divulgou nesta segunda-feira (dia 13) para a imprensa um relatório sobre a Copa Libertadores. A principal discussão é a desproporção entre o valor gasto pelos clubes brasileiros e a qualidade do futebol apresentado. Para a Pluri, o futebol brasileiro vive “um APAGÃO TÁTICO”.  Veja esse trecho do relatório: “Não há nada de novo sendo produzido pelos técnicos Brasileiros. Pior, não temos conseguido sequer copiar o que vem ocorrendo lá fora, onde se joga atualmente um futebol mais bonito. Os jogadores brasileiros são pouco eficientes taticamente, praticam um futebol burocrático, caracterizado por muito individualismo, enormes espaços vazios em campo e excessiva lentidão (ou correria desenfreada). Além disso, atualmente somos campeões mundiais em faltas, catimba, simulação e reclamação com o juiz. Tudo isso deveria ser corrigido pelas comissões técnicas, e monitorado de perto pelos clubes, que deveriam valorizar a venda de um produto de melhor qualidade a seus consumidores (torcedores). Talvez seja hora de reavaliarmos alguns preconceitos (sim, eles existem) e aumentar nosso intercâmbio com o resto do mundo, até mesmo como forma de arejar o ambiente futebolístico nacional.”

Para quem quiser ler na íntegra, é possível baixar o aqui PDF no site da Pluri.

Artilharia paulista é paranista

9 fevereiro, 2012 às 17:28  |  por Silvio Rauth Filho

Hernane, sete gols. Giancarlo, cinco gols. Esses são os dois primeiros colocados na tabela de artilheiros do Campeonato Paulista, após seis rodadas. O primeiro joga pelo Mogi Mirim. O segundo, pelo Bragantino. Em 2011, os dois disputaram a Série B pelo Paraná Clube, mas não tiveram o mesmo desempenho de agora. Hernane marcou dois gols e fez três assistências em 16 partidas na segundona nacional. Giancarlo foi o artilheiro do time na competição, com oito gols em 30 partidas (23 como titular). Fez também cinco assistências. Ele ainda tem vínculo com o Paraná Clube e retornará do empréstimo para a disputa da Série B 2012.

Você lembra do Hernane no Paraná Clube? Pois é. Agora, pelo Mogi Mirim, está fazendo gol até no Corinthians.

Trio Parada Dura

7 fevereiro, 2012 às 18:37  |  por Silvio Rauth Filho

O Bragantino virou uma espécie de “filial” do Paraná Clube. Sem calendário nos primeiros meses do ano, o time paranaense emprestou os volantes Serginho e Cambará, o meia Welington e o atacante Giancarlo para a equipe paulista. Até agora, após cinco rodadas, os sete gols do Bragantino foram marcados pelo trio Giancarlo (três gols), Welington (dois) e Serginho (dois). Cambará ainda não jogou, devido a contusão. Por coincidência, o time paulista conta com mais dois titulares que atuaram no Paraná Clube: o zagueiro Luís Henrique e o meia Fernando Gabriel. No entanto, os dois não possuem mais vínculo com o Tricolor da Vila Capanema. Após o Paulistão 2012, os quatro emprestados retornar para o Paraná, para a disputa da Série B.


Serginho marcou gol contra o Corinthians, no empate por 1 a 1, no último domingo.

Welington marcou gol na derrota para o Palmeiras, por 2 a 1, na estreia no Paulistão

A previsão de Pinto

5 fevereiro, 2012 às 15:27  |  por Silvio Rauth Filho

“O Cianorte tem tudo para ser o destaque do Interior. Tem boa estrutura e vem organizado para esse campeonato”. A frase é de Ricardo Pinto, ex-técnico do Paraná Clube e do Operário de Ponta Grossa. Ele fez a declaração no programa Papo de Craque, da Rádio Transamérica, antes do início do Campeonato Paranaense. Até agora, Pinto acertou na mosca.

Ricardo Pinto foi demitido pelo Paraná em 2011, após a terceira rodada da Série B, quando tinha bom aproveitamento de pontos.

Teló desperta a fúria no Ecoestádio

2 fevereiro, 2012 às 15:46  |  por Silvio Rauth Filho

Intervalo de jogo no Ecoestádio Janguito Malucelli, na última quarta-feira. A turminha de imprensa faz a tradicional rodinha nas proximidades das arquibancadas. Cada um com seu crachá, que traz um gigantesco símbolo do Atlético. Quem vê de longe, imagina que a turma de jornalistas, na verdade, é uma equipe de funcionários do clube. Nesse momento, o sistema de som do estádio dispara o clássico de Michel Teló. Delírio nas arquibancadas? Não. Um torcedor, com pose de machão (e de beberrão), subiu as arquibancadas furioso. Foi em direção à rodinha da imprensa aos berros. “O Atlético é rock. Tira essa porcaria do som. Todo mundo sabe que o Atlético é rock”. Ninguém deu bola para o coitado, apesar de todos ali concordarem com o conteúdo do protesto, mas não com a forma desvairada da manifestação individual.

Não adianta nada dizer que Teló é paranaense. Mas adianta dizer que ele é gremista.

 

E para colaborar com a tese do protestante, segue o cartaz do aniversário de 30 anos da Fanáticos, que teve o show do Motorocker.

Do Atlético para a Moldávia

31 janeiro, 2012 às 16:31  |  por Silvio Rauth Filho

Jhonatan da Silva Pereira, 23 anos, meia-atacante. Revelado na base do Grêmio, chegou à seleção brasileira sub-18 em 2007. Em 2009, aceitou proposta do Atlético e chegou ao CT do Caju naquele ano. Teve pouco espaço no Furacão. Chegou a ser escalado pelo técnico Waldemar Lemos no Brasileirão de 2009. Foram apenas três jogos, nenhum como titular. Em 2011, trocou Curitiba pela Moldávia. Hoje, é titular do Sheriff, líder do campeonato nacional. Em 16 rodadas, foi titular em 13, mas só marcou um gol e fez uma assistência. Jogou também as duas partidas do clube na Liga Europa, contra o Zeljesnicar, da Bósnia, que ficou com a vaga. Jhonatan é um dos 15 estrangeiros no Sheriff. No último jogo da equipe, apenas dois jogadores da Moldávia foram titulares. O técnico é da Bielo-Rússia e os atletas são de todos os cantos: Argentina, Costa do Marfim, Rússia, Geórgia, Gana, Eslovênia, Bulgária, Serra Leoa… A Moldávia está situada entre a Ucrânia e a Romênia e possui 4 milhões de habitantes.

Lio na lista dos 22

30 janeiro, 2012 às 15:57  |  por Silvio Rauth Filho

Lio Evaristo não é mais técnico do Rio Branco, de Paranaguá. Ele pediu demissão na noite de domingo e, nesta segunda-feira, acabou se desligando do clube. A saída é estranha. O treinador sofreu duas derrotas “normais”. Na estreia, perdeu fora para o Corinthians-PR, o melhor elenco depois da dupla Atletiba. Em seguida, venceu o Toledo em casa. No domingo, perdeu para o Atlético. Outro resultado “normal”. Aparentemente não havia sinais de desentendimento entre o treinador e jogadores. Ele também negou problemas com integrantes da diretoria, apesar de boatos que um dirigente invadiu o vestiário após o jogo do domingo.

Lio Evaristo e Carrasco, em Paranaguá (foto: Franklin de Freitas)

O Rio Branco perde muito. Lio é uma das grandes promessas do futebol paranaense. Mostrou talento nas categorias de base do Atlético e sempre se destacou em equipes do Interior. Agora, passa a fazer parte da lista de 22 treinadores que já perderam o cargo em 2012.

Entre Pelé e Maradona, revista dos EUA acha que Messi foi o melhor

27 janeiro, 2012 às 17:57  |  por lycio

Quem era melhor, Pelé ou Maradona? Para arevista norte-americana Sport Illustrated, entre Pelé e Maradona, o melhor da história mesmo era Messi. Ao menos é o resultado de uma enquete de 10 jornalistas, incumbidos também de montar a seleção de todos os tempos.

Na lista, Pelé é apenas o quarto melhor do mundo. O detalhe é que Pelé comeu a bola enquanto jogou no New York Cosmos, dos Estados Unidos, de 1974 a 1977. Pelo jeito, os norte-americanos não viram direito…

A eleição feita pela revista conta com bizarrices, como a classificação do brasileiro naturalizado espanhol Marcos Senna (141º do mundo, à frente de gente como Sócrates ou Rivellino.

Estes são os 20 primeiros e os brasileiros:

1º – Messi
2º – Diego Maradona
3º – Johan Cruyff
4º – Pelé
5º – Franz Beckenbauer
6º – Lev Yashin
7º – Michel Platini
8º – Bobby Moore
9º – Zinedine Zidane
10º – Ferenc Puskas
11º – Gerd Müller
12º – Marco Van Basten
13º – Nandor Hidegkuti
14º – Franco Baresi
15º – Paolo Maldini
16º – Alfredo Di Stéfano
17º – Xavi
18º – Zico
19º – Ronaldo
22º – Roberto Carlos
24º – Ronaldinho Gaúcho
28º – Garrincha
29º – Carlos Alberto
34º – Falcão
40º – Romário
45º – Nilton Santos
57º – Cafu
78º – Toninho Cerezo
85º – Didi
91º – Djalma Santos
100º – Daniel Alves
114º – Maicon
127º – Junior
130º – Domingos da Guia
131º – Rivaldo
136º – José Altafini Mazola
141º – Marcos Senna

Saudades do Onaireves?

26 janeiro, 2012 às 18:12  |  por Caio Derosso

Série Prata ou Divisão de Acesso? Qual o nome oficial da segunda divisão do Campeonato Paranaense? A resposta está no site oficial da Federação Paranaense de Futebol. Desde que Helio Cury assumiu a presidência o nome da competição é o mais simples possível. Não há eufemismos para esconder que a divisão abaixo da primeira é a segunda. E ponto final. Está lá no site www.federacaopr.com.br que o nome é “segunda divisão”. Mesmo assim, parte da imprensa paranaense vem adotando os termos “Série Prata” e “Divisão de Acesso”, criados por Onaireves Moura, ex-presidente de entidade. Estariam alguns jornalistas com saudades do Severiano-ao-contrário?