O fenômeno Tiririca - Como fica?

04/10/10 às 00:00 Cláudio Boriolla

Fica claro que, o povo está exausto de políticos e politicagem. Fica claro que, os brasileiros gostam da vida, do riso e do sorriso! Fica mais claro ainda que, há o exercício da Democracia!

Mais claro está a falha da Lei Eleitoral, do Sistema de Partidos Múltiplos, com direito às coligações! As Leis precisam emanar de pessoas inteligentes.

Mais claro ainda está que, nossas Casas de Leis estão sujeitas aos percalços do Saber e da Ignorância. Fica evidente que, os arautos da Democracia jogam sujo com o povo, inocente!

Muito visível a falta de um Planejamento das pretensões dos candidatos e, dos que galgam o Poder pelo aproveitamento da sobra partidária de votos!

Bastante claro que, pouco interessa aos legisladores, elaborar leis, que filtram mais, a legítima apuração dos anseios populares!
Vota-se mais, por desincumbência, sob protestos e mérito;  menos por amor à purificação do Sistema Eleitoral Brasileiro!

Uma recomendação é bastante válida. Onde há tiririca, só as galinhas extirpam o mal pela raiz; porque elas vão fundo, na busca das batatinhas, dessa praga do campo.

Recomenda-se às Câmaras e ao Senado Federal-:

- Que se façam leis, exigindo-se um mínimo de instrução e escolaridade para ser candidato.
- Que se exija o extermínio das coligações, com pequenos Partidos, para fins somatórios de votos.

Quem quer ser gente, na Política, que cresça e apareça, expondo suas intenções partidárias objetivas, apontando os caminhos a serem seguidos, num compêndio partidário, eletivo, sobre suas ideias, projetos e luta democrática. Um compêndio de intenções e visão política do candidato é essencial, à habilitação, vivência política e disputa.

E, após as eleições serão cobrados esses projetos específicos ou assuntos, que levaram o candidato ao pódio do Poder Político a exercer, também, em caso de  reeleição, em outros pleitos, futuros.

Para depuração do Sistema Eleitoral e expurgo, realmente, válido, as eleições devem ser partidárias, nas três esferas de eleição - Federal, Estadual e Municipal. Assim, o povo terá oportunidade de escolher o Partido Político – A, B, C, D, etc, e pela soma de suas filosofias político-administrativas, seus homens de escol e, dentre as melhores opções do eleitorado, conforme esfera – União, dos Estados, dos
Municípios e Distrito Federal. Será isto possível?! Basta força de vontade do legislador.

Sim, desde que, os atuais empossados não entrem, nos chamados corredores partidários, no mesmo trem da alegria, sempre fazendo jus aos soldos percebidos, do Erário Público, em benefício da coletividade, do povo, que os elegeram, e quer melhorias – saúde, educação, trabalho,  progresso e paz, de forma sincronizada.

Que, os novos empossados, em janeiro de 2011, sigam estas metas, legislando uma Nova Lei Eleitoral. Sair da apatia e do marasmo é próprio do líder inteligente. Será que o teremos? Assim agindo e legislando, haverá um novo Sistema Político Nacional, para o bem de todos dessa Nação, que de 2011 para frente, deixarão a inércia para a eclosão do Saber e da Ciência Política Brasileira. Quem sabe alguém acordará?! Você poderá aderir e legislar.

Cláudio Boriolla é consultor financeiro

1 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

CRISMA
fICA MAIS CLARO AINDA, QUE O POVO É UM VERDADEIRO IDIOTA, QUE NUNCA VAI APRENDER A VOTAR, COM TUDO ISSO MAIS A ROUBALHEIRA DA ALEP DO PARANA, VOTARAM NOVAMENTE NO ALEXANDRE CURI E NELSON JUSTUS, O POVO DEVE PASSAR FOME MESMO !!!!!!!!
Blogs
Ver na versão Desktop