PM apreende armadilhas para captura de animais silvestres em Antonina

Armadilhas seria utilizada para caçar tatu, animal nativo das matas do Paraná

26/01/11 às 09:20 - Atualizado às 09:20 Redação Bem Paraná

Policiais Militares que atuam na Operação Viva o Verão Costa Leste, pertencentes ao Batalhão de Polícia Ambiental, apreenderam na tarde desta terça-feira (25), diversas armadilhas para captura de animais silvestres, durante patrulhamento a pé nas trilhas abertas por caçadores e palmiteiros que atuam na região da Área de Preservação Permanente da Mata Atlântica, na cidade de Antonina.

A equipe de  policiais deslocou em patrulhamento pela região conhecida como Faisqueira, no intuito de fiscalizar delitos ambientais. Após mais de seis horas de patrulhamento a pé conseguiram encontrar um homem que observando a aproximação dos policiais fugiu do local abandonando seuas ferramentas de caça.

Foram apreendidos uma espingarda calibre .32 carregada, um saco,  que continha, doze pitos de nylon e um de arame (armadilhas comumente utilizada na região para a captura de tatus), e um do alforje de couro, onde foram encontrados três frascos de pólvora, dois frascos de chumbo, setenta e cinco espoletas CBC, instrumentos para recarga de cartuchos e um estilingue além de treze cartuchos calibre.32 intactos e cinco deflagrados.

Todo o material foi encaminhado para a 7ª Delegacia Regional de Polícia em Antonina para a apuração do ilícito através de instauração de inquérito policial.

O Batalhão de Polícia Ambiental informa que o tatu é um mamífero que possui uma espécie de carapaça (armadura) que cobre e protege seu corpo. Trata-se de um animal nativo das matas do Paraná, e sua preservação é essencial para o ecossistema local, o qual infelizmente tem sido vítima de caçadores profissionais da região.

A Lei de Crimes Ambientais Lei nº 9.605/98, onde fica especificado no Art. 29  que matar,  perseguir,  caçar,  apanhar,  utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão,  licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida, é crime e resulta em detenção de seis meses a um ano, e multa.  

Em casos de denúncias o Batalhão de Polícia Ambiental informa para que se ligue para disque denúncia da Força Verde pelo telefone 0800 643 0304. A ligação é gratuita e a pessoa não precisa se identificar. 

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop