18º

Em Curitiba, 38% dos homens são pais, indica pesquisa do Ibope

Pesquisa indica que 59% deles têm dificuldade de dizer não aos filhos

11/08/11 às 17:26 - Atualizado às 17:29   |  Redação Bem Paraná

 Entre os homens brasileiros, 35% são pais/tutores ou responsáveis diretos por algum morador do domicílio, de acordo com o IBOPE Media, que realizou pesquisa para mostrar os hábitos de consumo e de saúde deles. Foram ouvidas 20.736 pessoas entre fevereiro de 2010 e janeiro de 2011 nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte, Salvador, Fortaleza, Recife, Brasília e interiores de São Paulo e das regiões Sul e Sudeste.  De acordo com a pesquisa, que usou a ferramenta Target Group Index, as capitais onde há mais pais são Recife e Curitiba: 38% dos homens dessas cidades têm filhos. Salvador, por sua vez, é a metrópole que apresenta o menor índice: apenas 29% dos homens são pais.

Ao estudar os hábitos de saúde dos pais, a pesquisa mostra que apenas 39% deles dizem praticar alguma atividade física e que 64% admitem que precisam estar realmente doentes para procurar um médico. Apenas 27% seriam capazes de fazer uma cirurgia para melhorar a aparência física.

Quando indagados sobre hábitos de consumo, 59% declararam ter feito compras pessoais nos últimos 30 dias. Desses, somente 22% fizeram compras pela internet. A preferência deles é por lojas de rua (78%) e shoppings (63%), sendo que 65% compraram roupas masculinas, 60% calçados e 52% roupas femininas. A maioria (78%) procura ofertas e descontos. Para adquirir um bem mais caro, 66% preferem se planejar antes.

Para 80% dos pais, a educação dos filhos é prioridade e 60% garantem que criam as crianças para o mundo. Em relação ao consumo, a minoria dos pais diz que as crianças influenciam nas compras de casa (37%) e 59% admitem que é difícil dizer não aos filhos.

"No geral os pais brasileiros estão satisfeitos com seu estilo de vida, eles priorizam a educação dos filhos, vão às compras, estão atentos a ofertas e descontos e planejam bem a compra de produtos caros, porém mais da metade desses pais declaram que vão sofrer quando os filhos saírem de casa", afirma Dora Câmara, diretora comercial do IBOPE Media.

 

Publicidade
1 Comentário
  • Seu Nome 28/02/12 às 18:11
    Este asnsuto de separacao e filhos e muito delicada, tenho uma menina de 5 anos e um menino de 2 anos, e vim a me separar depois de 11 anos de convivencia Mantenho sempre a imagem boa do pai, mesmo vindo um turbilhao de perguntas por parte da menina, os porques e como Sinto que nos saimos bem dessa, principalmente as criancas.