º

MPF diz que Andressa é 'mensageira do grupo criminoso' de Cachoeira

Mullher de bicheiro é investigada por corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

31/07/12 às 08:50 - Atualizado às 13:43   |  Redação Bem Paraná, com G1
(foto: Agência Brasil)

A empresária Andressa Mendonça, 30 anos, tornou-se "mensageira do grupo criminoso" do marido, o bicheiro Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira. As informações são do procurador Daniel Resende Salgado, do Ministério Público Federal em Goiás.

Andressa é suspeita de ter tentado chantagear o juiz federal Alderico Rocha Santos, responsável pelo processo da Operação Monte Carlo na Justiça Federal, que culminou na prisão do bicheiro em fevereiro. Nesta segunda, ela foi ouvida sobre essa suspeita pela Polícia Federal.

"A ousadia da companheira de Carlinhos Cachoeira ao chantagear e ofertar vantagem ao juiz federal, somada às galhofas observadas durante a audiência, mostra o desprezo e a afronta de Carlos Augusto de Almeida Ramos e de pessoas ligadas ao capo do grupo criminoso aos órgãos de persecução e ao poder judiciário. A gravidade do fato é latente, uma vez que a chantagem a um magistrado, no exercício de suas atribuições, com o escopo de pressioná-lo a decidir conforme os interesses do preso, é uma afronta ao próprio Estado Democrático de Direito. É fato inadmissível e que deve ser neutralizado, de forma rigorosa, pelas agências formais de controle", afirmou o procurador.

Salgado ainda disse que a organização denunciada pela Operação Monte Carlo continua atuando e afirmou: "É plenamente possível ele [Cachoeira] comandar o grupo, mesmo preso, através dela".

Suspeita de tentar chantagear o juiz federal responsável pelo processo da Operação Monte Carlo, Andressa é investigada em dois inquéritos abertos pelo MPF. De acordo com a procuradora Léa Batista, serão apurados os crimes de corrupção ativa, em um dos inquéritos, e lavagem de dinheiro, em outro. 

Em ofício enviado ao MPF, Santos relatou o encontro com Andressa, na última quinta-feira (26). Ele afirma ter recebido a esposa de Cachoeira após muita insistência. De acordo com o documento, a tentativa de constrangimento tinha como objetivo "obter decisão revogando a prisão preventiva e absolvição" de Carlinhos Cachoeira.

O G1 tentou falar com Andressa Mendonça, mas não obteve retorno. 

Publicidade
3 Comentários
  • silvia helena de borba 31/07/12 às 16:00
    CONTRAVENTOR, SENADOR, GOVERNADOR......

    É VIDA QUE SEGUE.
  • marcia 31/07/12 às 14:14
    existe algo de podre no reino da dinamarca
  • Rosan Nunes 31/07/12 às 09:36
    Eh. A compadragem segue curso livre. Cadê as leis rigidas capazes de fazer com que o Crime não cuspa, como tem feito, no rosto das autoridades e da sociedade. O Senado brasileiro, secularmente parasita ante a estes casos. segue sua sonolencia infindada, en quanto o Crime pisoteia a socieade que trabalha duro para para estes parasitas senatoriais. É o Brasil.