Mulher é condenada a indenizar ex-marido por fingir orgasmos

Homem acusou publicitária de injúria e difamação

05/09/12 às 19:23 Redação Bem Paraná com Agências Online

Uma publicitária de 23 anos foi condenada pelo juiz Antonio Ribeiro Rocha, do 2.º Juizado Cível de Vitória, a indenizar o ex-marido em dez salários mínimos por injúria e difamação. Mara Rocha, de 23 anos, foi acusada de ter simulado orgasmos durante as relações sexuais com Carlos Cavalcantti, de 43 anos, seu ex-marido.

Cavalcantti alegou ter sido desrespeitado depois que a ex-mulher publicou numa rede social uma frase dizendo: “Fingir orgasmos… quem nunca?”. A postagem repercutiu nos círculos de amizade de ambos, e o ex-marido resolveu cobrar explicações de Mara, mas teria recebido respostas irônicas.

“Não citei nomes, mas se a carapuça serviu, fique à vontade”. Em seguida, ela ainda teria provocado o ex, dizendo que “o infeliz ao invés de ficar tentando satisfazer seu ego deveria é aprender a satisfazer uma mulher na cama.”

Após a discussão, Cavalcantti buscou reparação na Justiça, acusando Mara de difamação e calúnia. Segundo o juiz Antonio Ribeiro Rocha, que acatou a denúncia, a ex-mulher iludiu Cavalcantti durante os três anos de casamento.

Mara não deixou barato, e ainda provocou o marido pela última vez. “Ele é tão consciente de sua incapacidade que só me processou por injúria e difamação, porque calúnia ele sabe que não é”.

7 Comentários
Antonio Moleiro
Muito simples, comprovou-se mais uma vez que: "mentira tem pernas curtas. " rss
Mauro Henrique
Depois que são tratadas como putas, ainda reclamam.
Thairo
Classico ne... quem ta defendendo aqui é mulher... agora naquele caso que a mulher processou o marido dela pq apos o casamento a mulher constatou que o pinto do marido era muito pequeno... aposto que nesse casos vc apoiam né... santa paciencia... mulher so defende mulher. e quando o homem nao as defende somos machistas!
Calíope Anaya
E eu não vi nenhuma ridicularização no comentário que gerou tanta repercussão. Nunca houve citação de nome e o ex-marido apenas tomou as dores.
Esse juiz ou foi comprado ou é um frustrado. Um absurdo essa condenação, se ele não sabia fazer que vá aprender. Ela que devia ganhar idenização por passar 3 anos transando sem prazer.
ALFREDO CFC
43-23=20 -OLOCO-
Dustin Leandro
Fingir orgasmo é uma coisa, agora querer ridicularizar o ex-companheiro é outra.
Teve o que mereceu. E ainda ficou com deboche mesmo sendo condenada. Mesmo assim, saio no prejuízo.
priscila noronha
quem nunca fingiu orgasmo com o parceiro, para ele ficar feliz.
se não fingi depois o marido procura na rua uma mulher que só tem prazer com dinheiro e sua profissão é fingir orgasmo.
Blogs
Ver na versão Desktop