Curitibanos protestam contra a lei da terceirização. Veja vídeo

02/04/17 às 16:43 - Atualizado às 16:52 Redação Bem Paraná
(foto: Divulgação)

Centenas de pessoas realizam na tarde deste domingo (2), na Boca Maldita, centro da cidade, um protesto contra a lei da terceirização sancionada pelo presidente Michel Temer, na última sexta-feira (31). A convocação do ato  foi através das redes sociais e do watsapp. A manifestação tem o apoio das centrais sindicais, movimentos sociais e demais instituições da sociedade civil organizada como o movimento “Todos contra o fim da Aposentadoria”, cuja página no Facebook, possui mais de 440 mil curtidores.

De acordo com a Polícia Militar, 200 pessoas participam do protesto, mas segundo os organizadores são 2 mil. 

“Não resta dúvida que liberar a terceirização de forma indiscriminada vai precarizar a situação dos trabalhadores e da economia do país, já que os números provam que terceirizados ganham menos e tem direitos reduzidos. É uma vergonha o empenho do governo para acabar com os direitos trabalhistas, situação que não vai ter efeito nenhum na economia. Enquanto penaliza os trabalhadores, não mexe um dedo nos privilégios da elite política e empresarial, mantidos com dinheiro público ”, diz Sérgio Butka, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba, filiado à Força Paraná.

As Centrais e os demais movimentos estarão entrando em contato com Fórum Paranaense de Combate à Terceirização, formado, entre outras entidades, pela Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho (Anamatra) e o Ministério Público do Trabalho, para estudar a possibilidade de entrar com recursos alegando a inconstitucionalidade da nova lei.

Diante da gravidade da situação, novas manifestações poderão acontecer não só em Curitiba como em todo o país. A Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM) está em contato com mais de 150 sindicatos filiados para programar atos ainda esta semana.

 

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop