Filhotes: veja como cuidar dos cães e gatos

Cuidados e produtos específicos fazem toda a diferença na saúde dos animais

30/05/17 às 17:16 Redação Bem Paraná com assessoria
(foto: Divulgação)

Receber um novo amigo em casa é sempre uma alegria para toda a família. Filhotes de cães e gatos são fofinhos e suas travessuras costumam encantar a todos, porém eles precisam de cuidados especiais e produtos específicos para garantir sua saúde e bem-estar.

Confira as dicas da coordenadora de Medicina Veterinária da Universidade Positivo (UP), Thaís Casagrande, e da farmacêutica Sandra Schuster da docg., primeira empresa de vendas diretas de produtos para pets.

 

1 - Vermifugação

As primeiras doses de vermífugo, para filhotes de cães e gatos, devem ser administradas aos 15, 30 e 45 dias, conforme peso do animal em cada fase. “Esse cuidado deve ser tomado já pelo criador ou tutor responsável pela mãe e ninhada. É necessário administrar um vermífugo específico para filhotes e, após essa programação inicial, continuar o cuidado conforme orientações do veterinário que vacinar o animal”, explica a veterinária Thaís.

 

2 - Vacinação

Os filhotes de cães podem ser vacinados com a vacina óctupla ou déctupla, que previnem as principais doenças nessa espécie. A primeira dose deve ser administrada entre 45 e 60 dias de idade, a segunda dose 21 a 30 dias depois, juntamente com a vacina contra gripe, e a terceira dose 21 a 30 dias após a segunda. A vacina antirrábica deve ser aplicada com 4 meses de idade.

Já os gatos devem tomar a vacina quádrupla ou quíntupla. A primeira dose deve ser administrada quando completar 60 dias, a segunda com 90 e a terceira com 120 dias. E a vacina antirrábica deve ser administrada uma semana após a terceira dose da vacina quíntupla ou quádrupla.

Após esse programa preventivo inicial dos cães e gatos, as vacinas devem ser reforçadas anualmente.

 

3 - Controle de ectoparasitas

Além de provocar coceira e desconforto nos peludos, as pulgas transmitem vermes e podem causar alergia. “A dermatite alérgica à picada de pulga (DAPP) é muito frequente em animais de companhia. É uma reação de hipersensibilidade da pele quando ocorre a injeção da saliva da pulga durante a picada. Essa hipersensibilidade provoca inflamação e prurido e pode resultar em lesões cutâneas, feridas e falhas de pelo”, comenta a veterinária. “Por isso tratar e prevenir infestações é tão importante. Se os filhotes muito pequenos estiverem com pulgas, o ideal é aplicar spray antipulgas no sentido contrário ao crescimento dos pelos. Para filhotes com mais de 60 dias, existem opções de antipulgas pour on (para aplicação na nuca do animal). Mas o ideal mesmo é buscar orientação do veterinário sobre o produto mais adequado para seu filhote”, complementa.

 

4 - Escovação

Outra dica importante é acostumar o filhote com cuidados que farão parte da rotina deles durante toda a vida, como a escovação bucal e dos pelos. Para a escovação bucal é necessário usar uma escova apropriada ao tamanho dele e usar somente pasta de dente própria para pets.

Quanto à pelagem, a indicação é escovar os cães e gatos no mínimo 3 vezes por semana, principalmente os animais de pelos longos. Assim evita-se que os pelos embolem e retira-se o excesso de resíduos da pelagem. Segundo a farmacêutica Sandra Schuster, existem escovas adequadas ao tipo e comprimento dos pelos e também aquelas que prometem retirar os sub pelos mortos, evitando assim que a pelagem embole e fazendo com a pele respire melhor.

 

5 - Banho

O ideal é que os filhotes evitem pet shops antes de finalizarem o esquema vacinal, evitando assim contato com outros animais até que seu sistema imunológico esteja preparado. Para manter o filhote limpo os tutores podem dar banho em casa, desde que tomem os devidos cuidados como não molhar os ouvidos dos pets e secar toda a pelagem após o banho.

É importante frisar que os produtos de higiene e beleza devem ser de uso exclusivo veterinário. “A pele dos animais tem pH diferente do humano, são mais finas e sensíveis, principalmente a dos filhotes, por isso a utilização de produtos para humanos pode causar alergias e problemas na pele”, alerta Sandra. “Pensando nisso, a docg. desenvolveu shampoo e condicionador exclusivo para filhotes. Além de conter um ativo neutralizador de odores, que faz com que o banho 'dure mais tempo', os componentes da fórmula são hipoalergênicos, livres de parabenos e óleos minerais e pensados especialmente para os pequenos”, complementa.

Outra opção criada pela marca foi o banho seco. Nas versões em pó ou spray, é uma alternativa para manter o pet limpo reduzindo o número de banhos, principalmente nos períodos de clima mais frio. Para completar os cuidados, ainda é possível escolher um dos perfumes desenvolvidos para os filhotes com fragrâncias da empresa suíça Firmenich.

 

6 - Passeios

Os passeios na rua ou em parques também só devem acontecer após o término das vacinas, mas o tutor pode ir acostumando o pet a usar peitoral e guia treinando com ele dentro de casa. “Além dos acessórios adequados ao tamanho do pet, o tutor deve lembrar de sempre manter o animal com uma coleira e placa de identificação, pois em caso de fuga, principalmente durante os passeios, será mais fácil encontrá-lo”, alerta Sandra. O catálogo da marca oferece uma placa de identificação com numeração que indica o perfil on-line do pet com todos os dados dos tutores. Além disso, quando o pet se perde, é possível alertar a rede e aumentar as possibilidades de encontrar o animal.

No retorno do passeio é importante lembrar de limpar as patas do pet, verificando se algum corpo estranho ficou preso aos pelos, e também aproveitar para hidratar as almofadas das patas, pois elas sofrem com o atrito no chão e com temperaturas mais altas. "Essa também foi uma preocupação da docg. ao desenvolver sua linha de produtos”, esclarece a farmacêutica. “Criamos um creme para patas com D-pantenol e glicerídeos de soja que está fazendo sucesso”, adianta.

Com todos esses cuidados, os filhotes crescerão com mais saúde para acompanhar seus tutores por muitos e muitos anos.

 

 

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop