Médicos alertam para perigos do uso errado de antibióticos

Ingestão do medicamento além do tempo pode aumentar resistência a remédios

18/06/17 às 22:30 - Atualizado às 08:24

Os antibióticos são medicamentos específicos para infecções bacterianas, ou seja, não agem em infecções virais ou fúngicas. No entanto, muitas pessoas desconhecem a real função desse medicamento e fazem o uso indiscriminadamente. A infectologista e clínica médica da Cardio& Saúde, Maria Inez Domingues Kuchiki, explica que quando o remédio é consumido sem necessidade ou por tempo maior do que o previsto, pode aumentar o número de micro-organismos resistentes.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) analisou 114 países sobre o uso de antibióticos e todas as regiões estudadas apresentaram a mesma situação preocupante: automedicação e a prescrição desnecessária desse tipo de medicamento. “Realizar um tratamento à base de antibióticos sem orientação médica é um dos principais erros dos pacientes. O uso indiscriminado e incorreto está levando ao surgimento de bactérias multirresistentes, ou seja, bactérias no qual todos ou a grande maioria de antibióticos não funciona. Essa situação prejudica a pessoa que usa errado e também toda a comunidade que fica suscetível a essas superbactérias”, expõe a infectologista.

Outra pesquisa realizada pelo governo britânico aponta que no ano de 2050 o número anual de mortes causadas por infecções resistentes pode chegar a 10 milhões de pessoas em todo o mundo. Apesar das previsões, não é recomendado que as pessoas parem de utilizar os antibióticos, basta ter consciência e utilizar as substâncias adequadamente.

Desde outubro de 2010, para comprar antibióticos nas farmácias brasileiras é necessário apresentar a receita médica, cumprindo dessa forma a medida da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

De acordo com a infectologista, “Todo antibiótico só pode ser vendido com receita em duas vias, com o nome e endereço do paciente. Essa ação ajuda a evitar a automedicação. Buscar orientação médica é a principal forma de evitar prejuízo para si e para a população”.


Antibióticos

Uso errado de antibióticos
- Nem toda otite, sinusite ou amigdalite precisa de antibióticos
- Otites, amigdalites e sinusites podem ser causadas por resfriados e gripes;
- Resfriados ou gripes não são tratados com antibióticos;
- Secreção verde ou amarela no nariz, em geral, faz parte da evolução de resfriados, não significando agravamento ou necessidade de antibióticos;
- Febre é sinal de resposta de seu organismo e isoladamente não requer tratamento com antibióticos;

Uso correto do antibiótico
- Nunca use antibiótico, a não ser que exista uma infecção bacteriana
- Quando não se sabe como usar o medicamento e para que tipo de infecção ele serve, melhor não usar
- Usar somente o medicamento indicado pelo médico para a infecção que se quer tratar
- Antes de tomar, é importante ler a bula para saber quais são os riscos e reações que o antibiótico pode causar para tomar as precauções recomendadas
- Usar o medicamento apenas na dose recomendada (nem mais, nem menos). A dose depende da doença, peso e idade o doente. E sua eficácia, da tomada correta do merdicamento
- Usar o antibiótico apenas pelo período recomendado. Usar por menos tempo pode acarretar o aumento da resistência da bactéria a ser combatida
- Nunca usar antibiótico injetável, se o mesmo por via oral tem o mesmo efeito. O injetável deve ser usado apenas quando for necessário
- Se o antibiótico causar erupção na pele, comichão, dificuldade de respirar, ou qualquer outra reação, ele dever ser suspenso e nunca mais pode ser usado pelo paciente

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop