Rock In Rio nasceu enorme e continua sendo o mesmo

Pela primeira vez no Parque Olímpico, o Rock In Rio 2017 acontece entre os dias 15 e 24 de setembro.

14/09/17 às 21:30 - Atualizado às 11:09 Augusto Tortato e Lis Claudia Ferreira | contato@curitibacult.com.br | www.curitibacult.com.br
Maior festival de música do Brasil começa hoje, no Parque Olímpico do Rio de Janeiro (foto: Divulgação)

No mesmo ano em que Cristiano Ronaldo e Lana Del Rey nasciam e o Brasil se despedia precocemente de Tancredo Neves, Roberto Medina, empresário e publicitário brasileiro, criou o evento que hoje figura entre os melhores festivais de música de todo o mundo. Era 1985 e a juventude brasileira respirava os primeiros ares da redemocratização.

Não pense que a biografia do Rock In Rio é uma história de superação, de quem começou pequeno e alcançou o sucesso. O RIR já nasceu gigante. Quebrando o estigma sul americano de não receber grandes nomes da música mundial, em sua primeira edição, o Rock In Rio recebeu 16 atrações internacionais e 15 nacionais, reuniu uma plateia de mais de 1 milhão de pessoas e bancou um palco que, então, era considerado o maior do mundo.

Ney Matogrosso foi o primeiro artista a pisar no palco do RIR. Na mesma noite, Erasmo Carlos, Baby Consuelo e os internacionais Iron Maiden e Queen brilharam na Cidade do Rock, que então se localizava em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

De lá para cá, o local do evento mudou, o festival ganhou solos internacionais e muita música boa (e algumas não tão boas) passou pelos palcos do maior festival de música do Brasil. James Taylor, AC/DC, Ozzy Osbourne, Rita Lee, Prince, Guns N’ Roses, Sepultura, Cassia Eller, Oasis, Britney Spears, Rihanna, Elton John e Metallica, dentre uma infinidade de artistas brasileiros e internacionais, já se apresentaram no evento.

As versões internacionais aconteceram nas cidades de Lisboa (com sete edições), Madrid (2008, 2010 e 2012) e Las Vegas, que até agora teve uma única edição, em 2015. Aqui no Brasil, além da antiga Cidade do Rock, teve apresentações no Maracanã e na nova Cidade do Rock, construída em 2001. Esse ano o RIR desembarca pela primeira vez no Parque Olímpico, que conta com melhor estrutura e acesso, já que foi projetado para os Jogos Olímpicos de 2016.

Apesar de ser um dos eventos mais celebrados do país, em toda a sua história, o RIR tem recebido críticas tanto pelo alto custo (que faz com que o evento tenha um público mais elitizado), quanto pela composição do Line Up, que não contempla apenas os fãs de Rock, como poderia sugerir o nome do evento. É fato que a maior parte da população brasileira não tem acesso a um evento tão caro em uma cidade igualmente custosa, porém, no que diz respeito aos músicos convidados, diversidade é bom e todo mundo ganha.

O Rock In Rio representa bem o misto de tribos existentes não apenas aqui no Brasil, mas em todo o mundo. Fãs de rock, pop, MPB, música eletrônica e até mesmo axé encontram lugar na programação do festival que, em 2001, ganhou o slogan “Por Um Mundo Melhor”. E é com o sentimento de que é possível um mundo de convivência e respeito, que o Rock In Rio 2017 recebe nomes tão diversos quanto seu público: Shawn Mendes Aerosmith, Ivete Sangalo, Maroon 5, Alicia Keys, Tears For Fears, The Who e Skank - entre muitos outros nomes de peso – esperam o público que, mais uma vez, vai fazer o RIR ser gigante.

Queda no Line Up — Lady Gaga que abriria o Rock In Rio nesta sexta-feira (15), anunciou o cancelamento na tarde de ontem (14), por motivos de saúde. A banda Maroon 5 substituíra a cantora pop. O festival irá reembolsar os fãs que assim quiserem, a partir do dia 18.

Curitiba Cult no Rock In Rio — A convite da Heinekn Brasil e do Hotel Ibis, o Curitiba Cult irá até a Cidade Maravilhosa cobrir os três primeiros dias pops do Rock in Rio. No fim de semana seguinte, a cobertura fica por conta do Bem Paraná.


TEATRO

Divulgação

Miá Mello e Fábio Porchat em Curitiba

Peça ‘Meu Passado Me Condena’ chega a Curitiba

Depois de lotar diversos teatros em São Paulo e no Rio de Janeiro, Fábio Porchat e Miá Mello chegam a Curitiba para única apresentação com o espetáculo ‘Meu Passado Me Condena – A Peça’. A montagem será apresentada no Teatro Guaíra, neste domingo (17), às 20h15. Os ingressos à venda a partir de R$31. A peça tem o apoio cultural do Curitiba Cult. Leitores do portal tem desconto de 50% de desconto no ingresso inteiro.

Miá (Miá Mello) e Fábio (Fábio Porchat) se conhecem na fila do banheiro de uma festa e um mês depois se casam. “A peça se passa antes do filme e do seriado. Fábio e Miá chegam em casa depois da festa de casamento e começam a discutir a relação”, explica Porchat. Assim, depois que chegam ao novo apartamento, o casal até tenta entrar no clima para a noite de núpcias, mas o apartamento pequeno, os presentes que não agradam, as duas famílias e – pior! – o fato de não saberem nada sobre o passado um do outro começa a interferir na lua-de-mel. Será que o amor sobrevive a essa noite?

Divertido e inspirado, o texto é de Tati Bernardi, que também assinou os roteiros da série e do filme homônimos, ambos produzidos por Mariza Leão e dirigidos por Julia Rezende. A série teve duas temporadas exibidas pelo canal Multishow e o filme foi a segunda maior bilheteria nacional de 2013, ultrapassando três milhões de expectadores.


COMÉDIA

Sergio Mallandro no palco do Positivo
Considerado um dos ícones da cultura trash, o apresentador, ator e humorista Sérgio Mallandro, criador do famoso “Glu, Glu! Yeah, Yeah!” vem a Curitiba seu stand-up comedy. A apresentação acontece no sábado, 16 de setembro, no palco do Teatro Positivo, às 21h15. Os ingressos estão à venda a partir de R$45.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop