10º

Ahlan Wa Sahlan ou em português, bem-vindo à Jordania

País tem no turismo a sua principal atividade e vai ser pano de fundo da próxima novela global de Manoel Carlos

06/03/09 às 00:00 - Atualizado às 19:19   |  Dayse Regina Ferreira
Desde criança sempre sonhei com Petra. Para mim, a Jordânia era aquele maravilhoso frontão de pedra esculpida, no meio do nada. A surpresa foi entender que o Tesouro, como é conhecido o verdadeiro ícone da Jordânia, é apenas o início de um vasto mundo de maravilhas culturais, religiosas, naturais preservadas em apenas 89 mil quilômetros quadrados, onde vivem 6 milhões de pessoas.

O Reino Hashemita da Jordânia, governado pelo Rei Abdullah Bin Al-Hussein II, é uma monarquia constitucional, cuja capital é Amman e as cidades principais são Irbid, Zarqa, Salt, Karak, Ma'na e Aqaba, seu único porto. O pequeno reino é um vasto mundo de história, arqueologia e locais bíblicos. Foram encontrados instrumentos de pedra de mais de quinhentos mil anos na parte central da Jordânia e o museu arqueológico guarda as primeiras esculturas de barro feitas pelo homem. Mas é o turismo que está promovendo suas belezas pelo mundo atual.

O Brasil terá chance de conhecer um pouco da terra bíblica, com o rio Jordão onde Cristo foi batizado, em setembro. É que Jayme Monjardim vai dirigir a próxima novela da Globo, "Tempo de Viver", tendo a Jordânia como pano de fundo. Monjardim esteve há duas semanas percorrendo todos os pontos mais importantes , escolhendo locações para a novela de Manoel Carlos.

Viajar para a Jordânia é uma experiência que foge ao comum. Foram muitas as civilizações que deixaram suas marcas na região: reinos, impérios, gregos, romanos, persas, bizantinos, árabes marcaram a cultural local. De Lawrence da Arábia a Petra, uma das 7 Maravilhas do Mundo, do Turismo de Saúde aos Spa luxuosos, o turismo é desenvolvido seguindo regras internacionais, preservando a natureza e os monumentos.
O Turismo Religioso na terra onde o islamismo, o judaísmo e o cristianismo se encontram, vai ter roteiros especiais, como os Caminhos de Abrahao, na Jordânia e países vizinhos. De pequenas dimensões territoriais, sem petróleo, a Jordânia faz do turismo sua principal fonte de receita, seguido da extração de fosfato e potássio, tecnologia, têxteis, fármacos, alimentos e cosméticos.

Para incrementar a competitividade da Jordânia como destinação turística internacional, O Usaid-Jordan Tourism Development Project II vai empregar US$ 22 milhões de durante 5 anos (2008-2013) em parceria com o Ministério do Turismo e Antiguidades, dirigido por Maha Khatib, no desenvolvimento de nova classificação da hotelaria nacional, melhorando a pesquisa de novos destinos e o marketing, destacando o ecoturismo, desenvolvendo o artesanato com qualidade e treinando profissionais para a indústria turística. 
Publicidade
0 Comentário