Arquivos da categoria: Coaching

Qual é o seu propósito?

4 outubro, 2017 às 06:00  |  por Luciana Kotaka

Talvez em algum momento você se sinta perdido e precise repensar sua vida

caminhos

Certo dia, você se dá conta de que tudo o que acreditava não lhe serve mais. Suas escolhas talvez tenham sido equivocadas, algo em sua vida não lhe dá mais satisfação. Será que essa situação já aconteceu com você? O que sente ao abrir os olhos pela manhã?

Atualmente muitas pessoas vêm relatando que estão perdidas, confusas, iniciando uma busca por um sentido maior em suas vidas que vai muito além da rotina diária que estão acostumados a realizar. Atividades que normalmente seriam satisfatórias se tornaram entediantes, não se sentem estimulados a continuar a viver dentro dos mesmos padrões que normalmente sentiam-se felizes. Será que está faltando um propósito maior? O que de fato faria nesse momento caso pudesse escolher?

É preciso muita coragem para dar uma reviravolta na vida, engrenar a primeira marcha novamente e iniciar um novo caminho. Mas será que é preciso mesmo ou é possível alinhar o que faz hoje com um novo propósito? Essa urgência em mudar e dar um novo sentido à vida pode ser muito angustiante, pois não é fácil construir um caminho e no meio da caminhada perceber que é necessário fazer um desvio, muitas vezes muito além da rota idealizada. Mas é necessário olhar isso de frente e se permitir uma nova chance, para poder sentir-se alinhado com seus sonhos.

Esse conflito, mesmo que de alguma forma assuste, pode ser o gatilho inicial para dar um sentido maior à sua vida. O medo? Esse a gente olha de frente e confronta, afinal o que seria da vida se ficássemos paralisados cada vez que ele surgisse à nossa frente.

 

Cuidado ao sonhar alto para não perder o que é importante em sua vida

15 março, 2017 às 06:00  |  por Luciana Kotaka

Prestar a atenção entre o sonho real e o imaginário possibilita manter uma vida mais estável emocional e financeiramente

Business aspiration

Uma das molas propulsoras da vida são os sonhos, sem eles seria difícil seguir em diante mantendo o otimismo, pois sonhar nos possibilita sair do sentimento de dor, do cansaço que as dificuldades nos colocam, a realidade da vida.

Sem falar que quando sonhamos traçamos objetivos, temos um rumo a seguir, e isso nos mantém a gente motivado e ao realizar o que queríamos, o prazer nos invade de tal forma que todo o resto é esquecido.

Porém, nem todos sonham. Existem pessoas que por diversos motivos foram tão lesadas por suas vivências, desde que nasceram, que perderam a capacidade de sonhar, até como forma de se protegerem internamente da dor, preferem seguir a vida vivendo um dia de cada vez, e só.

Outros sonham muito e se entregam sem uma avaliação cuidadosa entre o que é a realidade e o que é possível. Vão tão longe e com isso se esquecem da existência do processo de construção onde possibilita que tudo que almejamos se torne realidade. Talvez possamos chamar de Sonhadores Compulsivos, onde esquecem que no aqui e agora é preciso também se sustentar, sendo estudando, cuidando, preparando e/ou semeando.

Os sonhos podem sim oferecer esperança, mas pode levar ao fracasso financeiro, profissional, do casamento e até dos vínculos familiares, pois para o ser humano ter estabilidade é essencial que possa ter equilíbrio na vida.

Mas nada de deixar os sonhos de lado, como eu escrevi acima eles são as molas propulsoras para seguirmos em frente, mas algumas dicas são importantes:

- Seu sonho é realmente a expressão do que deseja para sua vida?

- Qual o tempo que precisa para realizá-lo?

- Do que precisa para que ele aconteça?

- O seu sonho afeta de forma positiva ou negativamente os que estão ao seu redor?

- Há algum risco financeiro? Se sim, já organizou uma reserva?

Após avaliar cada uma dessas reflexões é possível ter um mapa geral sobre a situação, objetivos que pretende colocar em prática, evitando, ou melhor, minimizando os riscos e se prevenindo diante de possíveis intempéries.

Boa sorte!

Salvar

Faça seu ano render

4 janeiro, 2017 às 06:00  |  por Luciana Kotaka

Metas curtas podem te proporcionar realização pessoal e profissional mais rápido

metas

Toda virada de ano é igual, muda-se o local, a beleza dos fogos, as pessoas ao redor, mas o foco está em mudar o que não está te fazendo feliz.

Pode ser mudança de trabalho, perda de peso, dar um basta em um relacionamento complicado, estudar uma língua, entrar em uma academia e muitas outras coisas. A questão é que o ano passa e quando se dá conta não realizou nem uma das mudanças que seriam importantes para você.

O tempo passa, vamos envelhecendo, descuidando de situações que deveriam ser prioridades em nossa vida e te pergunto por quê?

Apesar de vermos pessoas próximas realizar mudanças fantásticas, parece que falta algo que nos impulsione para podermos nos sentir realizados. Não vou entrar em detalhes aqui até porque cada pessoa se constitui a partir de uma história, sendo impossível abranger nesse texto o que pode ser o gatilho sabotador em sua vida.

Porém, penso que posso levá-lo a refletir sobre o assunto e quem sabe você possa sair desse engessamento que te prende e saia experimentando o sabor das mudanças?

- O que significa não realizar seus desejos?

- Não realizá-los te obriga a permanecer em um lugar, qual seria?

- Deixar passar o tempo e não fazer algo que seria bom para você deve ser um sintoma de algo, pense.

- Há quanto tempo se sente preso e sem iniciativa?

- O que estava acontecendo em sua vida antes de começar a se sentir paralisado?

- Qual o ganho secundário que permanecer nesse lugar te propicia?

- O que você gostaria de fazer em sua vida que não está fazendo?

Pense em cada questão, deixe as resistências e racionalizações de lado e escute seu coração, para assim entender o que está te impedindo de ser feliz, de se sentir realizado e/ou livre.

Quando nos permitimos pensar a respeito com carinho e sem ficar arrumando justificativas, conseguimos entender as motivações que fazem nos paralisar, impedindo de buscar a satisfação pessoal e sentir-se competente.

Faça o seu ano render, metas curtas, possíveis de realizar, um objetivo de cada vez.

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Você vive em dúvida?

31 julho, 2015 às 07:00  |  por Luciana Kotaka

Tomar decisões nesses setores é importante

dado

Parece algo simples, mas não é simples para todos e existem pessoas com grandes dificuldades para escolher um caminho. Um exemplo disso é em uma atividade que parece banal no dia a dia, ir às compras. É bem comum ver mulheres em lojas na dúvida de qual sapato levar, com isso, muitas vezes, acabam levando dois, mesmo sem precisar, assim resolvem a situação da forma mais simples, aparentemente.

Mas não é só na hora das compras que a dúvida aparece, ela está presente na nossa vida, assim nos oportuniza a pensar, avaliar e realizar escolhas. Se não sabemos o caminho a tomar, então a dúvida pode nos levar a uma reflexão mais profunda, pois algumas escolhas, se não todas, devem ser avaliadas de forma mais criteriosa, evitando assim desperdício de tempo, dinheiro e diversas complicações futuras.

O caso do sapato foi somente para ilustrar como funcionam algumas pessoas, sempre em cima do muro, sentem-se incapazes de escolher muitas vezes até o que comer em um restaurante, optando pelo mesmo prato que o colega ou marido. Parece algo bobo, eu sei, mas te digo que não é e pode ser mais complexo do que se imagina.

Essa instabilidade no desejo, na forma de sentir as situações ao redor, e na tomada de decisões demonstram a falta de segurança em si mesmo, a presença constante de dúvidas limita a vida, pois não permite que se possa ser independentes em muitas situações.

Porém irão surgir diversas situações em que precisaremos tomar decisões, mesmo sem o aval de outras pessoas, decisões pessoais, como, por exemplo, a escolha profissional. Não dá para seguir o caminho que o outro acha legal, e sim se deve optar por uma área que traga satisfação e  faça com que sinta desejo de atuar.

Toda escolha tem um peso e é determinante em situações que voltar atrás traz consequências nem sempre fáceis de reparar, como no caso de um casamento sem amor, somente para fugir de casa, onde essa ação envolve leis, filhos e família como um todo. Muitas vezes acreditamos que fomos obrigados a seguir um caminho, porém temos livre-arbítrio, e escolher o que se gosta é muito importante para nos sentirmos felizes. 

Como toda decisão há perdas e ganhos, mesmo sabendo dos riscos nós temos que optar, por um lado ou outro, mas é importante ter a consciência de que ela é necessária para o amadurecimento e desenvolvimento de alguma área de nossa vida.

Desta forma, escolha, arrisque-se, viva, pois ficar em dúvida constantemente só minará sua energia e fará você se sentir cada vez mais inseguro e infeliz. Aprender a tomar decisões, mesmo que não acerte, te proporcionará experiências e são elas que nos ensinam a viver o dia a dia

Tem dificuldades em parar de reclamar?

14 maio, 2015 às 07:00  |  por Luciana Kotaka

A conscientização de alguns comportamentos leva a mudanças importantes

megaphone-50092_640

Mal amanheceu e dentro de muitas casas já se vê presente o mau humor, algo que toma conta do corpo, da mente e a vontade é de desistir de ir trabalhar e ficar fazendo nada dentro de casa. Claro que essas situações podem acontecer comigo, com você, pois quem nunca teve um momento de desânimo na vida, ou mesmo vontade de largar tudo frente a alguma dificuldade?

Nós seres humanos necessitamos de estímulos constantes para seguirmos em busca de nossos objetivos, ou mesmo para cumprir tarefas rotineiras, senão tudo começa a se tornar um tédio, arrastando qualquer um para debaixo das cobertas. Esse lugarzinho na cama, na nossa casa, é o lugar que normalmente nos faz sentir segurança, como se por um passe de mágica todo o resto perdesse a importância.

A grande questão é que reclamar não ajudará em nada a mudarmos a realidade que estamos expostos, afinal todos nós temos obrigações a serem cumpridas diariamente, senão qual seria o objetivo maior de viver?

Você já parou para contabilizar o quanto reclama durante um dia? Acredite, você irá se surpreender! Faça um diário e identifique o porquê reclama tanto, verá que a grande maioria deles é simples hábitos, que muitas vezes aprendemos em nosso cotidiano, por conviver com pessoas também reclamonas.

Outras vezes é porque não valorizamos o que temos de bom em nossa vida, achamos que é pouco, queremos sempre mais, mas será que conseguindo mais iremos nos satisfazer?

Algumas dicas poderão ajudar você a repensar sua forma de viver:

- Aprenda a agradecer todos os dias pelo o que você já tem: família, casa, coberta nesse frio, comida, um emprego;

- Valorize a vida, afinal a cada dia você tem a oportunidade de estar aqui, nesse planeta, isso é maravilhoso;

- Identifique através de um diário semanal os porquês de tanta reclamação, dessa forma perceba se não está se excedendo, procurando assim mudar de comportamento;

- Procure ter uma visão mais otimista das situações, mesmo que pela manhã já tope com o dedo no pé da cama, não saia xingando todo mundo, afinal só irá estressar a todos a sua volta sem necessidade, contaminando com o seu mau humor.

A forma com que encaramos as situações que estamos sujeitos faz uma grande diferença para a qualidade de vida, por isso pare de reclamar já, reconheça as situações boas que tem vivido e siga em frente de forma mais otimista.

Você acha difícil dizer não?

15 abril, 2015 às 13:13  |  por Luciana Kotaka

Mudanças são importantes para o amadurecimento emocional

kkkkuuu

Não é uma tarefa fácil para a maioria das pessoas, afinal fomos ensinados a sermos educados, é só se  lembrar de quando éramos pequenos e nossos pais nos diziam que não podíamos brigar, falar alto, responder a eles, ou mesmo desafiar alguém. Você se lembra de alguma situação semelhante?

Pois é, dizer não entra aí, em situações em que negar algo ou mesmo se posicionar poderia trazer sérias consequências, até apanhar de varinha. Eu me lembro de várias situações, aliás, em casa nunca foi admitido ter desejos, ainda bem que aprendemos com esses erros e os reparamos em relação à educação de nossos filhos. Se bem que muitas pessoas ainda não aprenderam essa lição, muito pelo contrário, descarregam nos filhos as mágoas a que foram expostos quando pequenos.

Mas agora já adultos enfrentamos uma difícil tarefa de aprendermos a dizer não e nos colocarmos de forma assertiva em situações cotidianas, profissionais e familiares, como isso é complicado, não acham? Pois é, porém, o mundo nos exige isso, inteligência emocional, assertividade.

Claro que nem tudo é ferro e fogo, podemos aprender a fazer isso de forma branda, sem sair vomitando nossa raiva naqueles que nos deixam irritados, se bem que algumas vezes pode escapar e quando nos damos conta, o estrago está feito.

O não é uma palavra que vem impor limites e na vida precisamos utilizar desse comportamento até para aprendermos a nos defender, brigar por nosso espaço, impor nossas ideias, principalmente quando queremos ser felizes e ter sucesso em nossas vidas.

O exemplo da novela “Sete Vidas” nos mostra claramente a importância que o não tem. O personagem Vicente vive uma relação com a mãe e o irmão onde cultiva a dependência, o irmão vive na mordomia e tem a mãe que o defende com unhas e dentes, e o coitado do Vicente sustenta essa situação. Coitado? Aí mora o perigo, afinal, toda relação é de mão dupla, apesar de ele ser lesado o tempo todo ele tem um papel dentro dessa família que o faz ser o pilar de sustentação ficando sempre na posição de coitadinho. Parece estranho isso, mas pare e reflita se na sua vida acaba interpretando algum papel semelhante?

Mas voltando ao tema do texto, dizer não nesse caso fará com que o irmão do personagem Vicente se depare com a responsabilidade, que cresça, que assuma que precisa aprender a viver por si mesmo, assim como a mãe que sairia do lugar de proteção, que também faz com que ela se sinta útil, mantendo um filho debaixo das asas. Assim que Vicente começar a dizer não, estará dando limites a si mesmo também, protegendo seu patrimônio, sua tranquilidade e tendo mais tempo para usufruir da família que constituiu. Na novela é isso que vem sendo apresentado, a dificuldade em lidar com o não, a esposa perdendo a admiração, a falta de tempo em família e a sustentação da irresponsabilidade.

Vejam como uma atitude assertiva nesse caso acima citado promoveria várias mudanças, todas importantes para a saúde emocional e física, afinal o estresse hoje é um dos maiores vilões, e não dizer não faz como que a própria pessoa promova um estresse interno.

Portanto, não tenha receio de impor o que pensa, e acredite, criamos vários fantasmas em nossas cabeças, imaginamos que o nosso não promoveria uma desgraça, o outro se sentiria muito insultado, bravo, mas mesmo que fiquem de início pode ter certeza de que isso passará e voltará a se normalizar as relações e muitas vezes vemos que o outro dá conta de nosso não e aí pensamos: quanto tempo perdi com medo de me impor.

Não tenha medo, reflita com cuidado sobre os aspectos de sua vida, situações em que você sente necessidade de colocar seu ponto de vista, de dar limites, afinal, a responsabilidade pela sua vida, e por ser feliz, é somente sua.

 

 

Cinco dicas para viver com leveza.

24 março, 2015 às 14:29  |  por Luciana Kotaka

felizaa-m5p1wgr6hoz5rzkdt73ugi7nd7lxzg0y9nbca11m0o

Viver é maravilhoso, o simples fato de podermos estar aqui, experimentando tantas situações inusitadas já é garantia de felicidade na certa. Porém, mesmo com essa gama de possibilidades que temos, muitas pessoas passam batido pela vida sem ao menos apreciar uma flor que nasce timidamente em uma brecha de um muro, que nos possibilita visualizar no concreto a força que temos quando precisamos enfrentar algum obstáculo.

Passam horas, dias, meses, anos e muita gente não aprende a apreciar o encanto da vida, mesmo tendo em casa razões suficientes para sentir a alegria mais autêntica que existe que é poder gerar filhos.

Ao avaliar a história dessas pessoas identificamos que esta foi construída em meio a muitas tristezas, agressões, e lutos, desta forma perde-se no meio do caminho da vida a possibilidade de identificar o belo, pois este já enxerga o mundo manchado pela sua tristeza. Essa realidade endurece mesmo algumas pessoas, mas sempre é possível reinventar, recontextualizar o passado, possibilitando enxergar o novo como possibilidades reais de felicidade.

Algumas dicas abaixo podem ajudar nessa conquista:

- Desenvolver o hábito da gratidão e reconhecimento pela dádiva da vida, compreendendo que a nós nos foi dado elementos que possibilitam o crescimento, mesmo que sejam situações doloridas;

- Ter uma crença, pois ter uma religião nos estimula a caminhar, buscar o sentido da vida e nos apoiar nos momentos em que somos colocados em prova;

- Fazer um trabalho voluntário, pois o se doar nos leva a sentir uma alegria autêntica de felicidade, pois ao nos darmos ao outro nos engrandece a alma;

- Fazer terapia, pois possibilita reavaliação de vida, mudar a forma com que enxergamos e sentimos as situações que fomos expostos, aumentando a segurança, melhorando a autoestima e mudando comportamentos e sentimentos;

- Assumir que se estamos aqui para viver, precisamos fazer nossa parte, buscando novas formas de enxergar a vida, o mundo e as relações.

Ser feliz é uma conquista diária, sempre digo isso porque também é nossa responsabilidade mudar, transcender e mudar a nossa história. Permitir-se viver com alegria e paixão, atentos aos detalhes pequenos que nos proporciona o todo.

Se dê essa chance, não permita que sua vida seja um eterno marasmo.

O processo de Coaching e a obesidade

7 fevereiro, 2014 às 00:07  |  por Luciana Kotaka

Se dispor a vivenciar esse processo levará ao sucesso do tratamento

Business couple working

Por Luciana Kotaka

Segundo do Ministério da Saúde, cerca de 30% das crianças do nosso país têm sobrepeso e metade delas é obesa. Cerca de 13% da população adulta é obesa e 48% é acima do peso. Dados como estes são alarmantes, pois a obesidade poder desencadear doenças que demandam tratamentos sérios como diabetes, hipertensão, cardiopatias, entre outras patologias.

Pessoas do mundo inteiro estão à procura de um caminho para tratar do peso, e muitas vezes acabam fazendo dietas desequilibradas, gerando o famoso efeito sanfona, um ciclo de perda e ganho de peso que piora cada vez mais, o que leva a insatisfação corporal e emocional.

O Coaching é um processo que oferece sucesso nessa busca pelo peso magro, pois disponibiliza de recursos que levam o indivíduo a se mobilizar, a se comprometer com esse desejo.

Todos nós temos recursos internos, mas muitas vezes não nos percebemos de quão valiosos eles são, e como podemos reverter esses recursos para buscar nossos sonhos.

Colocar em prática nosso conhecimento, materializar o que nos desperta o desejo, potencializar os resultados, é a grande meta do Coaching.

O Coaching é um processo que leva você a alcançar resultados, através de um trabalho que resgata o seu potencial, conseguirá realizar projetos, alcançando resultados surpreendentes em qualquer área de sua vida.

Quando direcionado à perda de peso, facilitará no estabelecimento de metas claras, com capacidade de gerar resultados através de ações específicas. Perder peso exige comprometimento e ação, porém muitas vezes não se tem motivação interna e externa para alcançar esses resultados, e através do Coaching trabalharemos o foco na ação, levando a grandes transformações pessoais.

Como é um processo contínuo, poderá conduzir a um resultado final satisfatório, estando presente como uma bússola, levando o cliente a chegar ao seu potencial máximo.

Coaching, uma ferramenta eficaz

24 janeiro, 2014 às 00:14  |  por Luciana Kotaka

Estratégias bem utilizadas trazem resultados duradouros e efetivos, independente da área da vida que se queira mudar

 download

Por Luciana Kotaka

Quem já não ouviu falar sobre Coaching? Nos últimos anos muitas pessoas já passaram por esse processo e alcançaram grandes mudanças em suas vidas. Nesse trabalho, o objetivo é de aceleração de resultados, independente da área de sua vida que se queira mudar.

É importante que não se confunda com terapia, aconselhamento e nem consultoria, pois você mesmo será capaz de buscar dentro de si os recursos necessários para seu sucesso. O coaching tem a capacidade de resgatar do cliente o seu potencial máximo.

 Muitas vezes ouvimos pessoas reclamando que nada dá certo em suas vidas, porém sempre tem ótimas idéias. Não conseguem fazer os projetos deslancharem, ficando somente no papel. O que acontece?

 Na verdade, existem milhares de pessoas com um potencial fantástico, mas não conseguem se organizar de forma a colocar os projetos em prática. Tem tudo para dar certo no trabalho, na vida pessoal, mas por alguma razão acabam colocando tudo a perder, e muitas vezes, nem tentam buscar por mudanças.

 Você por acaso se identifica com o quadro acima? Sabe o caminho a seguir, mas acaba se perdendo em seus de projetos, utilizando mal o tempo?

Todos nós crescemos e aprendemos a viver no mundo seguindo referências próprias, e muitas vezes não percebemos que muitas de nossas crenças e comportamentos nos impedem de conseguir alcançar os objetivos traçados.

Nascemos com o potencial, só não sabemos como empregá-lo. No processo de Coaching vemos acontecer essas mudanças, pois o próprio cliente começa a visualizar os erros, e desenvolvem atitudes mais assertivas em sua vida.

Coaching é um processo no qual se utiliza técnicas, ferramentas e recursos de diversas ciências. Conduz a promoção de respostas e mudanças positivas e duradouras.

Desta forma, podemos ultrapassar os limites e explorar o potencial de cada pessoa, fortalecendo sua autoestima, e desenvolvendo habilidades. Através do aprimoramento de suas habilidades, melhorará o desempenho no trabalho e consequentemente transformará sua vida.

Vale lembrar que só alcançamos o sucesso, quando nos permitimos realmente nos conhecer.

Conheça truques para desenvolver uma comunicação assertiva

18 dezembro, 2013 às 00:52  |  por Luciana Kotaka

Diálogo é a base para construção de relacionamentos produtivos e saudáveis

 

dialogo

Luciana Kotaka

Nem sempre é fácil confrontarmos o inesperado. Uma palavra mal colocada já é capaz de nos deixar em uma tremenda saia justa. Muitas vezes estamos descontraídos, pensando em voz alta ou mesmo expondo um ponto de vista, e, em uma fração de segundo, criamos um conflito ou, melhor, o ouvinte se sente atingido.

Somos seres falantes. Adoramos trocar experiências, contar nossas vidas e dividir nossas conquistas, mas no momento de nos colocar frente a uma negativa para dar limites ou situar alguém perante alguma determinação, instala-se o caos.

Quem nunca vivenciou uma situação em que queremos passar uma mensagem e o outro a recebe de forma diferente e, muitas vezes, até distorcida? Isso acontece porque podemos estar presos as nossas percepções a respeito de um assunto, criando uma resistência para viver ou mesmo assimilar o novo, o diferente.

Não vemos a nova informação como algo a ser somado em nossas vidas, mas sim como um confronto do outro, sentido às vezes como agressão. É fundamental saber se posicionar nesses momentos e uma boa alternativa é convidar o outro a se posicionar a respeito do que pensa em relação à determinada situação. Desta forma, garantimos que será ouvido e fazemos com que se sinta valorizado. A estratégia é eficaz e ainda fará com que o outro se sinta seguro.

Pode ser complicado se conter em algumas situações, ainda mais quando se está com raiva, mas devemos nos esforçar para acolher as informações que serão passadas, possibilitando uma melhor compreensão do que está sendo dito.

Ouvir de forma atenta e sem julgamento permite que possamos realmente nos entregar ao outro, ouvindo na essência. Em muitas situações pelas quais passamos no dia a dia, deparamo-nos com o diálogo e, então, fica a questão: como ser claro? Como me fazer entender no que realmente quero dizer?

A assertividade deve ser treinada. Avalie os gaps pessoais que precisam ser trabalhados e que, quando modificados, auxiliarão muito em um futuro posicionamento perante outras pessoas. O Coaching é um processo que pode ser muito útil, pois oferece vários instrumentos que visam ajudar o cliente a identificar as áreas de vida que não estão sendo produtivas, como, por exemplo, a comunicação.

Quando nos dispomos a desenvolver uma área que favorece tanto nosso lado pessoal quanto nosso lado profissional, abrimos espaço para o conhecimento, reconhecendo que sempre podemos melhorar e que o crescimento faz parte de nosso processo de vida. Isso faz toda diferença, pois saímos da zona de conforto e damos um salto, abrimos espaço para novas informações.

O Coach dá suporte para que o sujeito possa despertar seu potencial máximo de forma rápida, gerando resultados satisfatórios em sua vida. Para despertar o seu melhor, gerando comportamentos assertivos, basta se lembrar de que você é a chave de tudo.