• Artistas criam intervenção para terminais de ônibus em Curitiba


     

     


     

     

     

    A partir do dia 26 de abril, sexta, quem passar pelos terminais de transporte coletivo em Curitiba do Campina do Siqueira, Campo Comprido e Cabral poderá ver a obra "Ínterim", uma intervenção urbana produzida pelas artistas Eliane Prolik e Larissa Schip.

    A instalação fotográfica de 30 metros de comprimento ficará no no teto das passagens subterrâneas dos terminais e retratam o próprio local com seus usuários, com destaque à captação do movimento a partir de vultos e da sobreposição de imagens. Ao formarem um conjunto, as fotografias criam uma linha central no teto. “A situação de inversão, acima da cabeça do observador, propicia uma nova leitura relacionada ao espaço e sua vivência corporal”, complementam as artistas.

    "Ínterim" apresenta registros imagéticos de sujeitos inseridos em relações coletivas urbanas instantâneas. Olha para experiência do contexto urbano de fluxo e de deslocamento diário, habitual e necessário das pessoas com seus vários destinos de moradia, trabalho e outras atividades. E investiga, simultaneamente, o tempo e o espaço em deslocamento, um estar em trânsito ou entre intervalos, a busca de acessos e conexões, partidas e chegadas.

    Interessa o movimento do corpo de cada um e do corpo social que parece se delinear perspectivado entre seres que se interpenetram. “No caminho em perspectiva, novos pontos de fuga junto aos passos e não olhares das pessoas, é uma desaceleração visual da pressa,  uma coleção de rastros que constitui um rio imagético”, define o crítico Adolfo Montejo Navas.

    O Projeto "Ínterim" foi selecionado em edital do Fundo Municipal da Cultura, sendo o projeto realizado com o Apoio do Programa de Apoio e Incentivo a Cultura - Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba e contou com o apoio da URBS.

    Além da sequência de imagens fixadas no teto da galeria, a intervenção também traz um texto do curador e crítico de arte Adolfo Montejo Navas e um QR code que dá acesso ao perfil do projeto no Instagram. A obra estará disponível entre os dias 26 de abril e 26 de junho nos três terminais.  




    Serviço:

    Intervenção Urbana Ínterim

    Local: Terminais do Cabral, Campina do Siqueira e Campo Comprido - passagens subterrâneas

    Data: 26 de abril a 26 de junho de 2019

    Insta do projeto:

    @projetointerim

    texto crítico on-line:

    bit.ly/2Wp4S3k

  • Itiban recebe "Luzes de Niterói", de Marcello Quintanilla

    A Itiban Comic Shop recebe o artista Marcello Quintanilha neste sábado, 23/03, às 16 horas, para o lançamento de seu mais recente romance gráfico 'LUZES DE NITERÓI'. Neste novo livro, o artista volta à cidade onde nasceu e cresceu, Niterói, e mergulha nas águas da Baía da Guanabara, trazendo uma trama baseada em fatos reais que ocorreram nos anos 1950. Uma aventura que envolve pescadores, futebol, a vedete Luz del Fuego e o primeiro campo naturista do Brasil.


    A HQ narra as aventuras do jovem Hélcio, inconsequente e promissor "beque" direito (equivalente ao que hoje conhecemos como lateral direito), e seu amigo Noel, portador de uma severa deformidade física, e tem como inspiração passagens da vida do pai de Quintanilha, que foi jogador do time de futebol Manufatora Atlético Clube, emblemática equipe operária do bairro Barreto, em Niterói. O livro foi lançado em novembro de 2018 na Europa e recebeu elogios entusiasmados da imprensa internacional.

    Na programação haverá um bate-papo com mediação do canal KITINETE HQ , com Liber Paz e Rodrigo Scama. Logo após, acontece a sessão de autógrafos. O lançamento acontecerá em várias cidades além de Curitiba, como São Paulo, Rio de Janeiro e Goiânia.
    Em 2019, a Itiban Comic Shop completa 30 anos, considerada uma referência em HQs, RPG e cardgames no Brasil.
    Sobre o autor
    Marcello Quintanilha nasceu em 1971, em Niterói, e mora atualmente em Barcelona. Autodidata, tornou-se quadrinista profissional ainda adolescente, nos anos 1980, desenhando gibis de terror e artes marciais para a editora Bloch. Já publicou seus trabalhos em veículos como O Estado de São Paulo, Bravo, Le Monde, Internazionale, Art Review, Heavy Metal, Trip, TPM, Playboy, La Vanguardia e El País. É autor de Fealdade de Fabiano Gorilla (Conrad, 1999), Sábado dos Meus Amores (Conrad, 2009), Almas Públicas (Conrad, 2011), Tungstênio (Veneta, 2014), vencedor dos prêmios Angoulême e o Rudolph Dirks e adaptado para os cinemas pelo diretor Heitor Dhalia em 2018, Talco de Vidro (Veneta, 2015), Hinário Nacional (Veneta, 2016), ganhador de um Jabuti, e Todos os Santos (Veneta, 2018).

    Serviço:
    Lançamento do livro "Luzes de Niterói" (Editora Veneta) - Marcelo Quintanilla
    Local: Itiban Comic Shop
    23 de março de 2019, sábado
    Horário: 16h
    Avenida Silva Jardim, 845
    Funcionamento: segunda a sábado, 10h às 19h
    Entrada franca
    (41) 3232-5367
  • Imperdível: mostras de Didonet Thomaz, Antonio Arney e Pierre Verger terminam neste domingo no MON

    Programe-se para conferir três mostras imperdíveis que ficam até este domingo, 17/03, no Museu Oscar Niemeyer: Didonet Thomaz, Antonio Arney e Pierre Verger.

    A visitação é de terça a domingo, das 10h às 18h, com acesso até 17h30. Os ingressos custam R$20,00 e R$10,00 (meia-entrada). Todas as quartas a entrada é gratuita. Maiores de 60 e menores de 12 anos têm entrada franca todos os dias de funcionamento.

    Politopos Irregulares - Didonet Thomaz

    Divulgação/MON

    Didonet Thomaz tem uma longa trajetória como artista e pesquisadora das artes visuais. Com um trabalho denso e com muitos significados, a artista apresenta  “Politopos Irregulares”, com curadoria do professor Raúl Niño Bernal, do Departamento de Estética da Facultad de Arquitectura y Diseño, da Pontifícia Universidad Javeriana de Bogotá, Colômbia (2015-2018). Seus projetos de pesquisa e plano de trabalho foram mediados pelo artista visual e professor Hélio Fervenza, do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande Sul (2016-2018).

    Nas palavras de Bernal, Politopos são bifurcações de trajetos ou desvios baseados na incerteza e no azar, que se reconstroem mentalmente e de maneira imaginária, com o exercício de traçar linhas de conexão sobre uma imagem. Ainda de acordo com a curadoria, nesta exposição é importante ressaltar o conceito de Politopos Irregulares, para aproximarmo-nos do indeterminado, do desconhecido.



    O diálogo entre o curador e a artista Didonet Thomaz é apresentado em fragmentos de algumas mensagens de trabalho na linha do tempo, do estudo e da organização do seu “memorial de pesquisa: arquivo” e culminará com o texto curatorial (2015-2018), na antessala ou “sala da curadoria”, novidade em termos de exposição. Nela também estão expostos raciocínios que focam a origem do projeto Politopos Irregulares, desde o interior para o exterior da Casa Estrela no jardim circundante, “lugar primordial”, originariamente construída na Rua Dr. Zamenhoff, 65 (no bairro Alto da Glória, em Curitiba), antes e depois de haver sido desmontada (1998-2018). Incluem-se fascículos, catálogos (da 10ª Bienal do Mercosul), livros de leituras significativas, publicações decorrentes de pesquisa comunitária em arte, especificamente na Casa Estrela, em desuso, pesquisa que avançou com o nome de Politopos Irregulares, ao se iniciarem análises de amostras de resinas liberadas no tronco da Araucaria Columnaris; é quando novas morfologias em imagens são descobertas com achados, por exemplo, de ácaro.

    Estruturas e Valores - Antonio Arney

    Divulgação/MON

    Com 93 anos, Antonio Arney realiza a mostra “Estruturas e Valores”, uma grande oportunidade de ver um verdadeiro mestre da arte paranaense, com mais de meio século de produção.

    Suas pinturas com colagens em madeira herdam da arte construtiva e unificam elementos geométricos a materiais usados e de rejeitos, trazendo uma discussão atual sobre a sustentabilidade, arquitetura, memória. 

    Com curadoria de Adolfo Montejo Navas e Eliane Prolik, a mostra é um mapa pictórico do artista autodidata um itinerário concentrado de 24 obras desde 1966 a 2018. Navas e Prolik comentam que o trabalho do artista é uma poética rara e de exceção que traz uma cosmovisão e incorporação de elementos heterodoxos. Ao mesmo tempo, abstrata e matérica, sua pesquisa se aprofunda em modulações, variações e provoca ou reinventa medidas, valores e estruturas do mundo.

    Arney nasceu em 1926 (Piraquara – Paraná). Artista autodidata, aprendeu o ofício de marcenaria com seu pai. Sua longa trajetória profissional começou em Curitiba, desde o final dos anos 1950, com a participação no Círculo de Artes Plásticas.

    Em seu currículo constam inúmeros prêmios, sendo oito premiações no Salão Paranaense. Participou de importantes mostras nacionais e internacionais como: I e II Panorama de Arte Atual Brasileira – MAM/SP (1969 e 1970); XI Bienal Internacional de São Paulo (1971); Brasil Plástica 72; I e III Salão Nacional de Artes Plásticas (1978 e 1980), no Rio de Janeiro.

    Recentemente, realizou as individuais Estações, no MASAC (2015); Outra Coisa, no MuSA-UFPR (2016), e O Poeta e o Marceneiro, na Galeria Boiler (2016). Participa da mostra Luz e Matéria, com obras do acervo do MON, em Curitiba (2018). Em 2019, acontece a publicação do livro Comparações de Valores, sobre sua produção.

    Pierre Verger

    Foto Pierre Verger

    Com curadoria de Alex Baradel e Marcelo Guarnieri, a exposição sobre o fotógrafo Pierre Verger (1902-1996) conta com aproximadamente 150 imagens e está dividida por núcleos que compreendem distintos momentos do seu trabalho, onde o público pode perceber toda a extensão historiográfica e fotográfica da obra de Verger pelo mundo.

    Estão em exibição os primeiros vintages - impressão fotográfica realizada enquanto o autor era vivo; as fotografias para a imprensa francesa, feitas entre 1932-1934; o registro da Segunda Guerra Mundial; o Nordeste brasileiro; os cultos afro-brasileiros; a Segunda Guerra Sino-Japonesa, entre outras documentações.

    Fotógrafo, etnólogo e antropólogo, Verger viveu parte da sua vida na cidade de Salvador, capital do estado da Bahia, inclusive com uma produção escrita significativa sobre esta cultura. Verger  transformou seu trabalho em um grande panorama dos cinco continentes, incluindo o Brasil, onde realizou uma profunda pesquisa.  

    Serviço:

    Exposições dos artistas Didonet Thomaz, Antonio Arney e Pierre Verger no MON

    Até dia 17 de março de 2019, domingo

    Museu Oscar Niemeyer

    Terça a domingo, das 10h às 18h - acesso até 17h30

    Ingressos: R$20,00 e R$10,00 (meia-entrada)

    Rua Marechal Hermes, 999

    Centro Cívico

    www.museuoscarniemeyer.org.br

     

  • Jornalista abre mostra de fotografia sobre o Haiti

    Inaugurou hoje, 12/03, no Museu do Expedicionário, a mostra "Sobre Vivências: um olhar feminino sobre o Haiti", da jornalista Daiane Andrade, no Museu do Expedicionário, com cerca de 50 fotografias sobre a vivência da repórter no país.

    Daiane participou da cobertura do fim da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah), no fim de agosto de 2017. A experiência também inspirou a série de reportagens “Do inferno à esperança – o Haiti que (sobre)vive em meio ao caos”, veiculada pela rádio BandNews. A jornalista é ainda coautora do livro "A trajetória dos condenados – Rememórias", lançado pela editora Íthala.

    A mostra fica em cartaz até dia 31 de março e a entrada é gratuita.

    Serviço:

    "Sobre Vivências: um olhar feminino sobre o Haiti", de Daiane Andrade

    12/03 a 31/03/2019

    Museu do Expedicionário

    Rua Comendador Macedo, 655

    Terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 17h; sábados, domingos e feriados, das 13h às 17h.

    http://www.museudoexpedicionario.5rm.eb.mil.br

  • Oficina de Grafite com Marciel Conrado

    O artista Marciel Conrado em ação

    O artista Marciel Conrado realiza neste sábado, dia 16/02, um workshop de grafite na Tetra Gallery, das 10h às 16h. Podem participar pessoas de todas as idades, sem conhecimento prévio em arte. Os ingressos podem ser adquiridos por meio da plataforma Sympla: https://www.sympla.com.br

    Conrado nasceu em Curitiba e graduou-se na Faculdade de Música e Belas Artes do Paraná (EMPAP). Iniciou seu trabalho com grafite em 2005 e possui obras em várias cidades do Brasil e do exterior. Também é arte-educador e designer gráfico, tendo colaborado em várias exposições. Como artista participou de muitas mostras individuais e coletivas ao longo de sua trajetória. Atualmente está com a mostra "Janela", junto com Neiton Nunes, também na Tetra Gallery, que pode ser vista até dia 22 de março. 

    A primeira parte da oficina será teórica, com uma breve explicação sobre mundo do grafite e seus impactos. O artista irá abordar as técnicas de pintura mais utilizadas nas ruas e dará algumas explicações sobre as diferentes ramificações da arte urbana.

    No segundo momento, os participantes vão realizar na prática o que foi explicado. Haverá sprays e uma área de pintura a todos os participantes que vão fazer um mural com o que foi aprendido.

    A parte teórica será ministrada dentro da Tetra Gallery e a segunda ao ar livre, em um local ideal para a utilização de sprays de tinta e outros materiais.

    Para conhecer o trabalho de Marciel Conrado acesse: 

    instagram.com/marcielconrado

    Serviço:

    Workshop de grafite com Marciel Conrado

    Local: Tetra Gallery

    Cel. Dulcídio, 540 - c4  - Curitiba/PR

    Valor da Inscrição: R$120

    Horário:  10h às 16h

    *intervalo de 1h para almoço

    Ingressos: https://www.sympla.com.br


    Obs:

    1. Menores de 18 anos deverão ser acompanhados por um adulto;

    2. Qualquer adulto acompanhante devera ser registrado e pagar a inscrição no curso - a razão para isso se da pelo fato de que independentemente da pessoa estar interessada ou não no curso, ela estará participando por estar presente;

    3. Nos desculpamos por qualquer inconveniente quanto a esta politica, mas é a política de workshops em geral.

  • Projeto de causa humanitária reúne diversas ações em apoio a refugiados

    Evento realizará arrecadação de material escolar para crianças refugiadas de várias nacionalidades

    No dia 16 de fevereiro, sábado, na sede da Asteroide,em Curitiba, acontecerá o evento BE.CAUSE, que tem como objetivo a ajuda humanitária. Neste dia, haverá arrecadação de material escolar (em Curitiba) para crianças refugiadas e captação de recursos para atendimento aos refugiados do Paraná e Roraima.

    O projeto foi criado em parceria com: Asteroide, Os Samaritanos e Linyon Global Workers e apoio da Editora Collaborativa.

    Para aproximar diversas culturas por meio da arte, a sede da Asteroide promoverá diversas atrações culturais, como: performance, artes visuais, música, gastronomia e bate-papo em um único evento. Obras de arte serão colocadas â venda e todo o valor arrecadado será revertido para a campanha.CAUSE

    Além disso, todo o material escolar doado será reunido para que na semana seguinte seja realizada a distribuição nas comunidades que o projeto abrange.

    Evento acontecerá dia 16 de fevereiro

    A entrada é franca e a programação ocorre entre 15h e 22h. Confira o funcionamento:

    Veja como ajudar:

    Você pode entregar sua doação nos pontos de coleta (informações em andamento);

    Adquirindo uma obra da exposição;

    Comprando um dos pratos e/ou bebidas vendidos no evento. (Todo valor arrecadado será revertido para a campanha.)

    Divulgando o evento/campanha!

    Sendo voluntário no dia do evento!

    Contato pelo whats 41 99581 3018 – Ana Rivelles

    Programação do evento (sujeita a alterações):

    Sábado, 16 de fevereiro de 2019, das 15h às 22h.

    15:00 – Abertura da Exposição

    Artistas:

    Atelier Vinco (instalação)

    Bruno Santos (fotografia)

    Brunno Covello (fotografia)

    Deise Dias (pintura)

    Michele Bravos (fotografia)

    Isabelle Mesquita (instalação)

    Marlon Anjos (pintura)

    Ricardo Durski (litografia)

    Tales Costa (desenho arquitetônico)

    Vivien Zanlorenzi (pintura)

    15:30 - Livro de Esboço, performance musical de Angelo Esmanhotto

    16:00 – Performance Manifesto Crespo

    16:30 – Show Acústico com Wes Ventura

    17:30 – Roda de bate-papo

    19:00 – Fechamento do evento com Show da Banda Perna Leiga

     

    *Comidinhas por Yasmin Comida Árabe

    **Durante todo o evento serão exibidos filmes selecionados pela curadoria de Rayat O'Haylle

     

    *Evento Gratuito*

    PERGUNTAS FREQUENTES

    Para participar é preciso doar em grandes quantidades?

    Não! Toda (toda mesmo!) ajuda é bem vinda! Você pode doar uma caneta e seremos igualmente gratos.

    O evento é gratuito?

    Sim! Totalmente gratuito e todxs são muito bem vindxs!

    O que é estar refugiado?

    Refugiados são pessoas que se encontram fora do seu país devido a fundado temor de perseguição por motivos de raça, religião, nacionalidade, opinião política ou participação em grupos sociais e que não possa ou não queira voltar para casa.

    Também são considerados refugiados aqueles que fogem de seu país de origem por causa de conflitos armados, violência generalizada e violação massiva dos direitos humanos.

    Por que ajudar crianças refugiadas e não os crianças brasileiras que tanto precisam?

    Entendemos que não há distinção entre brasileiros e não-brasileiros. Todos formamos uma única raça – a raça humana. Acreditamos que a diversidade é uma força quando todos se unem por um mesmo objetivo. Acolher quem está refugiado não se resume a aceitá-los no nosso país, mas compartilhar histórias, culturas, música, gastronomia, arte e visões diferentes de um mesmo mundo.

    Aceitar é acolher e acolher é o contrário de marginalizar. Aceitá-los, fala sobre quem somos, e que projetos temos para a nossa sociedade, pois, reafirmamos, não existe o “nós” e o “eles”. Acolher forma laço e não muro, é sinal de força, do que se faz em solidariedade, sentimento, gesto, aquilo que não tem fronteiras e que une corações.

    Serviço:

    Be.Cause: Campanha de Ajuda Humanitária

    Local: Asteroide, Rua Flávio Dallegrave, 2661, Hugo Lange, Curitiba

    Data: Sábado, 16 de fevereiro de 2019, das 15h às 22h.

    Entrada gratuita

    Confira a página do evento, aqui:

    https://goo.gl/qkZm23  

    Crédito das fotos: Brunno Covello

  • Marciel Conrado e Neiton Nunes abrem mostra em Curitiba

     

    Diz no início do texto da exposição: "Janela. Olhar através dela, olhar por ela, olhar a partir da sua perspectiva. Olhar de (para) dentro e olhar de (para) fora. A partir dessa ideia, os artistas Marciel Conrado e Neiton Nunes apresentam suas obras e revelam seus pontos de vista sobre o mundo. A arte chega pelos olhos, pelas mãos e pela percepção de transpor para um suporte material um universo particular. E neste instante tudo muda."

     

    "Janela" traz aproximadamente 25 obras inéditas de ambos os artistas produzidas este ano e o público poderá ver este resultado a partir desta quinta, dia 13/12, às 19 horas, na Tetra Gallery. Marciel e Tri têm uma longa trajetória ligada à arte urbana e suas sobras podem ser vistas em várias cidades do Brasil e do mundo.

     

    Para conhecer mais os seus trabalhos acesse:

    @instagram.com/marcielconrado

    @instagram.com/arvore.one

     

    A mostra fica em cartaz até dia 13 de fevereiro de 2019 na Tetra Gallery. A visitação pode ser feita de segunda a sexta, das 11h às 19h. Todos os trabalhos também estarão à venda.

     

     

    Obra "Carne" - Neiton Nunes

     

     

    Obra "Máscara" - Marciel Conrado

     

    Serviço:

    Abertura da mostra "Janela" - Marciel Conrado e Neiton Nunes

    Tetra Gallery

    Quinta, 13/12, 19 horas

    Endereço: Cel. Dulcídio, 540 - c4  - Curitiba/PR

    (41) 99946-1053

    www.tetragallery.com

     

  • Arte Livre acontece neste fim de semana em Curitiba

     

     

     

     

     

    O evento Arte Livre, que chega à quarta edição, acontece neste fim de semana, dias 10 e 11 de novembro, das 13h às 21h, no Curitiba Skate Plaza. São 70 artistas convidados, entre tatuadores e grafiteiros, com pinturas realizadas em Decks de Skate, bazar de roupas, música e graffiti.

     

    Serviço: 

    Arte Livre 4ª edição 
    Dias 10 e 11 de Novembro na Curitiba Skate Plaza, localizada na Travessa da Lapa - 231 
    Entrada R$10,00 mais um kilo de alimento.

  • Nair Kremer inaugura a mostra "Sou livre porque tenho laços"

     

    Nair Kremer inaugura a exposição “Sou livre porque tenho laços”, dia 13 de setembro, quinta, às 19 horas, no Museu Guido Viaro. A mostra traz a leitura da trajetória de Nair Kremer como artista, arte-educadora e também sua visão pessoal, como o exame das questões internas com a aproximação ao outro, que é convidado a doar sua subjetividade ao entrar em contato com o trabalho da artista. "Essa cumplicidade provoca encontros e situações de aprendizagem e ensino, que apresentam novas possibilidades de entendimento do que é ser livre" analisa a curadora Marina Ramos.

     

     

     

    Sobre a artista

    Nair Kremer nasceu em São Paulo, em 1938, filha de judeus austríacos. Mãe de quatro filhos e avó de onze netos, sempre tomou a arte como um exercício cotidiano, inclusive, no hábito de registrar constantemente as alegrias de sua vida em família. A produção constante da artista é frequentemente exposta em museus e eventos como as exposições Poéticas da Natureza e Um Mundo Sem Molduras, sob curadoria de Kátia Canton, no Museu de Arte Contemporânea, em 2008 e 2009, respectivamente. Nair Kremer é Arte Educadora, exercendo este ofício desde 1977. Além de seus projetos e pesquisas individuais, trabalha como professora e orientadora em arte. Sua atuação reflete a crença de que por meio da cultura, do acesso à arte, podemos despertar potencialidades diversas capazes de transformar a nós mesmos e nossas ações no meio em que vivemos.

     

     

     

    A mostra faz parte da programação do Sabra Festival de Arte Brasil x Israel. Na abertura do evento também acontecerá “Ghost and Golem Chapter II”, performance de Dan Allon, artista israelense multidisciplinar residente em Berlim. Seu trabalho explora diversas mídias como música, quadrinhos, performance, desenho e instalação. Possui mestrado no programa de Belas Artes da Faculdade de Arte Hamidrasha em Israel (2014). Faz parte do coletivo Humdrum e do duo performático Bad Research. Seu trabalho é mostrado em museus, galerias, festivais e espaços em Israel e no mundo.

     

    Serviço:

    Exposição "Sou livre porque tenho laços",de Nair Kremer

    Abertura: 13 de setembro, quinta, às 19h

    Período expositivo:13 de setembro a 14 de outubro

    Horário de visitação: Terça a sábado, das 14h às 18h

    Entrada franca

    Classificação livre

     

    Museu Guido Viaro

    Rua XV de Novembro, 1348 - Centro

    Curitiba - PR

  • Série televisiva exibe circuitos autônomos nas artes visuais

    Legenda

     

    Projeto é coordenado pelo artista e pesquisador Newton Goto


     

    O projeto Circuitos Compartilhados TV (CCTV) apresenta em formato televisivo uma série com mostras de vídeo e entrevistas com artistas de todas as regiões do país, inclusive com participações internacionais. A programação acontece de 7 de agosto a 20 de dezembro de 2018,às 21h, na UFPRTV (canal 15 da net), com 40 episódios. 

     

    Coordenado por Goto por meio do organismo artístico EPA! - Expansão Pública do Artista - tem como base os acervos anteriormente organizados pelo artista em Circuitos compartilhados (2008), Rotação de culturas (2014) e Livre-troca (2016-2017).

     


    Duplo selfie CCTV/Nervo Óptico, Curitiba/Porto Alegre. Com Clovis Dariano, Ana Albani, Vera Chaves Barcellos, Telmo Lanes e Goto

     

    CCTV  propõe18 novos programas temáticos montados com novos títulos, atualizando, ampliando e aprofundando reflexões. É o maior acervo organizado sobre circuitos autônomos de artes visuais no Brasil, no sentido contextual, histórico e de abrangência geográfica.

     

    Cada episódio do CCTV está formatado em dois segmentos, uma entrevista com um artista ou coletivo, seguida de uma exibição de vídeo. CCTV exibe assim aproximadamente 6h40min de entrevistas e 30 horas de programação de videoarte.

     


    Cildo Meireles em seu ateliê sendo entrevistado por Goto

     

    O conteúdo relaciona-se a registros audiovisuais de "ações em circuitos autônomos nas artes visuais", com ênfase na cena de arte contemporânea brasileira a partir da década de 1960, apresentando também algumas participações internacionais. Um “lema” da proposta é “Rede de compartilhamento de estratégias de contracultura nas artes visuais”. O projeto homenageia os artistas Bruno Lechowski (Varsóvia, 1887 - Rio de Janeiro, 1941) e Paulo Bruscky (Recife, 1949) por seus diferentes pioneirismos na proposição de circuitos artísticos no Brasil.

     

    O homenageado Bruscky em entrevista para o programa 02 do CCTV. Cenário e figurino em duplo chroma key e estética "Global groove"

     

    São trabalhos de intervenção urbana, happenings, ações colaborativas, propostas de coletivos de artistas, programações em espaços alternativos, ou seja, diversos tipos de estratégia onde o artista além de propositor da obra é também o mediador dela com o público.

     

     


    Sergio Moura em entrevista para o episódio "Curitiba anos 70" no CCTV

     

    Serão exibidas entrevistas de artistas e mostras de vídeo de André Parente, Bia Medeiros, Cildo Meireles, Dias e Riedweg, Dyógenes Chaves, Grupo EmpreZa, Grupo Nervo Óptico, Frente 3 de Fevereiro, Julia Risler e Pablo Ares/Iconoclasistas, Lula Wanderley, Maria Ivone dos Santos, Ines Linke e Louise Ganz, Jailton Moreira,  Paulo Bruscky, Ricardo Basbaum, Ricardo Moreno, Sergio Moura, entre outros.

     


    Entrevista sobre Cicloativismo na Praça de Bolso do Ciclista com Fernando Rosenbaum e Goura Nataraj

     

    O projeto

    CCTV, a atual etapa de realização do projeto Circuitos compartilhados,  tem apoio da COPEL; parceria com a UFPRTV; é uma realização da EPA!; e tem o incentivo do Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura/ PROFICE - Secretaria de Estado da Cultura - Governo do Estado do Paraná.

     

    O programa será exibido inicialmente no canal por TV a cabo da UFPRTV com abrangência na Região Metropolitana de Curitiba, podendo ser replicado (simultânea ou posteriormente) por TVs universitárias federais de outros estados vinculadas ou não à Rede IFES (Rede de TVs universitárias das Instituições Federais de Ensino Superior), ou seja, pode ser exibido em outras regiões metropolitanas brasileiras ou redes de alcance de cada uma das TVs.

     


    Leonarda Glück e Goto em entrevista para CCTV na UFPRTV

     

    Os programas exibidos nas terças às 21h têm reprise na quarta, às 15h30, sábado, às 19h, e domingo, às 11h e 17h. Os das quintas, às 21h, serão reprisados na sexta, às 15h30, domingo, às 20h30 e segunda, às 15h.

     

    Posteriormente os conteúdos serão disponibilizados na internet em rede pública própria da UFPRTV, com acesso público e gratuito, podendo também ser usados como material educativo em diferentes níveis escolares.

     


    Entrevista sobre Hortas urbanas na Horta do Jacu. No still do vídeo: Claudio Oliver, Goto, Guilherme Scharf, Ricardo Leining e Paulo Roberto Oliveira.

     

    Goto

    Atua como artista, pesquisador, curador e produtor. É doutorando em Poéticas Visuais pela UFRGS, mestre em Linguagens Visuais pela UFRJ (2004) e Especialista em História da Arte do Século XX pela EMBAP (2000). Desde 2001 é coordenador da EPA! Expansão Pública do Artista, entidade autônoma voltada à reflexão histórica e crítica sobre o circuito artístico, organismo dedicado também à produção artística, ao estabelecimento de redes de trabalho colaborativo e ao debate propositivo sobre políticas culturais contemporâneas para as artes visuais, com ênfase na interface entre arte e sociedade. Coordenador do projeto de acervo compartilhado Circuitos compartilhados, cujos antecedentes de pesquisa iniciam em 2000 e cujas ações desdobram-se até o presente, com reverberações junto a museus, universidades, instituições culturais e circuitos autônomos brasileiros e também com algumas articulações internacionais. Idealizador e curador dos projetos de intercâmbio cultural Livre-troca (2016-2017) e Rotação de culturas (2014) e coordenador do projeto de intervenção urbana Galerias subterrâneas (Curitiba, 2008). Membro do coletivo de artistas E/Ou (2005-2013), realizador da série de trabalhos Descartógrafos. De 2005 a 2012 foi membro do Colegiado Setorial de Artes Visuais, entidade de representação da classe artística vinculada ao Conselho Nacional de Política Cultural, órgão consultivo do Ministério da Cultura para a formulação de políticas públicas para o setor. (https://newtongoto.wordpress.com)

     

    EPA! (2001)

    A EPA! – Expansão Pública do Artista – é um organismo autogerido de política cultural. Foi fundado em 2001, em Curitiba, motivada pelo desejo de reflexão contextual sobre arte política e ativista nas artes visuais. A entidade é, em princípio, a expansão pública do artista Goto, um eu coletivo. A atuação da EPA! busca identificar, fortalecer e fomentar uma rede de interlocutores e de produção, tanto no ambiente artístico como no social, tendo como fundamento valores associados a uma arte livre, experimental, heterogênea, crítica, contemporânea e de envolvimento social.

     

    Circuitos Compartilhados (2008)

    A mostra Circuitos Compartilhados teve sua estreia em 2008, na Cinemateca de Curitiba. Decorrente dos projetos Vide o vídeo (2002) e Circuitos em vídeo (2005 a 2007), a iniciativa foi financiada pelo Edital Arte e Patrimônio IPHAN/MinC 2007. O contexto associa-se às práticas dos coletivos de artistas, arte de ativismo cultural, ações colaboracionistas em arte, espaços alternativos, etc. O acervo com 225 títulos audiovisuais de 87 participantes foi formatado em 150 coleções com 35 DVDs e compartilhado entre os participantes, museus, universidades e instituições culturais públicas do Brasil e algumas do exterior.  (https://newtongoto.wordpress.com/circuitos-compartilhados)

     

    Rotação de culturas (2014)

    Intercâmbio cultural entre artistas visuais e pesquisadores de arte da Região Norte e Sul do Brasil a partir da realização de dois encontros, em Belém e em Curitiba, agregando um artista/pesquisador de cada um dos 10 estados integrantes dessas regiões. Inspirada no projeto Circuitos compartilhados, a iniciativa foi financiada pelo Edital Rede Nacional Funarte Artes Visuais 10ª Edição / 2013. Cada artista/pesquisador elaborou um texto e uma curadoria de vídeo sobre o circuito de artes visuais de seu estado, com ênfase nos circuitos autônomos. O acervo com 66 títulos audiovisuais de 49 participantes foi formatado em 200 coleções com 6 DVDs e compartilhado entre os participantes, museus, universidades e instituições culturais públicas do Brasil.   (https://rotacaodeculturas.wordpress.com)

     

    Livre-Troca (2016-2017)

    Intercâmbio cultural entre artistas visuais e pesquisadores de arte da Região Centro-Oeste e Nordeste do Brasil a partir da realização um encontro Maceió. Inspirada no projeto Circuitos compartilhados e no Rotação de culturas, a iniciativa foi financiada pelo Edital Rede Nacional Funarte Artes Visuais 12ª Edição / 2015. Cada artista/pesquisador elaborou um texto e uma curadoria de vídeo sobre o circuito de artes visuais de seu estado/territorialidade, com ênfase nos circuitos autônomos. O acervo com 87 títulos audiovisuais de 71 participantes foi formatado em 120 coleções com 8 DVDs e compartilhado entre os participantes, museus, universidades e instituições culturais públicas do Brasil.

    (http://livretroca.redelivre.org.br/apresentacao)

     

    Os programas e entrevistados do CCTV são:

    PROG 1: EPA! Expansão Pública do Artista. Entrevistado: Goto (PR).

    PROG 2: Bruscky flux. Entrevistado: Paulo Bruscky (PE).

    PROG 3: Cildo Meireles / Inserções em circuitos ideológicos. Entrevistado: Cildo Meireles (RJ).

    PROG 4: NBP + EuVocê. Entrevistado: Ricardo Basbaum (RJ).

    PROG 5: Corpos Informáticos. Entrevistada: Bia Medeiros (DF/RJ).

    PROG 6: Torreão: intervenções. Entrevistado: Jailton Moreira (RS).

    PROG 7: Dias e Riedweg. Mera vista point / Janela do tempo. Entrevistados: Maurício Dias e Walter Riedweg (Brasil/Suíça).

    PROG 8: Dias e Riedweg. Throw. Entrevistados: Maurício Dias e Walter Riedweg (Brasil/Suíça).

    PROG 9: Territórios indígenas: Entrevistada: Naine Terena (MT).

    PROG 10: Zumbi somos nós. Entrevistada: Dona Mauri (SP) (in memorian).

    PROG 11: Curitiba anos 70. Entrevistado: Sergio Moura (PR).

    PROG 12: Nervo Óptico. Entrevistados: Ana Albani de Carvalho, Clóvis Dariano, Telmo Lanes e Vera Chaves Barcellos (RS).

    PROG 13: Paranã-puca: Recife experimental. Entrevistados: Joana D'arc e Jura Capela (PE).

    PROG 14: Nordeste. Entrevistado: Dyógenes Chaves (PB).

    PROG 15: Maranhão 669. Entrevistado: Ramusyo Brasil (MA).

    PROG 16: Amazônia. Entrevistado: Arthur Leandro (PA) (in memorian).

    PROG 17: Letícia Parente e André Parente. Entrevistado: André Parente (RJ).

    PROG 18: Cartografias e mídias táticas. Entrevistados: Julia Risler e Pablo Ares/Iconoclasistas (Argentina).

    PROG 19: Arte comunitária. Entrevistado: Ricardo Moreno (Colômbia).

    PROG 20: NYC: comunidade, ativismo e a cena downtown. Entrevistada: Cristiane Bouger (Brasil/EUA).

    PROG 21: Thislandyourland. Entrevistadas: Ines Linke e Louise Ganz (MG/BA).

    PROG 22: Perdidos no espaço. Entrevistada: Maria Ivone dos Santos (RS).

    PROG 23: Coletivo Madeirista. Entrevistado: Joéser Alvarez (RO).

    PROG 24: Centro-Oeste. Entrevistada: Marithê Azevedo (MT).

    PROG 25: Grupo EmpreZa. Entrevistados: Babidu Barboza, Helô Sanvoy, Paulo Veiga Jordão e Thiago Lemos (GO/RJ).

    PROG 26: Daniel Lima. Entrevistado: Daniel Lima (SP).

    PROG 27: Arte feminista. Entrevistada: Alice Porto (RS).

    PROG 28: LGBT: Entrevistada: Leonarda Glück (PR).

    PROG 29: Lugar. Entrevistado: Rodrigo Araújo/Bijari (SP).

    PROG 30: EAT - Espaço Aberto ao Tempo. Entrevistado: Lula Wanderley (RJ).

    PROG 31: Atrocidades Maravilhosas. Entrevistado: Alexandre Vogler (RJ).

    PROG 32: Política do Impossível. Entrevistados: Daniel Lima e Luciana Costa (SP).

    PROG 33: Ações performativas 1. Entrevistado: Maikon K (PR).

    PROG 34: Ações performativas 2: Fernando Ribeiro e Tissa Valverde (PR).

    PROG 35: Arte e jardinagem. Entrevistadas: Faetusa Tezelli e Gabriela Leirias (PR/SP).

    PROG 36: Hortas urbanas. Entrevistados: Claudio Oliver, Guilherme Scharf, Paulo Roberto Oliveira, Ricardo Leining (PR).

    PROG 37: Arte socioambiental: Entrevistado: Rogerio Newton (PI).

    PROG 38: Cicloativismo: Entrevistados: Fernando Rosenbaum e Goura (PR).

    PROG 39: Tecnologias livres. Entrevistado: Guilherme Soares (PR/BA).

    PROG 40: Desligare. Entrevistado: Goto (PR).

     

     

     

     

    Mapa dos participantes do CCTV

     

    Links de referência:

    Circuitos compartilhados: https://newtongoto.wordpress.com/circuitos-compartilhados/

    CCTV Circuitos compartilhados TV: https://newtongoto.wordpress.com/circuitos-compartilhados-tv/

    Rotação de culturas: https://rotacaodeculturas.wordpress.com/

    Livre-troca: http://livretroca.redelivre.org.br/apresentacao/

    Newton Goto: https://newtongoto.wordpress.com

    CCTV no Facebook: https://www.facebook.com/circuitoscompartilhados

     

     

    Fonte: Divulgação CCTV/Release: Goto

     

    Serviço:

    Programa Circuitos Compartilhados TV (CCTV)

    Programação: de 07 de agosto a 20 de dezembro, terças e quintas, 21h.

    Canal: UFPRTV (Canal 15 na NET)

     

    Informação para a imprensa

    CCTV/Divulgação

    Marianna Camargo

    41 9 9956 2684

    marianna.camargo@gmail.com

     

    Informação para replicação de programação em TVs universitárias públicas

    RP UFPRTV

    Angélica Dal'Negro

    41 3313 2001

    rptv@ufpr.br

    Ficha técnica do CCTV UFPR TV

    Direção Geral: Carlos Rocha Direção de Programação: Carlos Debiasi Relações Públicas: Angélica Dal'Negro Gravação de vídeo: Marcos Marques Operação de switcher: João Matias Medeiros CCTV Projeto Circuitos compartilhados Idealização, cenário, coordenação, pesquisa e entrevista: Newton Goto Assistente de produção: Faetusa Tezelli Arte gráfica: Newton Goto e Simone Bittencourt Animação digital de vinheta de apresentação e da logo CCTV: Vanessa Santos Edição de Vídeo: Eduardo Rohn e Tiago Lipka Assessoria de imprensa: Marianna Camargo

  • Teca Sandrini lança mostra inédita em Joinville

     

    A artista Estela Sandrini. Crédito: Juliano Sandrini

     

    Estela Sandrini realiza uma nova exposição "O que já havia e o que resta", dia 18 de agosto, sábado, a partir das 10 horas, no Instituto Internacional Juarez Machado, Joinville (SC). São 30 obras inéditas da artista visual, produzidas com a ajuda dos olhos da memória e da sua incessante necessidade de criar.

     

    Nas palavras da professora, curadora e crítica de arte Maria José Justino, Estela “só se mostra por inteiro na vivência impetuosa com a arte”. Em seu trabalho, a cor funciona como maneira de existir no mundo e de representar o real. O crítico Fernando Bini é certeiro ao apontar que “é na cor que ela mostra a sua liberdade plástica e toda a sua sensibilidade, fundamento de seu compromisso social e político quando provoca a reflexão, seja pelo desvendamento do universo feminino ou pela revolução cromática”.

     

    Com vasta experiência no mundo das artes, Estela é formada em pintura na Escola de Música e Belas Artes do Paraná, tem especialização em Antropologia filosófica pela Universidade Federal do Paraná. Trabalhou no ateliê do Professor Juan Carlo Labourdette, em Buenos Aires e no Maryland Institute of Art, nos Estados Unidos.

     

    Participou de diversas exposições coletivas e individuais dentro e fora do país, em instituições como a Fundação Cultural de Curitiba (PR), Katzenstein Gallery (EUA), Brazilian-American Cultural Institute (EUA), Museu de Arte Contemporânea do Paraná (PR), Galeria de Arte Banestado (PR), Fundación Centro de Estudios Brasileños (AR), Museu Metropolitano de Arte de Curitiba (PR), Art at Format (EUA), Conjunto Cultural da Caixa, (BA), Ecomuseu de ITAIPU (PR), Centro Cultural Jorge Luis Borges (AR), Embaixada do Brasil (PAR), Galeria de Arte do Banco Itaú (SP). De 2011 a 2017 foi Diretora Cultural do Museu Oscar Niemeyer. Foi selecionada e premiada em diversos salões oficiais pelo Brasil.

     

    "O que já havia e o que resta: pinturas de Estela Sandrini" apresenta uma artista coerente, cuidadosa e em plena força criativa.

     

    Serviço

     "O que já havia e o que resta: pinturas de Estela Sandrini"

    Abertura: dia 18 de agosto de 2018 (sábado), a partir das 10 horas.

    Encerramento: dia 28 de outubro de 2018.

    Local: Instituto Internacional Juarez Machado, R. Lages, 994 - América, Joinville - SC

     

  • Semana de abertura de exposições em Curitiba

    Junho começou com a semana cheia de aberturas de exposições e eventos culturais. Nesta quinta, dia 07/06, serão duas: a artista nascida em Paris, Julia Kater, traz a mostra "Breu", com curadoria de Paulo Miyada, que reúne desenho, vídeo e fotografias no Museu Oscar Niemeyer. Já na Galeria Teix, Salma Nasser transforma objetos do dia a dia, como fios retorcidos, peças metálicas e plásticas, restos de lanternas de automóveis, bijuterias perdidas, em obras de arte, na sua primeira mostra individual "Coletora de Joias". Ambas as mostras abrem às 19 horas com entrada franca. 

     

    A artista e designer Salma Nasser. Foto Divulgação

     

    Na sexta, dia 08/06, Estela Sandrini é a artista convidada do projeto "Te encontro no Guido", no Centro Estadual de Capacitação Artes Guido Viaro, com curadoria de Marcia Msascarenhas, e apresenta a exposição "Memória e Percepção - O visível do invisível", com obras de diferentes fases de sua trajetória. Haverá tambémm um bate-papo com a artista no mesmo local, com entrada livre.

     

     

    Estela Sandrini (Teca). Foto Divulgação MON

    Estela Sandrini (Teca). Foto: Divulgação/MON

     

    Dia 09/06, sábado, às 11h, os artistas Cleverson Luiz Salvaro, Fernando Ribeiro, Tony Camargo e Willian Santos apresentam "Cada Vez Mais Perto", com curadoria de Ana Rocha. A exposição foi pensada a partir de discussões sobre o uso do espaço público e o acesso da população à arte e à cultura de maneira geral. As obras estarão colocadas em locais espaços ociosos, locais históricos, no trajeto de casa, por exemplo, distribuídas pelo centro de Curitiba. A abertura será na rua Duque de Caxias, 477.

     

     

    No mesmo dia, sábado, 09/09, das 12h às 22h, e no domingo, dia 10/06, das 13h às 18h, o restaurante Fellini organiza um bazar multicultural em seu espaço. O evento contará com mais de 20 expositores, valorizando as marcas locais, e reúne arte, moda, gastronomia, música e atividades para crianças e adultos. Esta será a primeira edição do "Pechinchas No Fellini", com entrada gratuita, sem couvert e sem cobrança de estacionamento.

     

     

    Serviço:

    Quinta, dia 07/06

    Abertura da mostra "Breu" - Julia Kater

    Museu Oscar Niemeyer - Rua Marechal Hermes, 999

    Horário:19h, entrada franca

    www.museuoscarniemeyer.org.br

     

    Abertura da mostra Coletora de Joias - Salma Nasser

    Galeria Teix -  Alameda Augusto Stellfeld, 1581

    Horário: 19h, entrada franca

    teix.ink

     

    Sexta, dia 08/06

    Abertura da exposição "Memória e Percepção – O Visível do Invisível" - Estela Sandrini

    Centro Estadual de Capacitação e Arte Guido Viaro - Francisco Mota Machado, 490 - Capão da Imbuia

    Horário: 20h, entrada franca

    http://centrodeartesguidoviaro.com.br

     

    Sábado, dia 09/06

    Abertura da exposição "Cada vez mais perto"

    Inauguração: Duque de Caxias, 477

    Ponto de partida: Marco zero de Curitiba (em frente à Catedral da Praça Tiradentes)

    Horário: 11h, entrada franca

    https://www.facebook.com/events/2176633545951425/

     

    Sábado e domingo, dias 09 e 10/06

    Evento multicultural "Pechinchas no Fellini"
    09 de junho (sábado) - 12h às 22h e 10 de junho (domingo) - 10h às 18h
    Restaurante Fellini
    Av. Manoel Ribas, 4227 – Cascatinha

    (41) 3026-7300

     

     

     

  • Curitiba sedia Encontro Internacional de Grafitti

    Curitiba sedia Encontro Internacional de Grafitti

    O Festival Street of Styles - Encontro Internacional de Graffiti acontece de 10 a 15 de abril em vários espaços da cidade. Em sua sétima edição, estão programadas mais de 128 ações envolvendo dança, arte, cultura e música com artistas de 30 países e 22 estados brasileiros.

    Estarão presentes artistas de diversos países, como Argentina, Espanha, Chile, Índia, Grécia, Marrocos, Japão, Rússia, entre outros, além de diversos estados do Brasil.

    Segundo o organizador do evento, Michel Devis, o pensamento é ampliar a dinâmica do festival e promover a cultura na cidade. “O Street of Styles é um evento mundial de integração cultural e intercâmbio entre grafiteiros, artistas urbanos, dançarinos, músicos, atletas radicais e demais expressões urbanas", afirma.

    O público ainda pode conferir batalhas de dança, palestras, mesas redondas, minicursos de produção musical, entre outros. No sábado e domingo, dias 14 e 15, acontecem os três grandes eventos do Street of Styles.

    O Encontro de Graffiti vai reunir 200 artistas convidados, das 9h às 18h, pintando simultaneamente 12 locais totalizando 2 mil metros lineares de murais. Das 14h às 19h, o Memorial de Curitiba recebe as batalhas de Breaking Dance, com aproximadamente 300 competidores. E ainda das 15h às 21h o Palco das Ruínas do São Francisco recebem diversas atrações musicais.

    A realização do Realização do 7° Street of Styles - Encontro Internacional de Graffiti é da Capsula Graffiti Shop.

     

    Confira a programação completa: www.streetofstyles.com

     

     

    SaveSave

  • Morre a artista Corina Ferraz

    Morre a artista Corina Ferraz

    A artista visual Corina Ferraz faleceu nesta sexta, dia 30 de março, em Curitiba. Corina nasceu no Leme (SP), em 1948, e depois mudou-se para Curitiba, onde estudou na Escola de Música e Belas Artes do Paraná (Embap). Reconhecida pela sua produção de arte naïf, participou do Salão dos Novos (1971) e do 47.º Salão Paranaense (1990); na Argentina, esteve na VII Bienal de Arte Sacra (1998) e, nos Estados Unidos, da coletiva na Gallery Catholic Theological Union, em Chicago (2000).

     

     

    Segue texto publicado para a Revista Ideias em março deste ano.

    Os céus de Corina Ferraz

    Ritmo, canção, cor, delicadeza. Assim é Corina Ferraz e sua obra. A artista, que estudou em colégios internos, trouxe a liturgia, o latim e o canto para sua vida. Transformou seu trabalho em poesia, a cor em imaginação. Corina vê a vida quando olha para o céu.

    Artista: compositora, pintora, cancioneira, poeta. Nas suas mais variadas formas, tem o que considera essencial à vida: pureza. “Sem isso não é possível fazer nada”, avisa.

    Nasceu no Leme (SP), em 1948, e depois mudou-se para Curitiba, onde estudou na Escola de Música e Belas Artes do Paraná (Embap). Reconhecida pela sua produção de arte naïf, participou do Salão dos Novos (1971) e do 47.º Salão Paranaense (1990); na Argentina, esteve na VII Bienal de Arte Sacra (1998) e, nos Estados Unidos, da coletiva na Gallery Catholic Theological Union, em Chicago (2000).

    Em 2012 realizou a exposição individual “Ceias Sertanejas”, no Museu de Arte Sacra da Arquidiocese de Curitiba. Foi premiada no Salão de Miniquadros do Museu de Arte Contemporânea do Paraná (1985) e no 10.º Salão de Jacarezinho (1994).

    Em sua percepção, “as pessoas precisam olhar mais para cima, ver o céu, as nuvens, o arco-íris”. Reflexo disso está em sua obra, como um espelho.

    Corina trabalha como se rege uma orquestra. Ouve nota por nota, afina o som, tem os olhos e os ouvidos atentos para os descompassos e para a beleza e, dessa maneira, cria, percebe, equilibra.

     

    Crédito foto: Kraw Penas

  • Evento exclusivo celebra skate paranaense

    O skate paranaense será celebrado em um evento exclusivo neste próximo sábado, dia 24/02, às 17h, no Acervo Circular. Haverá uma exposição de caricaturas de figuras da cena local e na sequência acontece a entrega das artes aos respectivos homenageados.   [caption id="attachment_835" align="aligncenter" width="288"]Maguila. Arte: Bozer Marcos Maguila. Arte: Bozer[/caption]   "SKATE HOMENAGEM PARANÁ" tem como objetivo enaltecer  as pessoas que ajudaram a construir a história do skate no Estado e contribuíram muito para o crescimento do esporte no país, além de fortalecer a imagem do skate brasileiro ao redor do planeta, com o apoio de profissionais de diversas frentes, alguns deles presentes neste evento.   [caption id="attachment_836" align="aligncenter" width="295"]Calazans. Arte: Bozer Calazans. Arte: Bozer[/caption]     O público poderá ver as caricaturas feitas pelo artista por NinoGrafs, com intervenção da artista letrista Angélica Lopes e comunicação virtual, por meio de ilustrações digitais, do artista Bozer. Multiartistas que atuam no segmento da tatuagem e/ou grafite foram convocados para fortalecer o projeto. A ação é baseada no projeto "Fotos de Gaveta Homenagens", do artista NinoGrafs.   [caption id="attachment_838" align="aligncenter" width="325"]Larissa Carollo. Arte: Bozer Larissa Carollo. Arte: Bozer[/caption]       [caption id="attachment_839" align="aligncenter" width="323"]Miguel Catarina. Arte: Bozer Miguel Catarina. Arte: Bozer[/caption]   Evento: Skate Homenagem Paraná Data: 24 de fevereiro de 2018 (sábado) das 17 às 22 horas Local: Acervo Circular Rua Mateus Leme,142 e (41) 3010-1218 Curitiba/PR   Homologação: PRa Skate Associação Paranaense de Desenvolvimento da Cultura e da Prática do Skate Mais informações no site: www.fotosdegaveta.com.br   Idealização: Campeonatos de Skate Patrocinios: Drop Dead Skateboard – Hondar Skateboards – Zabô Street Eyewear – New Skate Apoios: Boozone – Us Street – CX Caps – Everlong – Skate: Este Carrinho Não Polui Cobertura: InnerSport – Portal OH2C – Central Skate Mag – Portal Tattoo – Tatuagem – Bela Tatuada Chancela: PRa Skate Arte Flyer Skate Homenagem Paraná: Daniela Carrara Arte Flyer Fotos de Gaveta: Diego Almeida Ilustrações Digitais: Fabricio Bozer Caricaturas: NinoGrafs Letterings: Angélica Lopes Foto Expo: Hélio Guerra
  • Paranaguá e Curitiba recebem mostra de Zardo

      A Casa de Cultura Monsenhor Celso, em Paranaguá, litoral paranaense, realiza a primeira exposição do artista Zardo, "Sombras Inversas", no dia 21 de fevereiro, quarta, às 19 horas.   Foram selecionadas obras que resgatam a pesquisa autoral do artista, apuro técnico permeou a obra escultórica de Zardo, como em suas cerâmicas policromadas, resultado de temperaturas muito elevadas com curvas térmicas longas, que ganham o espaço em arranjos muitas vezes de repetidas formas e cores diversas.   [caption id="attachment_824" align="aligncenter" width="620"]Cerâmica. Foto Marcos Campos Cerâmica. Foto Marcos Campos[/caption]   A mostra segue depois para Curitiba, dia 22 de de março, no Museu da Gravura, no Solar do Barão.   De acordo com o curador Carlos Henrique Tullio, além das exposições, serão realizadas oficinas de experimentação com argila, ministradas e destinadas ao público infantil gratuitamente, durante alguns dias a definir, durante o período das mesmas exposições. No final da exposição será lançado um catálogo que consta do Projeto Cultural.   Sobre o artista Faustino Zardo nasceu em Sapucaia do Sul (RS) e morou em Curitiba até seu falecimento, em 2016. Realizou inúmeras exposições desde 1993. Foi professor de cultura, cerâmica, litogravura e gravura em metal  e serigrafia. Suas obras, em sua maioria cerâmicas, resgatam a pesquisa autoral do artista.   [caption id="attachment_826" align="aligncenter" width="200"]O artista Faustino Zardo. Foto: Igor Gomes O artista Faustino Zardo. Foto: Igor Gomes[/caption]     Serviço Exposição "SOMBRAS INVERSAS" de ZARDO Local:Casa de Cultura Monsenhor Celso, Paranaguá (PR). Abertura: 21 de fevereiro, quarta, às 19 horas Até: 13 de maio de 2018 Horários para visitação: Segunda a sexta: 8h às 11h e das 13h às 18h Sábados: 13h às 18h Entrada franca Endereço: Largo Monsenhor Celso - Centro Histórico - Paranaguá - PR.
  • O underground curitibano em exposição na Gibiteca

      Um time de artistas do "underground" local está reunido na mostra "Underground Ilustrado: a arte visual da cena musical curitibana", que abre dia 9 de fevereiro, sexta, às 19 horas, na Gibiteca de Curitiba.   [caption id="attachment_792" align="aligncenter" width="620"]Arte: Magoo Arte: Magoo[/caption]
      Cartazes, capas de álbuns, fanzines, pinturas, ilustrações e esculturas estão em exposição, feitos por artistas que participam do underground, principalmente na música, e que tem na arte visual mais uma forma de contribuir com a cena alternativa da cidade.   [caption id="attachment_794" align="aligncenter" width="620"]Arte: Christiano Neto Arte: Christiano Neto[/caption]
    Participam da mostra:Chico Felix, Koti, Lemer Luiz, Ulisses Rodrigues, Maxweel Alves, Jura, G-lerm, Rafael Silveira, Wilson, Thiago, Gusso, Christiano C.Neto, Daniel Gonçalves, Eli, Fernando Nishijima, Mario Alencar, Romvlvs e Leandro Almeida.
    [caption id="attachment_795" align="aligncenter" width="620"]Arte: G-Lerm Arte: G-Lerm[/caption]
      Homenagem Acontece também uma homenagem ao artista Magoo, morto em 2015, aos 44 anos. Alessandro Rüppel Silveira, conhecido como Magoo, começou a carreira aos 16 anos, em 1987 venceu o prêmio de artes plásticas "Primeira Visão", quando ainda era estudante do Colégio Estadual do Paraná. Responsável também por capas de álbuns produzidos pelo projeto "A Grande Garagem que Grava" e inúmeros materiais para a cena musical da cidade.   [caption id="attachment_800" align="aligncenter" width="444"]O artista Magoo é homenageado na mostra O artista Magoo é homenageado na mostra[/caption]   No mesmo dia haverá show das bandas Repelentes e Rabo de Galo, às 20h. A exposição tem curadoria de Christiano C. Neto e Daniel Gonçalves e fica em cartaz até dia 30 de março.   Serviço: Abertura da exposição "Underground Ilustrado: a arte visual da cena musical curitibana" Data: 9 de fevereiro, sexta, às 19 horas Até 30 de março de 2018 Local: Gibiteca de Curitiba Entrada franca


  • Fotógrafos da Espanha e Polônia registram olhares além-mar

    [caption id="attachment_763" align="aligncenter" width="620"]Adam Lipinski e Hermes de la Torre São Paulo. Foto Adam Lipinski[/caption]   Cerca de 50 fotografias de Adam Lipinski (Varsóvia, Polônia) e Hermes de la Torre (Granada, Espanha) mostram diferentes formas de ver o mundo. A mostra “Oceano entre Terras: convergência e hibridação” trata deste tema, com olhares diferentes e ao mesmo tempo com pontos em comum sobre espaços que poderiam estar nos dois lados do Oceano Atlântico, seja na Europa ou na América Latina.   [caption id="attachment_775" align="aligncenter" width="620"]Montevideo, Uruguay. Foto Hermes de la Torre Montevideo, Uruguay. Foto Hermes de la Torre[/caption]   A exposição, com curadoria de Elena Barcellos e Oscar Dominguez Nuñez, pode ser vista no Museu Alfredo Andersen,  a partir do dia 30 de janeiro, terça, às 18 horas, com entrada gratuita. As fotos ficam em cartaz até dia 1 de abril de 2018.     [caption id="attachment_765" align="aligncenter" width="568"]Adam Lipinski e Hermes de la Torre Uyuni, Bolívia. Foto Adam Lipinski[/caption]   Sobre os autores Adam Lipinski (Varsóvia, 1979). Fotógrafo de rua, especialista em estudos culturais latino-americanos. Sua obra promove encontros com o ambiente urbano, transitado, comunitário, com desfiles e celebrações populares, reminiscências longínquas de sua infância na Polônia comunista. Sua perspectiva nos submerge no despojamento do supérfluo, com a captação do preciso momento no qual as pessoas e cenários retratados se expressam dentro e fora da vida cotidiana. Atualmente mora em São Paulo. Instagram Adam Lipinski: ad_pl   [caption id="attachment_771" align="aligncenter" width="620"]Mtscheta, Geórgia. Hermes de la Torre Mtscheta, Geórgia. Foto Adam Lipinski[/caption]   Hermes de la Torre (Granada, 1965).  Fotógrafo de rua. Atualmente é chefe de estudos do Instituto Cervantes de São Paulo, último destino depois de passar pelo Egito, Irlanda e Polônia, o que lhe permitiu observar a vida a partir de vários ângulos e perspectivas. Sua fotografia vai ao encontro de detalhes inusitados, pessoas e paisagens sensivelmente registradas, inclusive, em cidades profusamente expostas como o Rio de Janeiro ou Buenos Aires. Instagram:  Hermes de la Torre: hermes_delatorre     [caption id="attachment_774" align="aligncenter" width="620"]Havana, Cuba. Foto Hermes de la Torre Havana, Cuba. Foto Hermes de la Torre[/caption]   Serviço Abertura da exposição “Oceano entre Terras: convergência e hibridação” Dia 30 de janeiro de 2018 às 18h Até 1 de abril de 2018 Entrada gratuita Museu Alfredo Andersen Rua Mateus Leme, 336. Curitiba-PR Terça a sexta-feira, das 9h às 18h Sábado, domingo e feriado das 10h às 16h 41 3222-8262 | 41 3323-5148 www.maa.pr.gov.br | maa@seec.pr.gov.br
  • Bienal de arte e cultura digital exibe obras de artistas mundiais

    A partir deste sábado (16/12), às 17 horas, o público poderá conferir a exposição "Subli_me / The Wrong New Digital Art Biennale", na AIREZ - Galeria de Artistas Independentes. Considerada a maior e mais diversificada bienal internacional de arte e cultura digital, o evento apresenta os trabalhos de jovens talentos da cena de cultura digital de todo o mundo.   [caption id="attachment_736" align="aligncenter" width="496"]Os alemães do Looping Lovers têm como marca uma preocupação crítica ou satírica com maus hábitos, capitalismo de consumo e cultura popular. Foto Divulgação Os alemães do Looping Lovers têm como marca uma preocupação crítica ou satírica com maus hábitos, capitalismo de consumo e cultura popular. Foto Divulgação[/caption]   No dia da abertura, às 18h, a artista porto-alegrense Sayuri Kashimura apresenta a performance inédita de “Entre o Peso e o Espelho” desenvolvida em suporte de realidade virtual onde os novos modelos estéticos se referem aos novos modos de vida e às novas formas de percepção. Além de Curitiba, seus trabalhos já foram expostos em galerias de São Paulo, Rio de Janeiro e Bangkok na Tailândia. Em seguida, às 19h, ocorre a apresentação musical do Caosmic.   [caption id="attachment_740" align="aligncenter" width="620"]Connor Sherlock cria espaços virtuais onde é possível se perder e ficar só. Seus jogos eletrônicos se concentram na permeabilidade dos limites dos níveis e na futilidade da autonomia total do jogador em um mundo que irá ignorá-lo. Foto Divulgação O canadense radicado no Reino Unido CONNOR SHERLOCK cria espaços virtuais onde é possível se perder e ficar só. Seus jogos eletrônicos se concentram na permeabilidade dos limites dos níveis e na futilidade da autonomia total do jogador em um mundo que irá ignorá-lo. Foto Divulgação[/caption]     Curadoria Flávio Carvalho que já expôs seus trabalhos de arte e tecnologia na Madatac, em Madrid, no Subtle Technologies Festival, em Toronto e no Bideodromo, na Espanha, entre outros, é o responsável por assinar a curadoria desta edição, em Curitiba. Para ele, possibilitar com que a cidade seja uma das embaixadas da The Wrong, no Brasil, fomenta a fusão entre o universo artístico, maker e tecnológico, com o objetivo de uma reflexão e tomada de ação na cultura digital contemporânea. Fundada pelo empreendedor cultural, escritor e artista maker espanhol David Quiles Guilló, desde 2013 a The Wrong tem o objetivo de criar, promover e fomentar o pensamento inovador artístico. Além de incitar a acessibilidade da arte nos espaços públicos, em Curitiba, nas linhas dos ônibus da cidade está sendo exibido alguns vídeos dos artistas que integram a edição da Subli_me e em breve serão disponibilizados em canais da TV pública.   [caption id="attachment_742" align="aligncenter" width="500"]ADAM PIZURNY é um artista digital que vive e trabalha em Praga, República Tcheca. É obcecado em criar formas humanas mutantes e explorar as fronteiras da percepção humana entre o belo e o feio. ADAM PIZURNY é um artista digital que vive e trabalha em Praga, República Tcheca. É obcecado em criar formas humanas mutantes e explorar as fronteiras da percepção humana entre o belo e o feio. Foto Divulgação[/caption]   Destaques Outro destaque do evento, são as exibições ao vivo das obras na Galeria Airez. A partir do dia de estreia, neste sábado, o visitante poderá assistir em diversas plataformas móveis os trabalhos em “work in progress’’ da Subli_me, entre outras já disponíveis desde o dia 01/11 no site https://subli-me.org/.   [caption id="attachment_745" align="aligncenter" width="620"]MATTIS DOVIER é um ilustrador e animador francês que gosta de explorar a relação entre música e imagem de forma dark e divertida. Faz especial referência à estética dos primórdios da internet, ao mangá e à cultura gif contemporânea. Foto Divulgação MATTIS DOVIER é um ilustrador e animador francês que gosta de explorar a relação entre música e imagem de forma dark e divertida. Faz especial referência à estética dos primórdios da internet, ao mangá e à cultura gif contemporânea. Foto Divulgação[/caption]   Artistas Participam os artistas:  Leandro Catapam (Brasil), Sayuri Kashimura (Brasil),  Guilherme Zawa (Brasil), Herbert Baioco (Brasil), LIVENOISETUPI, coletivo de performance multimídia colaborativa formado por Ricardo Palmieri e Alexandre Torres Porres (Brasil), Dina Karadzic  (Croácia), Adam Pizurny (República Tcheca), Mattis Dovier (França), LOOPING LOVERS, dupla formada por Phillipp Ries e Thomas Mayer ( Alemanha) e Connor Sherlock (Canadá). A mostra pode ser vista até dia 31 de janeiro de 2018. A entrada é gratuita mediante o preenchimento deste formulário:  http://bit.ly/2yihmNE     [caption id="attachment_748" align="aligncenter" width="600"]A croata DINA KARADŽIĆ  é ativa na área de arte visual, digital e net.art, trabalhou com animação stop-motion e design de personagens. Foto Divulgação A croata DINA KARADŽIĆ é ativa na área de arte visual, digital e net.art, trabalhou com animação stop-motion e design de personagens. Foto Divulgação[/caption]   Serviço SUBLI_ME / THE WRONG - NEW DIGITAL ART BIENNALE Coquetel de abertura: 16 de dezembro, sábado Horário:  17h. Local: • AIREZ • Galeria de Artistas Independentes Endereço: Rua 13 de maio, 778, cj 15 - São Francisco - Curitiba. Horários de visitação: 10h às 18h (segunda a sexta) 14 às 18h (sábados) O evento é gratuito, mas é necessário preencher o formulário http://bit.ly/2yihmNE  

Quem faz o blog

DESTAQUES DOS EDITORES