Papai Noel existe... ao menos no cinema; veja 11 filmes com o bom velhinho

(Foto: Divulgação)

Papai Noel existe. Pelo menos no imaginário de cineastas e roteiristas. Seja como personagem principal, coadjuvante ou figurante, ele aparece em dezenas de filmes. E vários atores famosos o interpretaram. Desde Richard Attenborough até galãs como Eric Roberts, Kurt Russell e Mel Gibson, que aproveitam a idade – eles passaram dos 60 anos – para tirar um sarro deles mesmos no papel do Bom Velhinho.

Vários filmes brincam com a incredulidade em relação ao Papai Noel. A tentação se colocá-lo em situações do cotidiano é um lugar-comum irresistível especialmente para comédias-família. Também passa pelo capitalismo feroz e pelos mundos corporativos. Em tempos mais recentes, os filmes também exploram referências ao mau comportamento das crianças. Afinal, criança que não se comporta durante o ano não ganha presente. Palavra do Bom Velhinho.

Rodolfo, a Rena do Nariz Vermelho (1964)

Papai Noel é coadjuvante nessa animação clássica feita em stop-motion sobre a rena Rodolfo, que, graças ao nariz que acende e fica vermelho, consegue iluminar o caminho do trenó. Só que seu talento faz com que as outras renas o expulsem. Assim, Rodolfo se junta a Hermey e Yukon Cornelius em uma ilha cheia de brinquedos quebrados e promete ir ao Polo Norte e pedir ao Bom Velhinho para ajudá-los. A rena apareceu em vários outros filmes, inclusive em outra animação chamada ‘Natal em Julho’, de 1979.

Milagre na Rua 34 (1994)

Papai Noel (Richard Attenborough), o verdadeiro, assume o papel de Papai Noel em uma loja de departamentos em Nova York. De tão convincente, consegue atrair muito mais clientes à loja, inclusive a cética Susan (Mara Wilson), de seis anos. Ao vê-lo em ação, ela fica convencida de que o homem é real – principalmente depois que ela o flagra conversando com uma menina surda-muda. Ao mesmo tempo, esse Bom Velhinho desperta a inveja de papais noéis fakes e lojistas concorrentes.

Meu Papai é Noel (1994)

Papai Noel (Tim Allen) sofre um acidente e cai do telhado da casa enquanto estava entregando presentes na casa de um vendedor de brinquedos, Scott Calvin (Tim Allen de novo). Machucado, o Bom Velhinho não tem condições físicas de continuar o trabalho e resolve pedir a ajuda de Scott para salvar o Natal. O homem aceita a complicada tarefa, mas logo percebe que está engordando e ganhando barba – e, com isso, transformando-se no novo Papai Noel. O filme gerou três continuações.

Papai Noel às Avessas (2003)

Papai Noel (Billy Bob Thornton), ou melhor, Willie T. Stokes, trabalha no papel do Bom Velhinho em lojas de departamento, juntamente com Marcus (Tony Cox), um anão que se veste de duende no período. A ideia dos dois é trabalhar na loja no período natalino, descobrir o sistema de segurança e fazer uma “limpa” na véspera de Natal. Contudo, como Stokes trata todos muito mal, a dupla entra na mira do gerente e do responsável pela segurança da loja. E um menino vai ensinar à dupla o espírito natalino.

O Expresso Polar (2004)

Papai Noel (Tom Hanks) já não conta com a fé do garoto Billy (Josh Hutcherson). Sem acreditar mais no Bom Velhinho, o menino espera por algo que faça com que sua crença na figura natalina retorne. É quando um gigantesco trem negro com destino ao Polo Norte estaciona na frente de sua janela e o maquinista o convida para embarcar. Após relutar, ele decide seguir viagem. Uma das primeiras animações feitas com captura de imagem, o filme tem Tom Hanks fazendo vários papéis.

Crônicas de Nárnia: O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupas (2005)

Papai Noel (James Cosmo) aparece rapidamente na terra de Nárnia, mas em um momento-chave da adaptação da história de C. S. Lewis para o cinema. Enquanto os irmãos Peter, Susan e Lucy Pevensie fogem e se escondem da Feiticeira Branca (Tilda Swinton), o Bom Velhinho os encontra e dá a eles armas que serão úteis no combate entre as forças do bem e do mal. Afinal, os irmãos Pevensie ainda precisam tirar o quarto irmão, Edmund, das garras da rainha gélida.

Titio Noel (2007)

Papai Noel (Paul Giamatti) sempre foi um santo, mas tem um irmão, Fred Claus (Vince Vaughn), que é encrenqueiro e que sempre viveu às sombras de seu irmão. Fred arma um trambique que dá errado e fica em apuros, mas acaba socorrido pelo Bom Velhinho. Só que, aí, ele tem quem lidar com o seu irmão problemático na fábrica de brinquedos. E também tem quem lidar com um especialista em eficiência que chegou para avaliar o funcionamento do Papai Noel.

Papai Noel das Cavernas (2010)

Papai Noel (Sami Parkkinen) é encontrado congelado a 486 metros debaixo da terra durante escavações no Monte Korvatunturi, na Finlândia. Os três caçadores que o acharam descobrem que se trata do Bom Velhinho legítimo e tentam vendê-lo. Ao mesmo tempo, crianças da cidade começam a desaparecer, misteriosamente. O único que resta é Pietari (Onni Tommila), um jovem fascinado e amedrontado pela assustadora figura do Bom Velhinho. Ao contrário dos outros, é um filme de suspense e terror.

Um Papai Noel em Apuros (2016)

Papa Noel (Eric Roberts) encara uma greve de seus elfos, que estão cansados de lidar com crianças mimadas, ingratas e egocêntricas. Em desespero, o Bom Velhinho toma uma atitude controversa: recruta seis adolescentes malcomportados de um shopping para ajudá-lo. E envia a eles vídeos para eles votarem no comportamento das crianças. Só que sua ideia não sai como esperado e Papai Noel decide desistir do Natal. Com a saída dele de cena, os adolescentes e os elfos decidem trabalhar juntos.

Crônicas de Natal (2018)

Papai Noel (Kurt Russell) cai do trenó na cidade de Chicago por causa dos irmãos Kate e Teddy Pierce, que subiram nele sem permissão ainda em Boston. Para consertar o trenó, achar o saco, resgatar as renas e salvar o Natal, ele acaba aceitando a ajuda dos dois irmãos. Mas é difícil convencer o resto do povo de que ele é mesmo o Bom Velhinho. E a incredulidade geral pode acabar com o espírito de Natal. O filme teve uma continuação, em 2020, com mais espaço para a Mamãe Noel (Goldie Hawn).

Entre Armas e Brinquedos (2020)

Papai Noel (Mel Gibson) está à beira da falência, já que as crianças boas estão em falta no mundo. Então, o que fazer com a fábrica de brinquedos? Para salvar seu negócio, o Bom Velhinho acha que é uma boa ideia colocar tudo a serviço do exército. Ao mesmo tempo em que presta serviço aos militares, Papai Noel tem que fugir de um assassino (Walton Goggins) contratado por um menino mimado que não ganhou presente. Uma prova de que as boas crianças estão em falta.