O mercado do marketing, publicidade e negócios do PR você encontra aqui

  • Mercado&Publicidade;

    “Tá Seguro, Tá Previsul” reforça prevenção

    Em nova fase, está no ar a campanha “Tá Seguro, Tá Previsul”, dando continuidade as comemorações dos 115 anos da marca. Com atuação nacional, a Previsul é referência como seguradora multirriscos no país e busca ampliar o debate sobre a cultura da prevenção, destacando um dos seus serviços para empresas:  Cobertura de Danos a Terceiros. Para o CEO da Previsul, Renato Pedroso, entre os vários motivos está a falta de organização financeira. “A cobertura Danos a Terceiros vem para assegurar que possíveis acidentes ocorridos no interior da empresa não comprometam o orçamento do negócio, vem para dar mais tranquilidade ao empresário e ao cliente”, explica.

    Também chamada Responsabilidade Civil de Operações, esse tipo de cobertura faz parte do Seguro Empresarial da Previsul, que reembolsa o empresário por indenizações pagas a clientes.  Outras facilidades, são: cobertura por incidentes causados no estabelecimento ou por funcionários em atividade e indenização de despesas hospitalares, transporte e reparos a bens de terceiros. O mote da campanha é trazer situações comuns à população e que podem ser resolvidas por meio das coberturas e assistências de um seguro, sempre a partir da pergunta “E se...”. Por exemplo: “E se um cliente cair na loja? Tá Seguro, Tá Previsul”, para falar da cobertura Danos a Terceiros, ou “E se o João quebrar um dente jogando futebol? Tá Seguro, Tá Previsul”, entre outras situações. 


  • Mercado Digital

    Mídia sob medida para consumidores

    O mercado digital avança na velocidade do pensamento. Pode parecer um certo exagero, mas a rapidez da inovação traz desafios constantes ao profissional de marketing. Segundo Giovana Alcântara, Diretora de Desenvolvimento de Negócios Regionais da Kantar Ibope, cinco pontos merecem atenção: definição do perfil de público em todos os touchpoints de mídia, a otimização do budget entre canais de mídia e a falta de alcance e frequência crossmidia. “A capacidade de assimilar informação não evolui da mesma forma que o crescimento exponencial de dados gerados. Assim, capturar a atenção passa a valer muito mais, visto que ela está cada vez mais dispersa”. Govana aponta caminhos fundamentais para alcançar o público: ser relevante e conectado aos interesses do consumidor, a publicidade despertar emoção com criatividade, usar plataformas adequadas, ser eficaz e resiliente.

    Esse e outros temas foram discutidos durante o Media Thinker Day, promovido na quarta-feira (22) pela Tailor Media (Grupo OpusMúltipla Marketing & Comunicação). O evento online reuniu especialistas para refletir a mídia do futuro. O CSO da Eletromidia Alexandre Guerrero abordou a evolução no setor de OOH. Um dos fatores que contribuíram para este cenário, segundo ele, foi a organização e consolidação do modelo de concessões no transporte público, mobiliário urbano e aeroportos, o que revolucionou o formato e as possibilidades da mídia exterior. “Essa oferta estruturada do modelo de concessões permitiu à indústria avançar de forma organizada, consolidando um mercado que antes era extremamente pulverizado. Antes da pandemia, a indústria estava com 11,6% de share e vinha crescendo dois dígitos ao ano na última década. Acredito que a retomada já está acontecendo e nosso objetivo enquanto meio é desenvolver ainda mais”.

    Marcela Marchi, Head of Sales no Grupo Jovem Pan, compartilhou o novo formato multicanais da emissora, que possui 33 milhões de usuários únicos no YouTube, o que representa 1/3 da audiência nacional da plataforma. Neste contexto, tornou-se muito importante oferecer o conteúdo on demand, visto que 65% da audiência quer ter acesso à informação no momento que considerar pertinente. Com mais de 105 filiadas no Brasil, o Grupo investe muito em streaming, mas sem perder a essência do rádio. Como grande novidade, ela anunciou o lançamento em outubro, da TV Jovem Pan News, um sonho antigo dos sócios e acionistas de retomar a programação também televisiva. “Conseguimos ver que é possível sim, estar em todas as plataformas, desde que sempre com entendimento e respeito ao público de cada canal”.

    O Diretor Executivo de Publicidade Digital da Rede Globo Sergio Augusto Avila Maria reforçou que a emissora está atenta as novas tecnologias e que as mudanças tecnológicas impactam no comportamento social e econômico. “Sendo mais acessível, a conectividade resulta na alteração de consumo e de mercado como um todo”. E destacou: “Nosso grande desafio como líderes é nos mantermos atuais e relevantes, construindo novidades para todo mercado e entregando formatos diferenciados, para as marcas seguirem contando suas histórias”.

    A mídia regionalizada foi tema apresentado pelo CEO na Tailor Media Leonardo Lazzarotto. Segundo ele, a empresa desenvolveu uma plataforma pioneira onde é possível comercializar espaços publicitários em conjunto, com campanhas divulgadas simultaneamente em todos os veículos. São cerca de 65 jornais, de 20 Estados brasileiros, reunindo os principais grupos jornalísticos do país. “Neste universo com tanta profusão de conteúdo, a relevância dos jornais de qualidade nunca foi tão importante. Por isso, o setor se uniu e usa a forma de mídia a seu favor, de maneira conjunta”.

    O Gerente de Marketing e Mídia Líder no Itaú Unibanco André Scaciota apresentou como a marca está cada vez mais conectada com os clientes. Ele explica que a estratégia é ouvir o que as pessoas falam e entregar o que querem de produtos e serviços. “Nosso posicionamento passou de ‘eu faço isso para você’, para ‘eu vou construir isso com você’”, comentou. Entender o cliente passa por um filtro de várias áreas do banco, que hoje tem ¼ da população nacional como correntista. “É preciso entender, sofisticar a comunicação para que o cliente se sinta parte daquilo, mas de forma verdadeira. Ser líder tem o bônus de sermos referência e as marcas olharem e buscarem em nós o que seria o melhor caminho, mas também o ônus da responsabilidade de liderar um mercado dinâmico como o financeiro”.


  • Mercado Digital

    GhFly promove Black Friday Experience

    A GhFly, empresa de marketing digital com foco em performance, realiza a primeira edição da Black Friday Experience de 27 de setembro a 1º de outubro. O evento vai reunir o time de especialistas da GhFly em cinco painéis. Cada apresentação abordará uma estratégia diferente, que pode ser implementada para garantir o sucesso das vendas na Black Friday. Entre os temas estão: “Conheça o novo perfil do consumidor, seus comportamentos e expectativas”, “Engaje, conquiste e transforme” e “Construa uma estratégia digital de performance eficiente e orientada a dados”. Para Gustavo Hana, CEO da GhFly, as sazonalidades são muito importantes para o varejo e para o e-commerce.“Além de proporcionar um grande incremento nas vendas, ajudam a construir relacionamento com os clientes. É o momento para reforçar a ligação com aqueles que já têm apreço pela sua marca, mas também para alcançar uma nova audiência. E nessa Black Friday, tecnologia, inteligência de dados e um bom planejamento farão toda a diferença”, destaca. Para conferir todas as ações da Black Friday Experince e acompanhar o evento, que é gratuito, acesse: https://ghfly.com/blackfridayexperience/ .


  • Premiação

    Eudora Soul é premiada com embalagem sustentável

    Embalagens Eudora Soul

    Eudora inova com embalagem em linha de maquiagem com visores - Foto: Divulgação


    A embalagem da linha de maquiagem da Eudora Soul – que utiliza papelcartão Ibema Ritagli - conquistou Ouro no Prêmio ABRE 2021 na categoria Mercado Redesign. Com a impossibilidade de o consumidor experimentar produtos de maquiagem diretamente no Ponto de Venda, a marca lançou cartuchos com visor para a exposição da cor, em formatos slim. Além do aspecto funcional, a ideia incluiu trazer embalagens sustentáveis ao mercado. O gerente de Estratégia e Marketing da Ibema, Diego Gracia, diz que com essa iniciativa a empresa contribui com o planeta. “Presente em todos os cartuchos, o papelcartão triplex Ritagli é composto por 50% de material reciclado, sendo 30% de origem pós-consumo proveniente de cooperativas, no conceito de Economia Circular”, explica.

    O portfólio de produtos da Eudora Soul passou por um processo de grande reformulação, tanto nas fórmulas quanto nas embalagens. “Tivemos o desafio de desenvolver cartuchos com visores que possibilitassem a exposição do conteúdo, sem comprometer a estrutura da embalagem e a preservação dos produtos”, comenta o Key Account Manager da Kingraf Indústria Gráfica, Vinicius Klein. Para garantir a segurança, as embalagens passaram por testes em linha de produção e na área de transporte nas diferentes etapas logísticas. Além da sustentabilidade e segurança, a nova cor da linha “Rosé Gold” foi desenvolvida exclusivamente para a marca. “O Prêmio ABRE é o reconhecimento do trabalho realizado, desde a pesquisa de materiais até a entrega do produto ao cliente. Ser Ouro em uma premiação tão importante para o setor nos traz a certeza de estarmos no caminho certo e que podemos vencer todo tipo de desafio”, comemora Klein.


  • Mídia&Mercado;

    Media Thinker Day discute futuro

    Leonardo Lazzarotto

     “Será uma imersão no cenário da mídia", diz Leonardo Lazzarotto, CEO da Tailor Media - Foto: Felipe de Souza


    Vem aí uma nova edição do Media Thinker Day promovido pela Tailor Media (Grupo OM Marketing & Comunicação). O evento online ocorrerá no dia 22 de setembro (quarta-feira), das 10h às 11h30. A proposta é abordar as transformações dos veículos de mídia no Brasil e nos mercados internacionais com foco na nova jornada do consumidor após os últimos dois anos pandêmicos. Integram a programação do Media Thinker Day Alexandre Guerrero (CSO na Eletromidia), André Scaciota (Gerente de Marketing e Mídia Líder no Itaú Unibanco), Giovana Alcântara (Diretora de Desenvolvimento de Negócios Regionais na Kantar Ibope) Leonardo Lazzarotto (CEO na Tailor Media), Marcela Marchi (Head of Sales no Grupo Jovem Pan) e Sergio Augusto Avila Maria (Diretor Executivo de Publicidade Digital na Globo). “Será uma imersão no cenário da mídia para acompanharmos todas as transformações dos meios e dos novos hábitos de consumo, compartilhada pelos líderes das principais empresas brasileiras”, destaca Leonardo Lazzarotto, CEO da Tailor Media. Acesso: https://www.youtube.com/watch?v=JNdxgPtJOfM&feature=youtu.be


  • Gestão de crises

    “Sequestro de dados é crise da vez”, alerta CEO da CoSafe

    Gerenciamento de crises não é um tema novo na área de comunicação, mas com a pandemia em 2020 o assunto foi um dos mais comentados na mídia. Mesmo assim, muitas empresas ainda não perceberam que o melhor remédio para enfrentar um incidente negativo para sua marca é a prevenção. Ana Flavia de Bello Rodrigues, CEO da CoSafe LATAM, nessa entrevista exclusiva para o Blog, comenta que as empresas precisam se preparar antes de uma crise eclodir, devem criar um Comitê, treinar suas equipes e fazer simulações prevendo cenários futuros. Executiva sênior em comunicação, com 30 anos de mercado, Ana Flavia esteve em posições de liderança em diversas indústrias como bebidas (Coca-Cola FEMSA), telecomunicações (VIVO), publicidade (JWT, Master, Z.), indústria de cosméticos (O Boticário) e varejo farmacêutico (Farmácias Nissei). Respeitada por sua atuação no mercado e muito requisitada pelas organizações, ela também inovou no segmento como sócia-fundadora da IMCR Com e CEO da Startup Alerta de Crise – plataforma digital para gerenciamento de incidentes e crises.

    Ana Flavia, CEO CoSafe

     "Previsão é de um faturamento de mais de R$1 milhão para o ano que vem", diz Ana Flavia - CEO da CoSafe


    #DIFERENCIAIS DA COSAFE

    A CoSafe é recente no Brasil. Estamos há um ano e meio com a operação no país. E em 2020 com a pandemia acabou sendo um ano de muito plantio, pois fizemos muita divulgação da nossa plataforma, dos nossos produtos...E os negócios estão sendo fechados, principalmente na área de segurança onde atuamos fortemente.  E este crescimento é resultado da nossa prospecção junto ao mercado nacional e estamos colhendo os frutos. Hoje somos a única empresa com operação no Brasil com foco em comunicação para situações críticas. A CoSafe é especializada no segmento e disponibiliza plataforma, painel de controle, aplicativo com diversas funcionalidades e oferecemos atendimento e suporte 24 horas durante os sete dias da semana em inglês, português e espanhol. Hoje existem algumas plataformas no mundo que se propõem a fazer isso e fazem muito bem. Mas são plataformas que só atuam em inglês e a maior parte delas são nos Estados Unidos e Europa. A CoSafe é pioneira no mercado da América Latina porque percebeu um grande potencial de crescimento. De 2017 a 2019, a empresa fez todo o seu planejamento e preparou o terreno para lançar seu aplicativo para o mercado em 2020. É um mercado que está em fase de crescimento e temos boas expectativas. A nossa previsão é de um faturamento de mais de R$1 milhão para o ano que vem.

    #MERCADO EM EXPANSÃO

    Eu senti um avanço do mercado pós-pandemia porque ou se aprende pelo amor ou pela dor. E o brasileiro de uma forma geral deixa para resolver uma crise quando ela chega. Alguns incidentes deixaram muitas empresas em alerta. O rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, por exemplo, em janeiro de 2019, teve uma grande repercussão negativa para a marca. Quando ocorre uma crise como essa, as empresas passam a se preocupar mais e por isso aumenta a procura por exercícios simulados, treinamentos interativos com as equipes que devem prever cenários diversos para estarem preparadas quando um incidente chegar. Além do acidente da Vale, outro fato que repercutiu bastante na mídia foi o da contaminação de lotes de produtos da Cervejaria Backer e outros que viralizaram como o incidente de racismo ocorrido no Carrefour. Basta observar a mídia que praticamente toda semana ocorrem três ou quatro situações de crise com as empresas. Mas, claro, que a pandemia foi um grande divisor de águas. E muitas pequenas e médias empresas não tinham a percepção que uma crise pudesse atingi-las e que isso só poderia acontecer com as grandes organizações. E aí o mercado aqueceu porque as empresas passaram a se organizar, perceberam que precisam ter um Comitê e que necessitavam treinar essa equipe. Ou seja, ocorreu uma preocupação crescente especialmente do começo do ano para cá e aumentou a procura por treinamentos e consultoria nessa área. 

    #ATAQUES CIBERNÉTICOS

    Com o avanço da digitalização, a grande preocupação das empresas atualmente são os ataques cibernéticos. Muitas organizações no mundo estão sendo atacadas por hackers que sequestram dados e as perdas para as marcas são na ordem de bilhões de dólares. E no Brasil com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) a preocupação é ainda maior, pois se ocorrer um vazamento de informações sigilosas o prejuízo será grande. Até um tempo atrás, as empresas se preocupavam com roubos dentro das unidades ou lojas. Agora a preocupação se volta para a proteção de dados. Então mudou o foco de operacional para virtual e reputacional. Algumas empresas, no caso de crises operacionais, já possuem protocolos e tratativas, mas quando é um incidente que ocorre numa Rede Social por conta de um detrator, por exemplo, ou gerada por um influenciador que envolve a reputação da marca, muitas organizações não sabem o que fazer e irão precisar dos nossos serviços. 

    #CULTURA DO CANCELAMENTO

    As empresas quando veem no Twitter a repercussão causada pela crise já foram canceladas por um monte de pessoas. E os empresários de todos os segmentos, não apenas o varejista, devem ficar atentos a esse movimento. Todos estão suscetíveis. E muitos dos problemas não são causados pelas marcas, mas por um determinado influenciador ou personalidades que elas apoiam que falaram algo que repercutiu negativamente. As empresas devem ficar muito atentas a questões como preconceito racial, diversidade ou inclusão. Muitas não estão preparadas para enfrentar crises que envolvem esses temas tão sensíveis e podem pagar um preço muito alto por cancelamentos nas redes sociais. Outras, em compensação, quando envolvidas em incidentes de racismo, por exemplo, agiram bem e rápido e fortaleceram seu posicionamento e conseguiram reverter a crise.

    #MELHOR É PREVINIR

    Tem cuidados que são preventivos e outros que são reativos. A gente trabalha muito no foco da prevenção. E deve ser feito o mapeamento de riscos, ter um plano de contingência, ter Comitê formado, equipe preparada, procedimentos que sejam regulamentados dentro da organização do que tem que ser feito. Tudo isso faz parte da preparação. Porém se aquele risco se materializou e a crise eclodiu, vejo como fundamental uma análise profunda da situação e de todos os públicos que estão envolvidos. E dos impactos nesses públicos e no negócio. É necessário construir um cenário ou vários para atuar a partir dessas projeções. Podem ser cenários mais otimistas ou críticos para poder balizar por onde a marca deve caminhar. A crise, quando chega, pode aumentar infelizmente. O gerenciamento de crises serve justamente para tentar estancar os prejuízos ou minimizá-los e a gente não vai deixar que passe desse ponto. O objetivo é conter os danos porque eles sempre vão acontecer. Os danos podem ser poucos, médios, grandes ou até mesmo destruir uma organização.

    #FERRAMENTAS INOVADORAS

    Nessa área a gente vê que as organizações estão muito abertas à inovação, o que nos coloca na porta de entrada para apresentação da nossa ferramenta por exemplo. Mas as empresas ainda acham que elas precisam se organizar antes e ter os processos todos estruturados e pessoas treinadas para só depois implementar uma ferramenta de gestão de crises. E o que a gente fala é que não pode esperar. As crises estão aí acontecendo o tempo todo e não adianta a empresa falar que vai se preparar e levar dois anos para isso ocorrer. A gente acredita e defende que ter ferramentas ajudam principalmente na agilidade da resposta. O tempo é fundamental no gerenciamento de crises e se você tem uma ferramenta que agiliza esse processo é primordial. E uma vez que a equipe usa a tecnologia para lidar com respostas a incidentes negativos, a cultura de combate a crises na empresa caminha muito mais rápida. É quase como se fosse um game. Você aprende jogando e vendo onde pode melhorar, conhecendo melhor essa plataforma de tecnologia, entendendo novas funções e como utilizar o potencial da ferramenta. As empresas precisam entender que o uso da ferramenta é agora.  É urgente. Não é um tema que você vai ter que lidar no futuro. Você vai ter que trocar a roda do carro com o veículo andando. 


  • Mercado&Publicidade;

    Candy Shop inaugura operação em Maringá

    Com o propósito de expandir sua atuação no mercado paranaense, a Candy Shop inaugura operação em Maringá com dois novos clientes. A agência passa a atender, a partir de agora, o  Shopping Avenida Center (o primeiro e mais tradicional da cidade) e a Comercial Ivaiporã (maior Rede de Lojas de materiais para construção e acabamento do Paraná). A operação é liderada comercialmente por Josimar Farias e conta com estrutura de atendimento e criação locais. A abertura da nova sede faz parte da primeira etapa de expansão estratégica da agência curitibana que em breve inaugurará uma nova operação no Oeste do Estado.

  • Premiação

    Brainbox conquista Prêmio da Embalagem Brasileira

    A Brainbox Design for Business, (consultoria estratégica de marcas e design do Grupo OM Marketing & Comunicação) foi premiada com o Troféu Prata no Prêmio ABRE da Embalagem Brasileira 2021. O projeto vencedor foi desenvolvido para reposicionar a marca Pão de Queijo Mineiro. O trabalho estratégico realizado pela agência resultou em novo nome, criação da marca e toda identidade visual, além do desenvolvimento de embalagens e materiais de PDV. Para chegar ao naming, a Brainbox mesclou o sobrenome da família detentora da marca (Cymbalista) com o termo company, criando o nome Cymco, que também tem a mesma sonoridade do numeral.

    Nova marca para Cymco

     “A Cymco rompe com os códigos tradicionais da categoria", destaca Ludger Tamaoki, CEO da Brainbox.


    Impressas em filme laminado fosco, as embalagens que utilizam apenas duas cores agregaram contemporaneidade aos produtos, explorando os aspectos de qualidade, conveniência e praticidade. “No novo projeto gráfico de embalagens, a predominância da cor preta reforça o atributo de qualidade e sofisticação, as cores secundárias facilitam a identificação dos diferentes produtos nas gôndolas e os ícones dos benefícios trazidos para o painel frontal conversam diretamente com o consumidor”, explica Ludger Tamaoki, CEO da Brainbox.

    Realizada durante a pandemia, a mudança foi bem aceita pelo público interno e externo, expandindo o mercado B2B da marca. Com o novo posicionamento, também foi possível alcançar o segmento B2C, um dos objetivos iniciais do projeto. “A Cymco rompe com os códigos tradicionais da categoria e propõe uma reflexão sobre o posicionamento das marcas ‘me too’, questionando se todas as marcas de pão de queijo devem seguir a linguagem visual tradicional. Cymco é questionadora, impactante e prática”, conclui Ludger.

    Ficha Técnica

    Projeto: Cymco
    Design: Brainbox
    Convertedor: Pamplastic
    Brand Owner: Cymco

    Direção estratégica e de criação: Ludger Tamaoki
    Designer: Ludger Tamaoki e André Ottoni
    Arte-final: Helton Schnitzler
    Atendimento: Thiago Aisengart Accioly
    Aprovação do cliente: Frederico Cymbalista e Rogério Acosta


  • Live Marketing

    iOn Live comunica novo momento

    A iOn Live, agência curitibana de Live Marketing com atuação nacional, lança novo posicionamento de marca com o conceito “The Moment Agency”. A identidade visual também foi totalmente renovada. Rafael Bettoni, Sócio-diretor de Planejamento e Criação, comenta que “experiências são vivenciadas ao vivo, em um instante. Por isso, veio a ideia de comunicar ao mercado que somos a agência do momento, pois, em essência, o que fazemos é pensar e executar bons momentos para marcas e pessoas”.

    De acordo com Daniel Coelho, Sócio-diretor Geral da iOn, o conceito foi muito assertivo pois, além de fazer sentido para clientes, também ecoa muito bem intramuros. “Somos um time de uma resiliência invejável. Conseguimos nos adaptar mesmo com as adversidades e, assim como o novo branding, sabemos trabalhar com o que temos no momento”. Para Marcos Pinheiro, Sócio-diretor de Produção, o novo posicionamento irá atrair novos clientes. “É um discurso que argumenta bem em favor do que fazemos no dia a dia. Tenho certeza que ele vai fazer muito sentido para as marcas que ainda não trabalham com a iOn.”

    Para turbinar os negócios, os sócios afirmam que o investimento em prospecção será reforçado. Entre os clientes da agência, destacam-se Grupo Petrópolis, Klabin, Unimed Curitiba, Roca, Uninter, Vivo e Coca-Cola Femsa.  Além da iOn Live, o grupo concentra outras duas empresas. A Sportion, que atua desde 2003 com experiências de marca no âmbito do esporte, e a startup Rage Quit Academy, a primeira game school do Brasil, voltada para o público gamer, que oferece aulas pessoais e customizadas para quem deseja aprimorar seu estilo de jogo.

    Momento certo

    O novo posicionamento da iOn Live acompanha o processo de retomada do setor que foi fortemente impactado pela pandemia em 2020. Rafael Bettoni prevê aquecimento do segmento até o final do ano e explica que os eventos menores já voltaram a ser presenciais. “Já realizamos eventos corporativos para 100 pessoas, com protocolo e testagem, zelando sempre pelo bem das pessoas. Na área de Esportes, estamos fazendo alguns eventos testes, com todo o protocolo e cuidados, para termos um modelo a seguir diante deste novo cenário. Nosso objetivo é avaliar todas as etapas e propor ações que sejam eficazes”. Sobre os eventos de grande porte no formato presencial, Bettoni comenta que devem ser retomados aos poucos de acordo com o avanço da vacinação no país e retomada da economia". O novo momento da iOn para o mercado também se refletiu internamente. Para os colaboradores, houve uma atualização do Learn & Earn, um programa de incentivo ao conhecimento. Através dele, a agência dá um cashback a funcionários para participação em eventos, cursos e outras formas de aprendizado. Ainda, também foi lançada uma meta financeira coletiva, com boas perspectivas de bonificações para todo o time.


  • GIRO DO MARKETING

    Méqui lança Projeto Graffiti

    Grafiteiros de seis estados do país foram convidados pelo McDonald's para criarem artes nas fachadas ou em muros próximos aos restaurantes da Rede. A ideia é ressaltar a iconografia da marca e as características regionais de cada local. O Projeto Graffiti foi desenvolvido em parceria com a agência Hub Brasil. Em Curitiba, o McDonald´s da Vila Hauer ganhou um painel assinado por Deleon Ribeiro, que realiza trabalhos na área desde 2001. “Como morador do bairro e amante de Curitiba, quis destacar a mobilidade da região com o skate e a bicicleta, também colocando nosso símbolo e referência em transporte que é o ônibus biarticulado, aliado aos produtos da marca representados de forma lúdica no painel”, explica o artista. Para o CMO do McDonald’s no Brasil João Branco a proposta é buscar novas formas de transformar as experiências dentro e fora dos restaurantes. “O projeto Graffiti chega para reforçar esse cuidado e para manter um diálogo com nossos consumidores de maneira lúdica enquanto passam pelo Drive-Thru. Além disso, é gratificante trazermos visibilidade para jovens artistas expondo seus trabalhos”, destaca.

  • Mercado Digital

    TI deve ganhar budget maior em 2021

    A segurança da informação será o foco de investimento para 53% das organizações nos próximos 12 meses, seguida por adequação à Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais – LGPD – (51%), analytics e Big Data (37%) e migração de aplicação para a nuvem (22%). É o que revela a sétima edição do IT Snapshot. O estudo, divulgado pela Logicalis, visa acompanhar as tendências e prioridades da área de Tecnologia da Informação (TI). Os dados apontam que, apesar de 41% dos negócios terem o budget da área de TI afetado pela pandemia da Covid-19 no ano passado, as perspectivas para 2021 são positivas: 55% dos executivos esperam que o orçamento seja maior quando comparado ao planejado para 2020.

    De acordo com a pesquisa, entre as tecnologias que permitem o trabalho remoto, as que mais cresceram em 2020 foram as soluções específicas de segurança relacionadas ao trabalho remoto, implementada emergencialmente por 25% dos entrevistados, plataformas de videoconferência, adotadas por 22% dos respondentes e de colaboração em nuvem, apontadas por 19% dos executivos ouvidos. A expectativa é que essas soluções continuem a apresentar crescimento, ainda que em ritmo mais lento, já que estão mais consolidadas.

    “Temos observado que a tecnologia vem ganhando importância cada vez maior no cotidiano das empresas e dos profissionais. Por isso, neste relatório, tentamos abranger alguns temas recentes para os executivos brasileiros, como LGPD e ferramentas para minimizar os impactos da COVID-19, e, assim, mostrar uma fotografia ampla da adoção de tecnologia nas empresas do país”, comenta Yassuki Takano, diretor de Consulting Services da Logicalis.

    O estudo indica que de 2018 para 2021, a utilização de data analytics cresceu 28%, passando de 15% para 43% o total de empresas que utilizam a solução. A perspectiva é que a adoção siga em trajetória de crescimento, já que 12% das organizações afirmaram estar em processo de implementação e 27% dos respondentes revelaram que devem adotar essa de tecnologia nos próximos meses. Quando perguntados dos quais as áreas mais beneficiadas pelo uso de analytics e inteligência artificial, os respondentes indicaram em primeiro lugar as áreas relacionadas a desenvolvimento de negócios (comercial, vendas), com 57%, seguidas das áreas de operações, atendimento ao cliente e administrativo-financeiro, com 36%, 32% e 30%, respectivamente.

    A pesquisa revela ainda que a cloud é outra tecnologia que vem ganhando espaço. Até fevereiro de 2021, 24% das empresas tinham realizado a migração da infraestrutura e aplicações para a nuvem, 28% estavam em estágio avançado e 25% apenas possuíam planos. Em relação às soluções mais adotadas pelas empresas na nuvem, é possível identificar diferentes níveis de migração: soluções de colaboração e de produtividade já foram migradas em um grande percentual (86% e 78%, respectivamente), infraestrutura e aplicações em SaaS têm, respectivamente, 50% e 47%, e outras aplicações e plataformas, como PaaS e serviços gerenciados, têm níveis de migração abaixo de 40%. Nos próximos meses, outros serviços devem se destacar, como Disaster Recovery (DR) na nuvem, citado por 31% dos entrevistados e aplicações em SaaS (ERP, CRM etc), destacado por 20% dos executivos consultados. O estudo completo está disponível em: https://imagine.la.logicalis.com/pt-br/logicalis-it-snapshot-2021.

  • Negócios

    Shopping Curitiba recebe Feira Volta ao Mundo

    Quer dar uma volta ao mundo? Então se prepare e vá direto ao Shopping Curitiba que até 13 de setembro reúne na Plataforma de Eventos do Piso L2 produtos de artesanato de oito países. São mais de mil peças de decoração, utilitários, acessórios e vestuário originários do Peru, Quênia, Madagascar, Bolívia, Turquia, Tailândia, Dubai e Índia. A Feira Volta ao Mundo tem entrada gratuita e está aberta de segunda a sábado das 10h às 22h e aos domingos e feriados das 14h às 20h. Entre os produtos estão blusas, gorros, mantas de lã de alpaca made in Cusco e Machu Pichu confeccionados pela artesã Yenny Equinigo Martinez. Da África, a queniana Abiola Diffu traz para a Feira tradicionais artesanatos produzidos em madeira do Quênia e de Madagascar e Murat Eser traz da Turquia uma grande variedade de produtos como lustres e luminárias feitos com mosaicos de vidros multicoloridos. E o consumidor que deseja realizar suas compras online é só acessar a Assistente de Compras do Shopping Curitiba pelas Redes Sociais do Shopping. O serviço inclui busca pelo produto desejado, envio de comprovante de pagamento após finalização da compra e o cliente decide se retira pelo Drive-Thru ou se recebe em casa pelo Delivery. E, de acordo com o Shopping, em agosto o frete e as taxas serão gratuitos. 

  • Conexão Personalidade

    Pedro Scucuglia: Valoroso da propaganda, pero no mucho!

    Pedro Scucuglia

    "Onde estão as ideias, pelo amor de Deus!", provoca Pedro Scucuglia, fundador da CGD e um dos nomes

    mais memoráveis da propaganda. 


    Ele não se considera um pioneiro valoroso da propaganda paranaense, embora seja. Com uma verve que me fisgou já nas primeiras linhas de mensagens trocadas pelo whatsapp, o jornalista - como um bom comunicador - é direto e rápido na interlocução. Possui carisma, uma certa dose de humor e ironia com inteligência que permitiram que nossas conversas fossem ainda mais saborosas. Mesmo a distância e sem nos conhecer presencialmente, Pedro, que fez escola no mercado de Londrina e formou gerações de publicitários, vai direto ao ponto com sagacidade: “Um valoroso pioneiro pode ser o cara que, nos anos 40, aparafusou um alto falante (ou auto falante? Nunca soube qual o certo) no topo de um tronco de eucalipto, aí de uns dez metros de altura, plantou o dito cujo num terreno baldio da vila mais antiga da cidade, conectou o fio a um amplificador, ligou tudo isso a um microfone e a um toca-discos - de 45 rotações - e mandou ver, num tom de voz que faria o Alberto Roberto ficar embaraçado”.

    E continua sua narrativa com maestria (e isso sabe fazer muito bem, pois é um dos nomes mais respeitados do mercado publicitário paranaense): “Este é o serviço de som da Vila Nossa Senhora das Dores. Seis horas da tarde, hora do anoitecer!  Ponteiros para o céu, coração para Deus! -  E subia o som do disco de acetato, tão arranhado que mais parecia uma teia de aranha embriagada e era a Ave Maria de Gounot. Poderia ter sido o dono da grafiqueta, rodando em impressoras toscas pequenos folhetinhos de quinze por cinco centímetros, anunciando a Pensão da Dona Fátima Aparecida, próxima à rodoviária e aceitava famílias mensalistas, fornecendo refeições, roupa lavada e passada, ressaltando enfaticamente: o ambiente era rigorosamente familiar. Nem vem!”. E arremata: “Ok. Talvez não sejam esses os valorosos pioneiros pensados por você. E aí, meu parça, eu saio da minha zona de conforto. Primeiro por não saber como essa história aconteceu. E nem sei se alguém sabe. Simplesmente não há nenhum registro histórico e, cá pra nós, nem poderia haver, pois era verdadeiramente insignificante falar dos arautos de então”.

    Pedrinho, como também é conhecido por outros “valorosos” do mercado, relembra que a história da propaganda tem raiz: “Desde quando, neste Norte do Paraná maravilhoso, tão cheio de histórias fantásticas, a começar com os ingleses, nos anos 30, tentando implantar aqui sua experiência algodoeira indiana;  passando pela chegada da italianada plantando café em vez de algodão  e com isso   detonando os planos de Sua Majestade; o advento  dos  imigrantes japoneses e sua inesgotável capacidade de trabalho; a fixação na terra dos imensos cafezais geradores de fortunas e arrasados pelas geadas da noite para o dia, alguém ia se preocupar em registrar a história da propaganda nestas terras? Nem pensar.  O que se tem é, em meu modo de ver, uma ideia aproximada de como isso deve ter ocorrido. Mas quem garante? Pra você ter uma ideia - e essa época eu testemunhei ainda antes dos quinze anos - em meados dos anos 60 Londrina era o terceiro aeroporto mais movimento do Brasil! Perdia para São Paulo e Rio de Janeiro e atropelava todas as demais capitais”.

    Pedro Scucuglia recorda que era a maior base de taxis aéreos da América do Sul. “Estima-se um número superior a 80 aeronaves de uma única marca e modelo: o Beechcraft Bonanza. Eu sei porque era jornaleiro e todas as manhãs, antes das sete horas, eu estava no aeroporto para receber os jornais que vinham de São Paulo, trazidos DC-3 da então Sadia (essa mesma, das salsichas e que tais), depois transmutada para Transbrasil. Por conta dos meus anos de janela neste cazzo de profissão, tinha certeza de um marco: a propaganda moderna aqui em Londrina, gerada e administrada por agências de propaganda, seguindo a cartilha da profissão, tinha começado com uma certa Planorte, criada pelo velho, bom e saudoso José Richa”.

    Ele sinaliza que essa história promete reviravoltas: “A Planorte funcionava como assessora do pessoal interessado em ingressar na Bolsa de Valores de São Paulo (isso em 1970/71), obter linhas financiamentos agrícolas e - pasme! - propaganda. Ações, agricultura, propaganda.... meio esquisito, não? Mas o meu amigo Valduir Pagani, dono da Engenho Propaganda, a primeira da era moderna garante que não.  E ele deve saber. Afinal, a Engenho vai fazer 50 anos. Ele me lembrou que antes da Planorte havia uma agência em Londrina chamada Traço, criada por Roberto Fonseca e Celso Agostini. Com eles trabalhava o Roberto Palhano. Esse eu conheci muito, era meu amigo de uísque.  Muito tempo depois ele veio trabalhar comigo na CGD. O Fonseca e o Agostini não conheci e gostaria de ter trocado umas palavrinhas com eles. Duplinha corajosa, essa”.

    E o relato continua, com direito a “plot” no roteiro criado com a colaboração da  memória e ajuda do seu amigo de fé e irmão camarada: “Ainda nessa época, segundo o Vardo Pagani (nós o chamamos assim), duas outras ... agências? ... estavam trabalhando na cidade. Uma delas, tocada pelo jornalista Wilson Silva e pelo dono de funerária Guilherme Muller. Na verdade, essa era mais uma corretora de anúncios. Como o Wilson Silva era muito criativo, cheio de ideias, com certeza criava os anúncios vendidos por eles. Dono de funerária fazendo propaganda....anhã. A outra: a house agency das Lojas Fuganti, um enorme conglomerado comercial da cidade. Atuavam em dezenas de áreas, esses Fuganti. De gás de cozinha a ferramentas; de louça importada a confecções; de secos e molhados a sapatos e bolsas; de prataria a salões de chá. E essa house era tocada pelo criativo Antonio Marcos e pelo layoutman Adair Bognato, o famosíssimo Pikooka.  O Pikooka e eu trabalhamos juntos na TV Tibagi em 1968/80. Gente boa. Garante o Vardo: essa house era uma agência de verdade. Atendimento, criação, mídia, administração. Mas sempre house agency, que nem tinha esse nome pomposo, americanizado. Era só "a agência de propaganda da Fuganti".

    Scucuglia explica que (ainda segundo o Vardo), a Planorte fechou em 1973 depois que o Richa elegeu-se prefeito da cidade e ele, Valduir, aproveitando-se de toda a experiência adquirida resolveu montar a Engenho. “E dois anos depois, junto com outros dois jornalistas, o Délio César e o Leonardo Henrique dos Santos, criei a CGD Propaganda.  E por quase uma década Londrina teve apenas duas agências. E eram duas baitas agências, funcionando a todo vapor.  Não me lembro quantos funcionários tinha a Engenho. Mas eu tinha vinte e duas pessoas na minha folha de pagamento. E quando em 1988 eu criei uma produtora de comerciais, a famosa XPTO de breve e efêmera vida, éramos quarenta pessoas”.

    E já no final dos anos 80, começo dos 90, de acordo com nossa “testemunha ocular da história” londrinense, começaram a surgir as agências de terceira geração - oriundas quase sempre dos quadros da Engenho e CGD. Esses filhotes, por sua vez, geraram outras agências... E com o resgate da história já bem alinhavada, pergunto ao Pedrinho (ele me chamou de “parça” então já o considero um amigo) sobre sua relação com o marketing político pois soma no currículo 36 campanhas.  “A primeira em 1971/72 para o Álvaro Dias que concorria ao cargo de prefeito de Londrina (aquela mencionada anteriormente, quando o Richa ganhou) e a última no ano passado. Dessas eu ganhei 24”.

    Ao lhe indagar como avalia o mercado publicitário, Pedro é tão sincero quanto água cristalina ou algo parecido: “Cícero, essa questão de analisar a propaganda de hoje é de doer no coração. Pois a propaganda que se faz hoje, nacionalmente, é uma propaganda burra, sem ideia, um varejo rastaqüera que foi comprar roupa em butique de luxo.  Não há ideia, não há humor, não há encanto, não há paixão. É tudo igual”. E com a tal verve mordaz solta essa: “A última campanha com uma ideia, com humor saudável, conquistador - que eu me lembre - é a do Posto Ypiranga. Pegue as telefônicas, os bancos, os desodorantes, os carros.  Uma mesmice canhestra embrulhada em efeitos especiais e computer graphic design. E mais nada. Onde estão as ideias, pelo amor de Deus! Onde está a cumplicidade entre a peça publicitária e o destinatário dessa peça? Onde se escondeu a magia de fazer despertar no leitor o desejo de ter tal coisa? Onde foi parar o texto brilhante, encantador, o título que arrebatava o leitor? Não tenho visto mais nada disso. Há um grande vazio que pretende ser preenchido por efeitos especiais - como se esses fossem o alfa e o ômega da propaganda. E não é. A ideia, essa é a maestra! E fica o dito por não dito - e mesma que chova tem pó. Esse era o slogan de um fabricante de café em pó. Eu o ouvi há mais de meio século. E o repito até agora. Porque isso é uma ideia. Ponto final”.

  • Ficha-Técnica

    Campanha marca os 50 anos da Unimed Curitiba

    Campanha 50 anos Unimed Curitiba

    Campanha criada pela Bronx para Unimed Curitiba valoriza as pessoas - Foto: Divulgação


    A Unimed Curitiba lança hoje (06 de agosto), campanha comemorativa dos 50 anos da operadora com um filme que será veiculado em horário nobre na TV aberta e com mídia na TV Fechada. Nessa mesma data, em 1971, um grupo de 23 médicos fundou a cooperativa com o intuito de ampliar o acesso à assistência médica. Porém, ao invés de contar sua própria história, o propósito da comunicação é valorizar as pessoas. “A Unimed Curitiba permeia acontecimentos diversos da vida de nossos beneficiários. Ao longo desses meses resgatando memórias, percebemos um fio condutor comum da nossa atuação: as experiências das pessoas conosco. Assim, decidimos pela mensagem da cooperação e compromisso assumidos e cumpridos. Escolhemos exaltar algo realizado com cuidado e dedicação, um dos maiores feitos para um plano de saúde: ser o suporte necessário nos momentos alegres e nos difíceis, mais vulneráveis”, explica Valéria Lopes, supervisora de Marketing da Unimed Curitiba. Atualmente considerada uma potência na área da saúde, a cooperativa de médicos é a primeira no ranking em seu segmento no Paraná. Também está entre as cinco maiores do país e é a segunda maior singular do Sul do Brasil dentro do Sistema Unimed.  Além do filme, a campanha desenvolvida pela Bronx, conta com spots de rádio, mídia exterior, mídia de elevador, vídeos e banners de web, painéis de LED, posts, cartazes, projeção e outras peças físicas. O vídeo da campanha já está disponível: https://youtu.be/jLNji4pyRA0 .

    FICHA TÉCNICA 

    Agência: Bronx 

    Cliente: Unimed Curitiba 

    Campanha: Campanha 50 anos 

    Direção de Criação: Alexandre Silveira 

    Redação: Alexandre Silveira e Fabiano Teixeira 

    Dir. de Arte: Martin Castro  

    Produção: Alam Key 

    Mídia: Flávia Stamm e Luis Oliveira 

    Finalização: Bruno Franco  

    Atendimento: Paula Ciniello e Valesca Gomes 

    Fotografia: Nuno Papp 

    Produtora de vídeo: Fantástica Filmes 

    Produtora de áudio: Canja Audio Culture 

    Aprovação: Rached Hajar Traya, Valéria Lopes e Bruna Kotaka


  • Mercado&Publicidade;

    OpusMúltipla cria campanha “cara do pai” para o Mueller

    Ação Promo Shopping Mueller

    Campanha promocional criada pela OpusMúltipla tem parceria com a cervejaria We’re Bastards 


    A nova campanha promocional para o Dia dos Pais do Shopping Mueller alia criatividade e personalização. Desenvolvida pela OpusMúltipla (Grupo OM Marketing & Comunicação), a ação presenteia os pais com um kit que contém duas cervejas. A novidade - em parceria com a cervejaria We’re Bastards - é que os rótulos das garrafas estampam a foto da figura paterna. “Todo filho quer achar um presente que é a cara do pai. E a campanha brinca justamente com isso, já que o brinde da promoção de Dia dos Pais do Mueller vai ter a cara do pai literalmente”, comenta Alexandre Catarino, Diretor de Criação. Além do kit de cervejas com o rótulo customizado, os participantes também concorrem a smart beers em todos os dias da promoção, válida até 9 de agosto. Podem participar clientes que efetuarem compras a partir de R$ 600 no Shopping. A campanha tem Direção de Arte de Luis Bacellar e Bruna Serves; Redação de Fernanda Bernardelli; Atendimento e Planejamento de Dino Camargo e Ana Carolina Grevinski e supervisão do VP de Criação/Head of Creative Strategies da OpusMúltipla Renato Cavalher. Aprovação: Cynthia M. Batista e Ciro Gonçalves (Shopping Mueller).

     

  • Mercado&Publicidade;

    Brainbox lança campanha de PDV para Subway

    “Explosão de Queijos” é o tema da nova campanha de Ponto de Venda da Subway. A Brainbox (Consultoria Estratégica de Marcas e Design do Grupo OM Marketing & Comunicação), em parceria com a Dentsu, criou o keyvisual de todas as peças da ação.  Considerado um dos lançamentos mais importantes da marca no ano, a campanha - de dar água na boca - vem conquistando os consumidores. A ideia é oferecer aos clientes uma combinação única de queijos para batizar os sanduíches durante a montagem e ainda fazer um saboroso upgrade, escolhendo entre uma base de Cream Cheese ou Cheddar Cremoso, somado a Mussarela ralada, mix de três queijos (Parmesão, Provolone e Mussarela) e um novo molho de queijo.

    PDV Subway

    "Um show de appetite appeal”,  destaca Zeh Henrique - Dir. Estratégico da Brainbox.


    Responsável pela estratégia, criação e execução de PDV da Subway, a Brainbox desenvolveu a campanha com foco na experiência dos clientes. A proposta consiste em valorizar a percepção de sabor dos admiradores da marca e de seus potenciais consumidores. “Optamos por uma ação bem agressiva, com muita visibilidade no ponto de venda. O shooting dos sanduíches recebeu uma atenção especial, com muito foco nas camadas de recheio recebendo o queijo derretido. Um show de appetite appeal”, comenta Zeh Henrique Rodrigues, Diretor Estratégico de Branding e Retail da Brainbox.

    Os visitantes são impactados pela novidade em diversos pontos da jornada e em alguns casos é possível ainda degustar a nova opção no local. Durante as ocasiões, as ações respeitam os protocolos de segurança contra a Covid-19. E quem pedir via delivery também receberá um material que apoia a comunicação 360º da marca. “Nossa estratégia foi explorar o restaurante de maneira chamativa para dar o tom deste lançamento e fortalecer o momento em que as franquias puderam operar de portas abertas ao público, com a permissão dos decretos”, diz Amanda Benatto, Gerente de Marketing da Subway. Os pedidos via delivery também convergem com a estratégia e acompanham materiais informativos sobre o lançamento.


     

  • Mercado Digital

    AMPRO Saber lança novos cursos

    O AMPRO Saber, plataforma de cursos online da AMPRO – Associação de Marketing Promocional / Live Marketing - abre cursos para quem deseja obter mais conhecimento sobre o mercado. O primeiro ocorrerá de 3 a 5 de agosto com o tema “Marketing Digital para Agências” com duração de 9 horas. Já nos dias 19 e 20 de agosto, às 19h30, será a vez dos profissionais aprenderem sobre Instagram para o Mercado do Live Marketing. Ambos os cursos serão ministrados pelo consultor e professor de Mídias Sociais, Marketing e Negócios Digitais, Fernando Souza. As aulas trarão informações sobre por que pensar em ações Instagramáveis, como utilizar o Instagram para beneficiar a agência, como melhorar uma narrativa por meio do Instagram, como usar métricas e medir resultados em tempo real, entre outros temas. Fernando Souza tem 20 anos de atuação no mercado digital. É especialista em Comunicação e Mídias Digitais e há 10 anos empreendedor.  

    Inscrições: https://bit.ly/amprosaber1908 e  https://bit.ly/amprosaber-2806.

  • Mercado&Publicidade;

    IZA dá o tom em nova ação da TIM

    Campanha OOH TIM

    Headphone gigante faz parte da campanha da TIM com a cantora Iza, embaixadora da marca.


    A TIM lança no Paraná nova campanha OOH que anuncia o serviço Deezer Go do plano TIM Pré Top. Quem passar pela Avenida das Torres, entre Curitiba e São José dos Pinhais, poderá ver uma das peças: Um headphone gigante instalado no relógio de rua no canteiro central. Além disso, a divulgação será reforçada com monitores de vídeo em pontos de ônibus e outdoors. Faz parte da campanha o envelopamento de um ônibus fretado que circula por diversos bairros da capital paranaense e região, transportando colaboradores de empresas e indústrias. Outra atração é o painel especial que foi montado na esquina da avenida Visconde de Guarapuava com a rua Lamenha Lins, no bairro Batel. No espaço, foi criado um ambiente para quem quiser sentar e curtir música e vídeo da embaixadora da marca, IZA.

  • Mercado&Publicidade;

    Candy Shop cresce sem perder a rebeldia criativa

    Ricardo Mercer

    "Continuamos sendo uma vitrine de criação", diz Ricardo Mercer, sócio-fundador da Candy Shop


    A Candy Shop, dos sócios Ricardo Mercer e Eduardo Johnscher, nasceu em 2014 totalmente integrada e em meio a uma de várias crises econômicas do país. Vencer desafios com boas ideias já está no DNA da Lojinha, eleita três vezes consecutivas como a mais criativa no Festival CCPR (Clube de Criação do Paraná) e no Prêmio GRPCOM de Criação e uma vez no Prêmio Colunistas Paraná, além de conquistar premiações nacionais e internacionais como EL OJO DE IBEROAMÉRICA e figurar na LÜZER’S ARCHIVE – maior Revista de Propaganda do mundo – que selecionou 29 trabalhos da agência entre os mais criativos. “Sempre nos posicionamos como uma agência criativa e inovadora. Elevamos nosso potencial criativo para elevar ainda mais a performance”, destaca Ricardo Mercer, diretor de Planejamento e Criação. Na entrevista para o Blog, Mercer comenta sobre o atual momento da Candy Shop que continua mais doce do que nunca para seus clientes e fala da conquista de novas contas. “A crise causou um impacto grande e muitas empresas ficaram pelo caminho, mas a nossa lojinha continua aberta. Meu pai Guaraci, ex-proprietário de um açougue durante 40 anos, sempre me dizia: “Enquanto essa porta tiver aberta tem comida na mesa”.

    #REBELDES COM CAUSA

    Nesses sete anos de mercado a agência evoluiu. Nascemos rebeldes e com uma criação solta, livre e muito disposta para virar o mundo de ponta-cabeça.  Isso fez a agência ganhar notoriedade. Com a maturidade do negócio, entendemos que precisávamos continuar sendo criativos, mas também investir em outros departamentos para ampliar nossa atuação no mercado. Então tornamos o nosso planejamento mais robusto, com profissionais qualificados na mídia, no atendimento e a criação acompanhou essa maturidade. Senão íamos continuar vivendo em um eterno jardim de infância. Continuamos com nossa graça, mas também com maior responsabilidade nos negócios, dando respostas mais maduras embasados por pesquisas, experiência e inteligência em busca dos melhores resultados. Continuamos sendo uma vitrine de criação, mas temos profissionais de outras áreas que são muito bons no que fazem. O planejamento talvez seja o departamento que mais cresce aqui dentro. Nosso objetivo é surfar em terreno fértil e seguro, elevando o tom e o diálogo com a equipe de criação que continua sendo a cereja do bolo. Passamos por algumas fases difíceis e continuamos crescendo. Nesse período de pandemia, mesmo com dificuldades, não demitimos ninguém.

    #PERSPECTIVAS DA CRISE

    Vou te dar duas percepções. A primeira foi a minha percepção naquele momento. Eu achava que a empresa ia fechar. Foi uma aflição absurda. Por outro lado, a segunda percepção (o que de fato ocorreu) foi que houve também muita insegurança por parte dos clientes e eles recorreram à Candy Shop para solucionar os seus problemas de comunicação para enfrentar a crise. Tivemos um aumento muito grande no segmento digital, clientes que nos procuraram por gestão em Redes Sociais e por mídias digitais. No início da pandemia o Off praticamente inexistiu, mas o mercado reagiu no último trimestre do ano passado. E com alto grau de coragem começamos a reativar algumas ações também nesses meios. A demanda por branding, por exemplo, cresceu porque as marcas necessitavam reagir e ter novos posicionamentos, além de outras demandas como a aceleração digital dos negócios. Tivemos muito trabalho e pouco retorno financeiro. Teve muito mais espetáculo que bilheteria. Mas isso nos deu uma sobrevida e tempo para entender um pouco desse contexto e ter a segurança de que o negócio não ia fechar, mas sim, crescer.

    #SEM FRONTEIRAS

    Em termos de negócio o mercado da propaganda mudou muito. Mudamos a maneira de tocar a lojinha. Não temos funcionários somente de Curitiba. Recentemente contratamos talentos de vários lugares do país que prestam serviços para a agência de forma recorrente e não são freelas. Fazem parte da nossa equipe. E trabalhamos com talentos fora do país também, como na Argentina que contratamos um profissional para fazer direção de arte. A gente entendeu que não precisávamos nos limitar ao mercado local. E isso enriqueceu nossa visão de mundo. As fronteiras foram rompidas e o trabalho continua fluindo da mesma forma. Obviamente que a gente sente falta do contato presencial das pessoas porque isso agiliza muito o processo, mas quem está fora também evoluiu, amadureceu no campo profissional e pessoal por ter que enfrentar esse momento tão complexo. Estamos vivendo um período difícil e sofrendo com tantas perdas. Tivemos funcionário que perdeu parente e tivemos que apoiar, estar junto, segurando as pontas aqui dentro enquanto a pessoa estava vivendo o luto. Apesar de tudo, foi um momento fantástico de aprendizado, de cooperação e de superação. 

    #NOVOS CLIENTES E CASES DE SUCESSO

    Conquistamos a conta da SICREDI Campos Gerais - a primeira instituição financeira cooperativa do Brasil – e já lançamos a terceira fase da campanha “Mais Sicredi para um é mais Sicredi para todos”, utilizando personagens reais. O objetivo é mostrar a força do cooperativismo e que a Instituição oferece diversas soluções financeiras para os associados. Outra conta recente do nosso portfólio é o marketplace internacional Tiendamia que está investindo pesado no mercado de varejo online para a América Latina. A marca entrega produtos de lojas dos EUA e da China e vem conquistando os consumidores aqui no Brasil. Temos feito um trabalho bem bacana com a marca há uns seis meses. Inicialmente criamos filmes de varejo e, atualmente, temos desenvolvido outras ações de comunicação para o cliente.

    Campanha SICREDI

    Nova campanha “Mais Sicredi para um é mais Sicredi para todos” utiliza personagens reais.


    Tiendamia

    Candy Shop cria campanha para o Marketplace internacional Tiendamia que atua no varejo online.


    Para a Oxford Porcelanas, que está na agência há três anos e meio, temos desenvolvido várias campanhas nacionais. Atendemos também o setor de Live Marketing da Renault que teve que migrar para o virtual por conta da pandemia. Foi uma transformação incrível porque começamos a fazer transmissões de eventos online utilizando muita tecnologia. No ano passado desenvolvemos jobs para a Britânia e para a Philco. Fizemos uma campanha que trouxe muitos resultados para a Barion durante a Páscoa. Foi a melhor performance em vendas da marca que obteve um faturamento gigantesco, batendo recorde de vendas. Atuamos nas Redes Sociais com performance, influência, produção de conteúdo e Inbound para fazer a Barion vender como nunca. Desenvolvemos uma comunicação 360º para a marca, provando que era possível cumprir esse desafio. Outro case de sucesso foi o reposicionamento das Tintas Virgínia - uma das maiores revendedoras de tintas e complementos do Paraná -com a criação da “Concept Store" com diversos ambientes interativos e tecnológicos, proporcionando novas experiências para profissionais de arquitetura e demais consumidores. A Loja Conceito Virginia se tornou referência no segmento.

    Campanha Oxford

    Campanha nacional criada para a Oxford Porcelanas destaca conceito "Imagine sempre mais".


    Case Tintas Virginia

    Campanha para Tintas Virgínia que apresenta a "vida no seu tom" torna-se case de sucesso.

    Case Tintas Virginia

    “Concept Store" une tecnologia e interação, reposicionando a marca no segmento de tintas.


    #NEW YORK FESTIVALS

    Não adianta só ficar olhando para o que passou nem pelo que a gente está vivendo, mas sim o que o futuro nos espera como negócio, entendendo como é que as agências vão ganhar relevância no futuro e continuarem sendo parceiras estratégicas das marcas. Eu fui convidado para ser jurado do New York Festivals 2021 e tive contato com diversos trabalhos apresentados na área de Design. Se a agência não for uma parceira dos anunciantes durante o processo de inovação, desde a concepção da ideia de um determinado produto ou serviço, ela vai estar fora da mesa de negociação e de onde o dinheiro circula. Então a agência vai precisar entender de design de produto, entender de método fabril, entre outras áreas, porque ela vai ter que fazer parte do desenvolvimento de soluções inéditas e diferenciadas para as marcas. Vi muitos cases no New York Festivals, por exemplo, que a ideia está no produto, no ineditismo do serviço, no desenvolvimento de novas tecnologias. Isso vai fazer com que as pessoas falem daquilo que você está fazendo. Então quando você investe em inovação, a comunicação é materializada no produto e no serviço. Quem vai fazer a propaganda disso é a mídia e os consumidores. Eu vejo que no futuro as marcas irão investir cada vem menos em mídia e mais em inovação. Toda mídia ocorrerá em torno da divulgação espontânea desenvolvida pelo RP e Assessoria de Imprensa, além do próprio boca-a-boca. Se o burburinho for grande, os veículos de comunicação irão dar espaço, pois querem também mostrar algo diferente.

    #FUTURO

    Entendo o futuro das agências como empresas de criatividade sejam na concepção de serviços, produtos ou soluções inovadoras no que diz respeito a métodos e de como serão aplicados. Percebo que cada vez mais as agências irão participar do negócio do cliente porque a gente tem essa capacidade de entender os anseios dos consumidores e a melhor forma de materializar isso na entrega. Penso que a gente vai parar muitas vezes de fazer comercial ou comunicação de um produto pronto, para cada vez mais atuar na concepção desse produto ou serviço de forma mais profunda. Cada vez menos eu deixo de ser agência para ser uma empresa de inovação e talvez de tecnologia. Há uma grande preocupação das empresas em oferecer coisas que rompam com comportamentos, que rompam com a maneira como as pessoas consomem justamente pelas novas tecnologias ou reciclagem de outros materiais ou pela forma de se posicionar como lutar por determinadas causas por exemplo. Vi um case coreano que mostrava uma marca de roupa que inventou animais fictícios e vendia as peles desses animais. Foi assunto no país inteiro, sucesso em vendas, além de reforçar seu propósito de defender os animais. Isso provavelmente partiu de um insight junto com o cliente no início do processo da ideia de criação do produto. Isso é genial.

  • Mercado&Publicidade;

    DMSBOX cria campanha “faz bem e é bom” para Alegra

    Depois de vencer uma concorrência que envolveu outras cinco agências, a DMSBOX conquistou a conta da Alegra Foods e desenvolve nova campanha para a marca. Com o conceito “Alegra faz BEM e é BOM”, a campanha enfatiza a essência da Alegra que valoriza os envolvidos na cadeia produtiva. A Alegra opera em um modelo cooperativista: são centenas de famílias cooperadas que são as verdadeiras "donas" da empresa e que colocam dedicação e amor para que cada etapa do processo de produção gere bem-estar social, econômico, ambiental e até animal. Em 2017, a marca conquistou o reconhecimento internacional quanto às práticas de bem-estar animal no abate, tornando-se a primeira do país a receber essa certificação em bem-estar suíno pela WQS. “O conceito proposto pela DMSBOX nos encantou por conseguir refletir, de uma forma alegre e criativa, os valores que nos guiam e que formam a característica mais marcante do nosso negócio, sem romper com aspectos da comunicação que já vinham sendo trabalhados”, revela Cracios Clinton Consul, Head de Marketing da Alegra Foods. “Essa nova camada de conhecimento que chega até o público é essencial para que possamos continuar contando a nossa história”, completa. 

    Alegra Foods Hotsite

    Hotsite criado para a Alegra Foods reforça o BEM BOM que a marca faz.  (Foto:Divulgação)


    As peças de comunicação convidam os clientes a conhecerem o bem que a Alegra faz, tanto para quem consome quanto para quem produz. A campanha é marcada por uma linguagem leve e cheia de ritmo, com o slogan “Faz bem e é bom” sendo reforçado por meio de uma assinatura sonora, que atrela as palavras “BEM BOM” à uma batida do coração, símbolo presente no logo da marca.  “A tendência é que, cada vez mais, as pessoas passem a se questionar de onde vêm os produtos que estão consumindo: de que forma eles compartilham valor ao longo de sua cadeia e impactam positivamente o desenvolvimento local”, explica Cícero Rohr, Diretor de Atendimento e Negócios da DMSBOX. “Com a campanha, procuramos nos antecipar a esse novo olhar, trazendo esse tema com uma abordagem leve e dinâmica. E, claro, sem nunca deixar de destacar a qualidade e o sabor dos produtos Alegra". 

    Alegra Foods Outdoor

    Outdoor e outras mídias reforçam os valores da marca: "Faz bem e é bom". (Foto: Divulgação)


    A campanha foi apresentada inicialmente aos cooperados e colaboradores da Alegra. E a partir de domingo (11/07), a campanha vai ao ar no Paraná em uma estratégia de mídia que envolve TV aberta, pay TV, rádio, mídias digitais, ações em pontos de venda, mobiliário urbano, painéis de mídia exterior e mídias alternativas omo ônibus e terminais. Todas as peças convidarão o público a visitar o www.alegrabembom.com.br.  Além disso, os internautas também poderão se divertir explorando receitas deliciosas, acompanhada de playlists no Spotify que prometem tornar os momentos do consumidor na cozinha ainda mais especiais.  

    Ficha técnica

    Anunciante: Alegra Foods

    Agência: DMSBOX

    Direção de Criação e Planejamento: Monica Hansen 

    Coordenação de Criação: Kim Kohler Pires e Luiza Coral

    Redação: Luiza Coral e Gabriel Muxfeldt

    Design e Direção de Arte: Kim Kohler Pires, Corina Santos, Sany Alice Porfirio, Flávia Rosot e Luisa Mazarotto

    Planejamento: Jéssica Freitas

    Mídia: Bárbara Oliveira e Mayara Novaes 

    Direção de Atendimento e Negócios: Cícero Rohr

    Atendimento: Thássia Pires, Pedro Voigt e Duda Scolaro

    Gerente de Operações: Bruno Damaceno

    Operações: Anna Kosowski

    Produção Digital: Wiver Marques 

    RTVC: Alessandra Carrenho

    Produção Gráfica: Nelson Kadowaki

    Produtora de Vídeo: Catalunya Filmes

    Produtora de Áudio: Canja Audio Culture

    Fotos: Guto Souza

    Aprovação Cliente: Amauri Castro e Cracios Clinton Consul