Final de ano, agenda cheia

(Foto: Unsplash. com, by Nik MacMillan)

Final de ano chegando, agenda cheia.

Não é assim? Amigo secreto do grupo da faculdade, churrasco da galera do clube, dos amigos de infância do marido, da esposa...

Em meio a tantos eventos sociais, está aberta a temporada de “festas na firma”. Conheço várias pessoas (já tenho em mente uns 5 nomes, rsrs) que morrem de preguiça e que já estão preparando a desculpa para não aparecer.

Mas será que ficar de fora é mesmo o melhor caminho? A minha opinião é que, a menos que isso seja realmente desconfortável para você, repense.

Não participar pode passar a mensagem de que você não se importa com as pessoas, não valorizou o convite. Ou, ainda, você pode ficar com a imagem daquele que não se mistura. Além disso, já diz a máxima: “quem não é visto, não é lembrado”.  É importante marcar presença, mesmo que por pouco tempo. Aproveite essa oportunidade para conhecer melhor as pessoas, aproximar-se de contatos interessantes e até mesmo para celebrar as conquistas com seus colegas ou parceiros.

Parei para pensar os principais motivos e preocupações que deixam as pessoas com vontade de boicotar as confraternizações de trabalho. Espero que isso possa te motivar:

  • entenda o contexto, para acertar no traje. Estar elegantemente bem vestido, significa estar adequado. Mesmo que o traje não esteja especificado, o local e o horário já dão o tom (ex.: churrasco numa chácara ou coquetel numa casa de eventos);
  • verifique para quem é oferecido o convite. Algumas vezes, é oferecido também para o cônjuge e/ou filhos;
  • mesmo que o evento seja descontraído e informal, evite roupas que fujam demais do nível de formalidade da sua empresa;
  • você não precisa ser o primeiro a chegar nem o último a sair. Fique o tempo que se sentir confortável.

Como disse anteriormente, essa pode ser uma excelente oportunidade de estreitar laços e conhecer outras pessoas. Para que isso aconteça, evite ficar a festa toda conversando com o mesmo grupo de sempre. Ao mesmo tempo, fique atento ao nível de interesse do seu interlocutor para não ser inconveniente.

Se você estava pensando em declinar do convite desse ano, espero que você realmente possa reconsiderar, mas que o faça sem sofrimento e que possa usar esse momento para reforçar uma imagem positiva entre o seu círculo de relacionamento profissional. Desejo, ainda, que seja divertido. Afinal, cada um de nós sabe o valor do nosso tempo!

Texto de Karla Giacomet, consultora de imagem e marca pessoal