Bom de Dica de Corrida

Publicidade

10 dicas de etiqueta na corrida

A corrida de rua é um esporte democrático: aceita quem corre 5 quilômetros em 17 ou em 40 minutos. Em essência, basta colocar um tênis (ou ir descalço mesmo, se preferir) e fazer aquele percurso estabelecido. Ainda assim, dentro de uma prova, há algumas dicas de etiqueta que podem fazer a corrida ser ainda mais interessante para todos. Veja algumas delas:

1 – Seu lugar no funil de largada

O pace médio, o objetivo na corrida e seu estilo de correr devem determinar a sua posição no funil de largada. Se você é do tipo que vai correr pela morte e fecha os 5 quilômetros abaixo de 20 minutos, chegue cedo e vá para frente. Se você está na etapa de mesclar corrida e caminhada, não há qualquer razão para largar muito à frente. Em ambos os casos, você vai atrapalhar e colocar outras pessoas (e você mesmo) em risco.

2 – Seja honesto na inscrição

Algumas provas pedem a sua estimativa de tempo para o percurso e dividem a largada em funis com cores ou números. Seja sincero em relação ao seu tempo e, mais importante, respeite as cores – se você tem 10 quilômetros em 60 minutos como seu melhor tempo, é muito improvável uma redução para 50 minutos, certo? De nada adianta as organizações fazerem essas divisões, se o corredor busca meios de burlá-la. Essa estratégia só visa tornar a prova mais interessante para todos: os mais rápidos à frente e os mais lentos mais atrás.

3 – Sinalize os seus movimentos

Os inícios de prova costumam ser movimentados e acidentados. Se você pretende ir para a direita ou esquerda, faça um movimento com o braço, avisando que vai se direcionar para aquele lado. Se você precisa parar, erga os braços antes de fazê-lo. Esse tipo de aviso dá mais segurança e previsibilidade, sobretudo para aqueles que estão atrás, evitando acidentes. Também é de bom tom que os mais lentos fiquem à direita, seguindo os princípios das regras de trânsito.

4 – Evite os paredões

Nada melhor do que correr com os amigos, certo? Mas os paredões são um grande problema, especialmente nas vias mais estreitas. Grupos de três ou mais pessoas podem atrapalhar os demais. Nesse caso, vale aquela regra do bom senso. Dê uma olhada para trás e veja o número de pessoas: se estiver tranquilo, corram lado a lado. Se estiver cheio, aguarde os primeiros metros ou quilômetros para formar o paredão dos amigos, bater papo e se divertir.

5 – Momento da hidratação

Cada um tem sua regra no momento de se hidratar: alguns preferem parar para tomar água, outros pegam e continuam correndo. A regra de ouro, neste caso, é não atrapalhar quem está atrás: pegue a água e se afaste do posto de hidratação (em geral para o meio da pista). Se você precisa parar, não o faça ao lado do posto de hidratação -- também evite reduzir muito o ritmo. Também é de bom grado sinalizar ao staff quando vai pegar a água, de modo a deixá-lo preparado para seus movimentos.

6 – A hora do cuspe

Alguns, como eu, sentem mais vontade de jogar água na boca para cuspir do que necessariamente para tomar. Não custa olhar para os lados antes de fazer isso. Não é bacana tomar uma cusparada enquanto corre. Também vale o cuidado antes de descartar o copo de água. Em dias mais quentes, opte por diminuir a quantia de água no copo antes de jogá-lo para evitar que "exploda" em outro corredor.

7 – Não seja “pipoca”

As provas são organizadas para um determinado número de corredores, baseado no volume de inscritos. Copos de água, horário, frutas, entre outros pontos, dependem desse tipo de informação. Como as ruas são públicas, nada o impede de usar o espaço protegido da movimentação para fazer o seu treino, desde que não atrapalhe os corredores e use da estrutura oferecida para quem pagou para estar ali.

8 – Oriente os apoios

Em provas mais longas, como meias e maratonas, muitas pessoas correm acompanhadas de um apoio – geralmente, um amigo que carrega todos os apetrechos (gel, comidas, isotônicos, cápsulas de sal) em uma mochila de bicicleta. É importante que os apoios não invadam e atrapalhem a área determinada para os corredores.

9 – Não atrapalhe a chegada dos demais

Cada prova pode representar um grande momento para um corredor, independentemente da distância. Se você quer registrar aquele momento depois de cruzar a linha de chegada, não forme um paredão e bloqueie a passagem dos demais corredores. Em geral, as corridas colocam fiscais para que as pessoas sigam andando após concluírem suas provas, mas vale a orientação.

10 – O banheiro químico

Aprendi recentemente que se hidratar antes da prova é tão importante quanto comer bem. Só que tomar muita água antes, invariavelmente leva a vontade de fazer xixi. Se você sabe que isso vai acontecer, chegue antes e respeite a fila do banheiro químico. Outro ponto: não seja porco, porque alguém vai usar o banheiro depois de você.

Dica bônus: lugar de lixo é no lixo. Ao fim da prova, procure um lixo mais próximo para jogar seus resíduos (copos de água, restos de frutas, embalagens plásticas). Se tiver um lixo no meio da prova, procure jogar o seu copo de água ali.

Sentiu falta de alguma dica de etiqueta para corredores? Fale aqui ou deixe seu comentário no instagram @correr_viajar_beber!

Quem faz o blog

Vinicius Boreki – É jornalista e descobriu a corrida de rua como forma de perder peso e virou paixão. Minhas primeiras provas foram em 2011, ainda com 5 e 10 quilômetros. Parti para os 21 km em 2013 e permaneci nesta distância até 2015. Em 2016 e 2017, concluí os 42 quilômetros da Maratona de Curitiba. Meu propósito é finalizar uma maratona por ano a partir de agora. Maria Fernanda Takahashi – Formada em jornalismo, começou a correr em 2011 – contrariando a orientação dos médicos devido à uma protusão discal. Seguiu fazendo provas de 5 e 10 km até concluir suas primeiras meias maratonas no Rio de Janeiro, em São Paulo e na maratona de Curitiba, em 2017. Sofre com o cardio, não tem a pretensão de correr uma maratona, mas quer levar a corrida para a vida toda.

DESTAQUES DOS EDITORES