Bom de Dica de Corrida

Publicidade

Corridas internacionais: Seattle e Vancouver (parte 1)

No mês de junho nós saímos de férias. No roteiro, visitar a família em Seattle (oeste dos Estados Unidos) e aproveitar para conhecer Vancouver (no Canadá). Com as passagens compradas, fizemos a busca pelas corridas na região e, coincidentemente, duas meias maratonas aconteceriam no período: a Rock’n’Roll Seattle e a Scotiabank Vancouver.

Inscrições feitas, um pouco mais de mil reais gastos e a expectativa de duas belas provas. Começamos pela de Seattle, logo no início da viagem. A retirada do kit foi no CenturyLink Field, famoso estádio do time de futebol americano Seattle Seahawks.

Uma bela estrutura, com busca eletrônica do número de peito, estande com troca de número de camisetas e inúmeros expositores. O kit contemplava, além da sacolinha e da camiseta, algumas amostras dos parceiros, como cápsulas energéticas e para boa noite de sono. Aproveitamos também para comprar o estacionamento para o dia da prova.

21k na Rock’n’Roll Seattle

10 de junho, 5h e pouco da manhã, saímos de Redmond, cidade próxima de Seattle, para o local de prova. O trânsito de Seattle é meio chatinho, mas conseguimos estacionar a tempo. A largada é separada pelas baias, de acordo com o tempo de conclusão de prova. Enquanto o Vini ficou logo atrás do pelotão de elite, eu fui lá para as últimas divisões.

Antes da largada eles sempre cantam o hino nacional - que é lindo e normalmente à capela -, e logo na sequência o pessoal começa a largada, espaçada em cerca de um minuto para cada setor. Essa é a primeira parte que chama atenção: o pessoal realmente respeita as largadas, sendo assim, você corre com pessoas do seu ritmo, sem atropelos ou lesminhas. (Na minha largada rolou uma homenagem aos combatentes americanos mortos em guerras e conflitos, bem bonito! Familiares bastante emocionados!)

O percurso da prova não foi tão fácil quando parecia, na verdade, ele é tão complicadinho quanto o de Curitiba, com inúmeras subidas e descidas íngremes. Mas durante todo o percurso (que tinha de 21k e 42k), muitas pessoas na rua, hidratação perfeita com água e isotônico (em um ou dois pontos com carbogel), e muita animação dos músicos que ficam a cada milha (característica do circuito Rock’n’Roll, que acontece em várias cidades dos EUA e em outros países).

Mesmo sendo uma prova cascudinha, fizemos bons tempos: o Vini RP com 1:38:57 e eu RP com 2:39:49. A medalha, bonitona, estampa alguns pontos da cidade, como o Space Needle. O pós-prova também foi lindo: água, frutas, pretzels, isotônico, achocolatado, barra proteica. E mais... Música, festa e uma cervejinha para hidratar!

Quem aqui já fez provas internacionais? O que acharam? Em breve, a prova de Vancouver, no Canadá.

Quem faz o blog

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES