Movimento #AmpliaUSP

Pensando em apoiar os estudantes que sonham em ter uma oportunidade para  prestar o vestibular da Universidade de São Paulo  (USP),  Club Social, marca da Mondelez Brasil, firmou parceria com o Movimento AMPLIA, organizado por jovens voluntários, e lança o  movimento #AmpliaUSP. Essa campanha tem como objetivo conectar estudantes às pessoas interessadas em “apadrinhar” e dessa forma terem suas inscrições pagas para o vestibular da FUVEST 2021.

Há 20 anos presente no Brasil, a marca de snacks atingiu popularidade e pioneirismo fazendo parte da rotina de milhares de jovens brasileiros. Agora toma essa iniciativa com um olhar atento para a educação, contribuindo tanto diretamente, com inscrições para estudantes, quanto usando as plataformas da marca para divulgar a campanha e convidar mais pessoas a ajudar.

“Club Social tem como propósito ser um aliado na jornada dos nossos consumidores, matar a fominha para que eles continuem a fazer o que realmente importa, sem precisar parar. Sempre estivemos presentes na rotina dos estudantes e vimos no Movimento Amplia uma oportunidade especial de contribuir de forma genuína com a educação desses jovens, dando mais visibilidade à essa causa tão relevante”. Fabiola Menezes, diretora da categoria de biscoitos da Mondelez Brasil.

Segundo dados da Universidade de São Paulo, apenas 26% do total de ingressantes nos cursos de graduação se autodeclaram pretos, pardos e indígenas. Apesar de ter apresentado melhora desse índice nos últimos anos, a USP ainda tem uma barreira que pode ser um dos principais motivos da disparidade racial.

O foco é viabilizar a participação de estudantes que não poderiam pagar a taxa de R$182, principalmente daqueles que se declaram pretos, pardos e indígenas. Os interessados em fazer parte dessa ação, tanto para doar, quanto para receber devem se cadastrar através das redes sociais do Movimento Amplia, Instagram: @movimento_amplia, Facebook: movimentoamplia, Twitter: MovimentoAmplia e seguir as instruções.

 

Sobre o Movimento Amplia:

Grupo de entusiastas multidisciplinares que promove a ampliação de oportunidades para a juventude preta, parda e indígena, por meio da Educação. As ações têm objetivo de diminuir a desigualdade racial no âmbito educacional, com o apoio da sociedade civil por meio de campanhas de mobilização; difusão de referências e conteúdo; fortalecimento de organizações do terceiro setor engajadas nas bandeiras da educação e da luta antirracista; promoção de campanhas de financiamento. Em junho de 2020, iniciaram o movimento nas redes sociais, como uma resposta aos protestos antirracistas, convidando pessoas a apoiar e garantir maior acesso de jovens ao ensino superior por meio do ENEM e gerou uma grande repercussão. Ao todo, os “padrinhos” e “madrinhas”, como são chamados os apoiadores, pagaram efetivamente R$ 10 mil em boletos, auxiliando todos os alunos que enviaram seu interesse em ganhar a inscrição. Entre os estudantes contemplados, 93% são negros e 77% são mulheres.

via assessoria