Metropole

Publicidade
Metropole

Programa de inseminação artificial visa melhorar rebanho e qualidade do leite em Araucária

O serviço de inseminação artificial prestado gratuitamente pela Prefeitura de Araucária tem ajudado pequenos produtores rurais a melhorar a qualidade do rebanho de gado leiteiro e, por consequência, do leite produzido nas propriedades rurais. O sêmen utilizado é fornecido pela Prefeitura, assim como o técnico que realiza o procedimento. O programa já ocorre há 15 anos e ganhou novo impulso desde o ano passado.

Janete e Jair Gadomski, mãe e filho, hoje possuem 36 bovinos (entre vacas e novilhas) na propriedade na região do Lagoa Suja. Destes, 15 animais são resultado de inseminação artificial realizada pela Prefeitura (sem falar em outros que eles já venderam). “As vacas que vêm [nascem] são boas de leite”, avaliaram. Na propriedade já é a 3ª geração de novilhas geradas a partir desse procedimento.

Eles contam que há cerca de 9 anos já produziam queijo e requeijão com o leite obtido na propriedade e que com o passar do tempo decidiram se dedicar exclusivamente à produção e venda do leite in natura para empresas. Há um ano, o leite passou a ser a fonte principal da família. Na propriedade dos Gadomski, a decisão foi por misturar as raças Jersey e Holandês visando a melhora no teor de gordura do leite, no comportamento do animal e na sua resistência a doenças. Há fêmeas que nasceram de inseminação artificial na propriedade e que hoje produzem de 35 a 40 litros de leite/dia.

Publicidade