Unido nutrição e ciência para o seu bem-estar!

  • Como a alimentação pode melhorar a sua enxaqueca?

    (Foto: Unplash)

    A enxaqueca é uma condição neurológica crônica que pode ser desencadeada por vários fatores, como estresse, alterações hormonais, insônia, depressão, alimentos com grande potencial alergênico, deficiências nutricionais e até mesmo baixa ingestão de água. Por ser uma condição multifatorial e muito particular de cada pessoa, é de grande importância um tratamento nutricional individualizado, promovendo, assim, o máximo de bem-estar para os pacientes.

    No que diz respeito a parte nutricional, além de identificar os alimentos que geram tais sintomas, também podemos contribuir para minimizar a dor e a frequência através da alimentação terapêutica. Estudos demonstram que 65% dos casos de enxaqueca estão associados a uma alimentação inadequada. Por isso, o primeiro passo para melhorar o quadro é identificar os alimentos que são um gatilho para essa condição.

    Mas, então, quais são esses alimentos? Embutidos industrializados, queijos muito industrializados, chocolate - especialmente ao leite -, amendoim, bebidas alcóolicas - principalmente cerveja e o vinho (rico em taninos que provocam a enxaqueca) - , alimentos fonte de cafeína - que são considerados estimulantes e causam agravamento no quadro da enxaqueca - , adoçantes e saborizantes e fritura e/ou excesso de gordura, que podem desencadear a inflamação no organismo, promovendo a dor.

    Glúten e leite são alimentos com alta sensibilidade para várias pessoas, o que pode ser um gatilho da relação intestino-enxaqueca. Outros compostos como o tabaco, poluição e mofo também interferem na desintoxicação intestinal, podendo ser uma das causas da enxaqueca crônica. Além disso, as frutas cítricas contém substâncias como a dopamina, que podem desencadear a dor. Fique de olho nesta lista e, se consumir algum destes alimentos e tiver uma crise, anote e perceba se ele se repete. Por haver a individualidade, não significa que todos esses alimentos causam enxaqueca, mas eles podem ser possíveis gatilhos. Por isso, vale a pena observar no seu caso qual a reação.

    E como melhorar esse quadro? Consumindo os alimentos adequados. Além de anti-inflamatórios, alguns alimentos têm funções que ajudam na regulação da pressão, no fortalecimento do sistema circulatório e ainda melhoram a digestão, dando suporte para o funcionamento do nosso corpo e evitando as dores de cabeça”.

    Para isso, consuma alimentos fontes de ômega 3, que evitam o acúmulo de toxinas no organismo e melhoram a circulação, como a chia, linhaça, grãos integrais, noz, salmão e atum. Já os alimentos ricos em vitaminas do complexo B participam de atividades anti-inflamatórias e atuam nos processos bioquímicos das mitocôndrias. Alguns exemplos: os cereais, a semente de girassol, ervilha verde, arroz, espinafre e brócolis. Os alimentos ricos em coenzima Q10 trabalham diminuindo os níveis de um peptídeo no cérebro que está associado com a dor e inflamação, ajudando nos sintomas da enxaqueca. Consuma, por exemplo, nozes, peixe, carne vermelha e tofu. Os alimentos ricos em triptofano ajudam você a relaxar, evitando as crises. Alguns exemplos: banana, grãos, leguminosas, sementes e iogurte.

    Outras opções são os chás. O de hortelã, que além de muito saboroso auxilia na digestão, melhora as dores de cabeça e as náuseas. A hortelã também pode ser adicionada em sucos, chás, saladas e preparações diversas. Outra opção é o chá de camomila, que é um calmante natural e ajuda na enxaqueca por tensão nervosa e muscular, especialmente se acompanhado de 200mg de magnésio de suplementos. Para finalizar, a nutricionista lembra que cada caso é um caso e deve ser sempre acompanhado por um especialista. Como foi dito, cada pessoa reage de uma determinada forma. Por isso, além da alimentação adequada e uma dieta balanceada, é importante que ela tenha também o acompanhamento de um neurologista. 

    Sobre Aline Quissak

    Aline Quissak é nutricionista com especializações no Canada e Estados Unidos, pesquisadora científica em alimentos terapêuticos aplicados tanto na saúde quanto em doenças. É especialista em nutrição genética, pacientes críticos, oncologia, psicologia da nutrição e alimentação funcional. Para mais informações acesse suas redes sociais @nutri_secrets.  E, se você quer aprender mais sobre o poder da nutrição, a nutri tem o “Mundo Terapêutico” lá você encontra, e-book, vídeos, dicas e receita sobre os mais variados temas, acesse https://www.alinequissak.com/mundoterapeutico

  • Trufa da felicidade

    (Foto: Banco de imagem)

    Ingredientes:

    •          10 tâmaras jumbo

    •          2 colheres de sopa de cacau em pó

    •          1 colher de sobremesa de extrato de baunilha natural

    •          50ml de café espresso

    •          Cacau para decorar

    Modo de preparo:

    Bata todos os ingredientes em um processador até ficar uma massa firme e uniforme. Pronto, agora é só enrolar e passar no cacau para decorar. A receita rende 12 trufas que podem ser conservadas na geladeira por até X dias.

    Fácil, né? As tâmaras são ricas em minerais que ajudam no bom-humor, o cacau em pó é em rico em nutrientes que ajudam a melhorar a nossa serotonina, o extrato de baunilha é rico em antioxidantes e ajuda na diminuição do estresse e o café ajuda a dar aquele “up” no nosso cansaço.

     

    Sobre mim

    Nutricionista com especializações no Canada e Estados Unidos, pesquisadora científica em alimentos terapêuticos aplicados tanto na saúde quanto em doenças. É especialista em nutrição genética, pacientes críticos, oncologia, psicologia da nutrição e alimentação funcional. Para mais informações acesse suas redes sociais @nutri_secrets.  E, se você quer aprender mais sobre o poder da nutrição, a nutri tem o “Mundo Terapêutico” lá você encontra, e-book, vídeos, dicas e receita sobre os mais variados temas, acesse https://www.alinequissak.com/mundoterapeutico

  • 5 alimentos para melhorar sua endometriose

    (Foto: Pixabay)

    Dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) apontam que 10% das mulheres brasileiras sofrem com a endometriose. Só em 2019 foram 11.790 casos, sendo mais frequente em mulheres entre 25 e 35 anos de idade. Infelizmente, a doença não tem cura e é de difícil prevenção. Porém, existem estratégias que ajudam no controle e cuidado com a doença, melhorando, assim, a qualidade de vida da paciente. Uma dessas estratégias é a alimentação.

    Um dos benefícios da alimentação terapêutica é o auxílio no tratamento de diversas doenças. A alimentação saudável é um dos pontos base para a nossa saúde. Quando utilizamos os alimentos adequados na nossa dieta, com base na nutrição terapêutica, conseguimos também melhorar alguns sintomas, como no caso da endometriose. Por se tratar de uma inflamação, o recomendado é uma dieta rica em alimentos anti-inflamatórios. Além de magnésio, ferro, ômega 3, vitaminas do complexo B e fibras, além dos antioxidantes, como o ácido elágico, indol 3 carbinol e vitamina C.

    Outro nutriente importante para quem tem endometriose é o ácido fólico, principalmente para aquelas que estão sofrendo com dificuldades para engravidar. Porém, vale alertar que o ideal é que ele seja ingerido através da alimentação, já que os suplementos costumam conter ácido fólico puro - uma forma não ativada do nutriente e que pode ser prejudicial ao metabolismo. Entretanto, se mesmo assim a mulher quiser suplementar, ela deve buscar pela forma ativa do nutriente, chamada de metil folato, para assim o organismo conseguir aproveitar todos os benefícios. Isso, é claro, sempre acompanhada de um especialista.

    Se você tem ou conhece alguém que tem endometriose, esses 5 alimentos podem ajudar. 1) Framboesa congelada. Pode ser a fresca - quando for época -, em polpa e até mesmo a folha dela no chá. 2) Espinafre. Pode ser usado refogado com alho, cebola roxa e azeite de oliva. Adicionado em receitas como omeletes, quiches saudáveis, peixe, arroz etc.         

    3) Brócolis. Pode ser utilizado triturado como "arroz de brócolis", sopa, um recheio de torta ou gratinado. Use a criatividade. 4) Linhaça. Pode ser usada em panqueca, bolos, pão artesanal com sementes e na maionese. 5) Cúrcuma. Um dos alimentos mais anti-inflamatórios que existem. Pode ser consumida como shot com gengibre ou na comida com pimenta, mas sempre cuidando para não aquecer demais, já que ela é termo sensível.

    Vale lembrar ainda que é importante evitar alimentos que piorem a inflamação, como frituras, gordura hidrogenada, açúcar branco e até o excesso de proteína animal. Já que quando consumimos determinados alimentos em excesso, eles acabam sobrecarregando nosso corpo e aumentando a inflamação o que, por consequência, acaba piorando os sintomas da endometriose.

     

    Sobre mim

    Nutricionista com especializações no Canada e Estados Unidos, pesquisadora científica em alimentos terapêuticos aplicados tanto na saúde quanto em doenças. É especialista em nutrição genética, pacientes críticos, oncologia, psicologia da nutrição e alimentação funcional. Para mais informações acesse suas redes sociais @nutri_secrets.  E, se você quer aprender mais sobre o poder da nutrição, a nutri tem o “Mundo Terapêutico” lá você encontra, e-book, vídeos, dicas e receita sobre os mais variados temas, acesse https://www.alinequissak.com/mundoterapeutico

  • Quiche Anti-TPM

    Que tal uma quiche de Brócolis e Cogumelos para melhorar a TPM e auxiliar na Endometriose? Essa receita é perfeita para o café da manhã ou da tarde e pode ser acompanhada de chá de hortelã com frutas vermelhas ou de chá verde com chá-de-rooibos.

     Ingredientes:

    •                 160g de farinha de castanha de caju ou amêndoas
    •                 20g de farinha de chia
    •                 20g de farinha de fubá ou polvilho doce
    •                 80g de manteiga
    •                 1 ovo
    •                 1 pitada de sal

     Modo de preparo:

    Em um pote coloque a mistura de farinhas, a manteiga (temperatura ambiente) e o sal. Misture com a ponta dos dedos e, por último, incorpore o ovo, misturando até obter uma massa lisa a e homogênea. Deixe a massa descansar na geladeira por 15 minutos. Abra a massa em uma forma ondulada de fundo falso de 25 cm ou em forminhas individuais, cobrindo o fundo e as laterais. Faça furos com um garfo no fundo da massa e leve ao forno pré-aquecido a 180 graus por 10 minutos. Retire e deixar esfriar.  

    Recheio:

    •                 2 cebolas roxas picadas
    •                 100g de cogumelo paris ou porto belo (fresco) fatiado
    •                 150g de nata ou leite de aveia
    •                 1 colher de café de noz moscada ralada
    •                 1 colher de café de cardamomo ralado
    •                 1 pitada de sal
    •                 3 ovos
    •                 100g de brócolis picado bem pequeno
    •                 50g de queijo parmesão ralado ou queijo vegano de amêndoas
    •                 4 colheres de sopa de gergelim   

    Modo de preparo:

    Em um bowl com auxílio de um batedor de arame ou garfo, misture na sequência: a nata, a noz moscada, o cardamomo, os ovos e o sal. Coloque sobre a massa pré-assada e fria uma concha do preparo. Em seguida, distribua os cogumelos, o brócolis e a cebola roxa. Vá colocando aos poucos o restante do creme até o nível da borda da massa. Adicione o queijo e o gergelim por cima do creme.  Leve de volta ao forno pré-aquecido a 200 graus por aproximadamente 20-30 minutos ou até dourar.

    Obs.: Essa receita dura 5 dias na geladeira e pode ser aquecida antes do consumo (apenas a sua fatia), mantendo o restante na geladeira.         


    Sobre Aline Quissak

    Aline Quissak é nutricionista com especializações no Canada e Estados Unidos, pesquisadora científica em alimentos terapêuticos aplicados tanto na saúde quanto em doenças. É especialista em nutrição genética, pacientes críticos, oncologia, psicologia da nutrição e alimentação funcional. Para mais informações acesse suas redes sociais @nutri_secrets e no site http://www.alinequissak.com/combodebemcomavida

     

  • 3 dicas para regular seu apetite

    (Foto: `Pixabay)

    Você é do time que gosta de repetir o prato? Que tem fome o dia todo e acha que isso está atrapalhando no seu peso? Você sabe se o seu apetite é emocional, comportamental, hormonal ou genético? Você sabia que alguns fatores podem, sim, influenciar nesse apetite exagerado que algumas pessoas sentem? Um dos mais comuns é o emocional, quando descontamos as emoções na comida atrás do prazer ou da recompensa.

    Ainda nesse sentindo, algumas pessoas sofrem também a influência de um gene chamado MCR4, o qual depende diretamente da produção de serotonina do organismo, ou seja, quando estamos tristes, cansados, queremos mais doces e frituras como forma de recompensa por aquele sentimento. Outros três fatores que costumam interferir no nosso apetite, segundo a nutricionista, são o comportamental e o genético. O comportamental é aquele em que temos o hábito de raspar o prato, repetir refeições por educação, que a pessoa come até a barriga doer, já sem fome.

    O apetite hormonal é comum em pessoas que tem mais resistência a leptina – o hormônio da saciedade -, o que acontece com pessoas com obesidade, com doenças inflamatórias, e até pela TPM.  Já o apetite genético é causado em pessoas que tem o gene FTO, conhecido como gene da fome, e o LEPR, que aumenta a vontade de petiscar. Mas calma, tem como melhorar e, para isso, separei 3 dicas simples e eficientes que se aplicadas no dia a dia auxiliam na modulação do apetite.  

    1) De tempo ao tempo (20 minutos para cada refeição) - O cérebro precisa desse tempo para dizer ao seu estômago que está satisfeito. Coloque um cronometro no celular. Se estiver comendo muito rápido, pare, respire, descanse o talher. Se você quiser repetir, tudo bem, mas só depois que o primeiro prato for finalizado e completarem os 20 minutos (comendo devagar e apreciando a comida).

    2) Respire fundo 10x antes de cada refeição - Respirar? Sim, isso mesmo, respirar. A entrada de oxigênio no organismo não só acalma a ansiedade – para não descontarmos as emoções na comida -, como também ativa o hormônio do apetite.

    3) Tome um shot de limão espremido - Seja no restaurante ou em casa, tome meio limão espremido antes das refeições (de 5 a 10 minutos antes de comer).  O ácido puro do limão antes da comida ativa o CCK, que é um dos hormônios que controla nosso apetite. Atenção: pessoas que tem gastrite, esofagite e refluxo devem tomar cuidado com essa dica.

    Mas são apenas dicas viu? Cada caso é um caso e deve ser avaliado por um especialista.

    Sobre Aline Quissak

    Aline Quissak é nutricionista com especializações no Canada e Estados Unidos, pesquisadora científica em alimentos terapêuticos aplicados tanto na saúde quanto em doenças. É especialista em nutrição genética, pacientes críticos, oncologia, psicologia da nutrição e alimentação funcional. Para mais informações acesse suas redes sociais @nutri_secrets.  E, se você quer aprender mais sobre o poder da nutrição, a nutri tem o “Mundo Terapêutico” lá você encontra, e-book, vídeos, dicas e receita sobre os mais variados temas, acesse https://www.alinequissak.com/mundoterapeutico

     

     

     

  • Iogurte anti-ansiedade

    Você anda muito ansioso? Essa sinergia nutricional com iogurte, cenoura, amêndoas, manga e coco ralado possui todos os aminoácidos necessários para produzir nossos neurotransmissores de relaxamento. Conta também com as vitaminas A, D e E, para ajudar o nosso fígado a processar melhor as toxinas geradas pela ansiedade e ainda o TCM, que é a gordura que "nutre" nossos neurônios para uma melhor comunicação. Vamos à receita!

    Ingredientes:

    •        120g de iogurte natural
    •        4 rodelas de cenoura
    •        3 colheres de sopa de manga
    •        2 colheres de sobremesa de coco ralado (sem açúcar)
    •        2 colheres de sobremesa de amêndoas

    Modo de preparo:

    Bata a cenoura e o iogurte no liquidificador até virar um creme liso. Adicione as amêndoas e misture bem. Agora é só montar o iogurte em camadas; primeiro, você adiciona o creme de iogurte com as amêndoas e depois a camada com a manga. Finalize com o coco ralado e está pronto!

    Sobre Aline Quissak

    Aline Quissak é nutricionista com especializações no Canada e Estados Unidos, pesquisadora científica em alimentos terapêuticos aplicados tanto na saúde quanto em doenças. É especialista em nutrição genética, pacientes críticos, oncologia, psicologia da nutrição e alimentação funcional. Para mais informações acesse suas redes sociais @nutri_secrets.  E, se você quer aprender mais sobre o poder da nutrição, a nutri tem o “Mundo Terapêutico” lá você encontra, e-book, vídeos, dicas e receita sobre os mais variados temas, acesse https://www.alinequissak.com/mundoterapeutico

     

     

  • 7 dicas para fazer um detox e diminuir sua ansiedade

    (Foto: Pixabay)

    Você pode não saber, mas o processo “detox” é natural do nosso corpo. O que acontece é que, às vezes, ele fica sem matéria-prima e muito cansado para fazer essa “faxina” no metabolismo. Toxinas geradas pela poluição, má alimentação e medicamentos desnecessários em excesso. Tudo isso acaba diminuindo nossa qualidade de vida, gerando dores de cabeça, dores musculares, alergias alimentares, problemas intestinais, baixando nossa imunidade, desenvolvendo doenças autoimunes, desequilibrando nossos hormônios, interferindo, assim, no sono, TPM e emagrecimento, além de aumentar a nossa ansiedade. Mas, não se desespere! Tem como melhorar tudo isso através da alimentação terapêutica e algumas estratégias complementares:

    1) Consuma suco de acerola. A acerola é uma fruta das mais anti-inflamatórias e revigorantes, ela vai ajudar seu organismo a trabalhar melhor e diminuir a inflamação causada pelo estresse e ansiedade. 2) Beba chás relaxantes (Melissa, passiflora, camomila e calêndula). Nada como um chazinho antes de dormir, né? Ele relaxa, acalma e ainda te ajuda a dormir melhor, fazendo com que seu corpo melhore também a detox que é feita durante a noite.

    3) Deixe seu prato mais colorido. Aliás, quanto mais colorido, melhor! Assim, você vai ter mais nutrientes ajudando o seu corpo a trabalhar. Para ajudar nos sintomas da ansiedade, aposte em alimentos roxos, laranjas e verdes. 4) Cuide das suas emoções! Essa não é uma dica nutricional, mas é superimportante para o seu corpo. Terapia, ioga, meditação, atividade física, tudo isso vai complementar o cuidado que você está tendo com a sua alimentação.

    5) Cuide do seu intestino. Você já deve ter ouvido que “o intestino é o nosso segundo cérebro”. E é mesmo. Quando ele não funciona, nada funciona direito. Evite industrializados, corantes, conservantes e aumente o consumo de fibras. 6) Cuide do seu sono. Ele é fundamental nessa tarefa. Além dos chás relaxantes, crie o seu ritual antes de dormir: use olhos essenciais, desligue os aparelhos eletrônicos pelo menos 30min antes de dormir, e se puder, faça um lanchinho da noite (1 xícara de chá de melissa, com 1 banana e 2 castanhas do Pará). Essa combinação além de diminuir a ansiedade, ainda auxilia na produção da melatonina, hormônio do sono

    7) Movimente-se! Sim, você já deve estar cansando de ouvir, mas atividade física é muito importante para o controle da nossa ansiedade e seus sintomas no nosso corpo. A recomendação é de pelo menos 40 minutos por dia de caminhada moderada. Não gosta de caminhar? Nade, jogue bola, faça alguma luta, o que você quiser, o importante é se mexer. Vale lembrar, que essas são apenas algumas estratégias para ajudar no controle da ansiedade, mas cada caso é um caso e precisa ser analisado por um médico. 

  • 5 alimentos para melhorar sua endometriose

    Dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) apontam que 10% das mulheres brasileiras sofrem com a endometriose. Só em 2019 foram 11.790 casos, sendo mais frequente em mulheres entre 25 e 35 anos de idade. Infelizmente, a doença não tem cura e é de difícil prevenção. Porém, existem estratégias que ajudam no controle e cuidado com a doença, melhorando, assim, a qualidade de vida da paciente. Uma dessas estratégias é a alimentação.

    Um dos benefícios da alimentação terapêutica é o auxílio no tratamento de diversas doenças. A alimentação saudável é um dos pontos base para a nossa saúde. Quando utilizamos os alimentos adequados na nossa dieta, com base na nutrição terapêutica, conseguimos também melhorar alguns sintomas, como no caso da endometriose”. Por se tratar de uma inflamação, a especialista recomenda uma dieta rica em alimentos anti-inflamatórios. Além de magnésio, ferro, ômega 3, vitaminas do complexo B e fibras, além dos antioxidantes, como o ácido elágico, indol 3 carbinol e vitamina C.

    Outro nutriente importante para quem tem endometriose é o ácido fólico. O ácido fólico é fundamental para as mulheres que sofrem com a doença, principalmente para aquelas que estão sofrendo com dificuldades para engravidar. Porém, vale alertar que o ideal é que ele seja ingerido através da alimentação, já que os suplementos costumam conter ácido fólico puro - uma forma não ativada do nutriente e que pode ser prejudicial ao metabolismo. Entretanto, se mesmo assim a mulher quiser suplementar, ela deve buscar pela forma ativa do nutriente, chamada de metil folato, para assim o organismo conseguir aproveitar todos os benefícios. Isso, é claro, sempre acompanhada de um especialista.

    Se você tem ou conhece alguém que tem endometriose, esses 5 alimentos podem ajudar. 1) Framboesa congelada. Pode ser a fresca - quando for época -, em polpa e até mesmo a folha dela no chá. 2) Espinafre. Pode ser usado refogado com alho, cebola roxa e azeite de oliva. Adicionado em receitas como omeletes, quiches saudáveis, peixe, arroz etc.         

    3) Brócolis. Pode ser utilizado triturado como "arroz de brócolis", sopa, um recheio de torta ou gratinado. Use a criatividade. 4) Linhaça. Pode ser usada em panqueca, bolos, pão artesanal com sementes e na maionese. 5) Cúrcuma. Um dos alimentos mais anti-inflamatórios que existem. Pode ser consumida como shot com gengibre ou na comida com pimenta, mas sempre cuidando para não aquecer demais, já que ela é termo sensível.

    É importante também evitar alimentos que piorem a inflamação, como frituras, gordura hidrogenada, açúcar branco e até o excesso de proteína animal. Quando consumimos determinados alimentos em excesso, eles acabam sobrecarregando nosso corpo e aumentando a inflamação o que, por consequência, acaba piorando os sintomas da endometriose.

    Sobre Aline Quissak

    Aline Quissak é nutricionista com especializações no Canada e Estados Unidos, pesquisadora científica em alimentos terapêuticos aplicados tanto na saúde quanto em doenças. É especialista em nutrição genética, pacientes críticos, oncologia, psicologia da nutrição e alimentação funcional. Para mais informações acesse suas redes sociais @nutri_secrets.  E, se você quer aprender mais sobre o poder da nutrição, a nutri tem o “Mundo Terapêutico” lá você encontra, e-book, vídeos, dicas e receita sobre os mais variados temas, acesse https://www.alinequissak.com/mundoterapeutico

     

  • Quiche Anti-TPM

    Que tal uma quiche de Brócolis e Cogumelos para melhorar a TPM e auxiliar na Endometriose? Essa receita é perfeita para o café da manhã ou da tarde e pode ser acompanhada de chá de hortelã com frutas vermelhas ou de chá verde com chá-de-rooibos.

    Ingredientes:

    •                 160g de farinha de castanha de caju ou amêndoas
    •                 20g de farinha de chia
    •                 20g de farinha de fubá ou polvilho doce
    •                 80g de manteiga
    •                 1 ovo
    •                 1 pitada de sal

    Modo de preparo:

    Em um pote coloque a mistura de farinhas, a manteiga (temperatura ambiente) e o sal. Misture com a ponta dos dedos e, por último, incorpore o ovo, misturando até obter uma massa lisa a e homogênea. Deixe a massa descansar na geladeira por 15 minutos. Abra a massa em uma forma ondulada de fundo falso de 25 cm ou em forminhas individuais, cobrindo o fundo e as laterais. Faça furos com um garfo no fundo da massa e leve ao forno pré-aquecido a 180 graus por 10 minutos. Retire e deixar esfriar.  

    Recheio:

    •                 2 cebolas roxas picadas
    •                 100g de cogumelo paris ou porto belo (fresco) fatiado
    •                 150g de nata ou leite de aveia
    •                 1 colher de café de noz moscada ralada
    •                 1 colher de café de cardamomo ralado
    •                 1 pitada de sal
    •                 3 ovos
    •                 100g de brócolis picado bem pequeno
    •                 50g de queijo parmesão ralado ou queijo vegano de amêndoas
    •                 4 colheres de sopa de gergelim   

    Modo de preparo:

    Em um bowl com auxílio de um batedor de arame ou garfo, misture na sequência: a nata, a noz moscada, o cardamomo, os ovos e o sal. Coloque sobre a massa pré-assada e fria uma concha do preparo. Em seguida, distribua os cogumelos, o brócolis e a cebola roxa. Vá colocando aos poucos o restante do creme até o nível da borda da massa. Adicione o queijo e o gergelim por cima do creme.  Leve de volta ao forno pré-aquecido a 200 graus por aproximadamente 20-30 minutos ou até dourar.

    Obs.: Essa receita dura 5 dias na geladeira e pode ser aquecida antes do consumo (apenas a sua fatia), mantendo o restante na geladeira.         

    Sobre Aline Quissak

    Aline Quissak é nutricionista com especializações no Canada e Estados Unidos, pesquisadora científica em alimentos terapêuticos aplicados tanto na saúde quanto em doenças. É especialista em nutrição genética, pacientes críticos, oncologia, psicologia da nutrição e alimentação funcional. Para mais informações acesse suas redes sociais @nutri_secrets e no site http://www.alinequissak.com/combodebemcomavida

  • Iogurte anti-ansiedade

    Você anda muito ansioso? Então anota essa receita especial que eu criei. Esa sinergia nutricional com iogurte, cenoura, amêndoas, manga e coco ralado possui todos os aminoácidos necessários para produzir nossos neurotransmissores de relaxamento. Conta também com as vitaminas A, D e E, para ajudar o nosso fígado a processar melhor as toxinas geradas pela ansiedade e ainda o TCM, que é a gordura que "nutre" nossos neurônios para uma melhor comunicação. Vamos lá!

     Ingredientes:

    •        120g de iogurte natural
    •        4 rodelas de cenoura
    •        3 colheres de sopa de manga
    •        2 colheres de sobremesa de coco ralado (sem açúcar)
    •        2 colheres de sobremesa de amêndoas

     Modo de preparo:

    Bata a cenoura e o iogurte no liquidificador até virar um creme liso. Adicione as amêndoas e misture bem. Agora é só montar o iogurte em camadas; primeiro, você adiciona o creme de iogurte com as amêndoas e depois a camada com a manga. Finalize com o coco ralado e está pronto!

    Sobre Aline Quissak

    Aline Quissak é nutricionista com especializações no Canada e Estados Unidos, pesquisadora científica em alimentos terapêuticos aplicados tanto na saúde quanto em doenças. É especialista em nutrição genética, pacientes críticos, oncologia, psicologia da nutrição e alimentação funcional. Para mais informações acesse suas redes sociais @nutri_secrets.  E, se você quer aprender mais sobre o poder da nutrição, a nutri tem o “Mundo Terapêutico” lá você encontra, e-book, vídeos, dicas e receita sobre os mais variados temas, acesse https://www.alinequissak.com/mundoterapeutico

     

     

     

  • 3 dicas para regular seu apetite

    Você é do time que gosta de repetir o prato? Que tem fome o dia todo e acha que isso está atrapalhando no seu peso? Você sabe se o seu apetite é emocional, comportamental, hormonal ou genético? Pois saiba que alguns fatores podem, sim, influenciar nesse apetite exagerado que algumas pessoas sentem. Um dos mais comuns é o emocional, quando descontamos as emoções na comida atrás do prazer ou da recompensa.

    Ainda nesse sentindo, algumas pessoas sofrem também a influência de um gene chamado MCR4, o qual depende diretamente da produção de serotonina do organismo, ou seja, quando estamos tristes, cansados, queremos mais doces e frituras como forma de recompensa por aquele sentimento. Outros três fatores que costumam interferir no nosso apetite são o comportamental e o genético. O comportamental é aquele em que temos o hábito de raspar o prato, repetir refeições por educação, que a pessoa come até a barriga doer, já sem fome.

    O apetite hormonal é comum em pessoas que tem mais resistência a leptina – o hormônio da saciedade -, o que acontece com pessoas com obesidade, com doenças inflamatórias, e até pela TPM.  Já o apetite genético é causado em pessoas que tem o gene FTO, conhecido como gene da fome, e o LEPR, que aumenta a vontade de petiscar. Mas calma, tem como melhorar e, para isso, separei 3 dicas simples e eficientes que se aplicadas no dia a dia auxiliam na modulação do apetite.  

    1) De tempo ao tempo (20 minutos para cada refeição) - O cérebro precisa desse tempo para dizer ao seu estômago que está satisfeito. Coloque um cronometro no celular. Se estiver comendo muito rápido, pare, respire, descanse o talher. Se você quiser repetir, tudo bem, mas só depois que o primeiro prato for finalizado e completarem os 20 minutos (comendo devagar e apreciando a comida).

    2) Respire fundo 10x antes de cada refeição - Respirar? Sim, isso mesmo, respirar. A entrada de oxigênio no organismo não só acalma a ansiedade – para não descontarmos as emoções na comida -, como também ativa o hormônio do apetite.

    3) Tome um shot de limão espremido - Seja no restaurante ou em casa, tome meio limão espremido antes das refeições (de 5 a 10 minutos antes de comer).  O ácido puro do limão antes da comida ativa o CCK, que é um dos hormônios que controla nosso apetite. Atenção: pessoas que tem gastrite, esofagite e refluxo devem tomar cuidado com essa dica.

    Por fim, é importante lembrar que cada caso é um caso e deve ser avaliado por um especialista. Essas são estratégias simples, mas como sempre lembro, cada ser humano é único e para o tratamento adequado devemos sempre procurar a ajuda de um especialista.

    Sobre Aline Quissak

    Aline Quissak é nutricionista com especializações no Canada e Estados Unidos, pesquisadora científica em alimentos terapêuticos aplicados tanto na saúde quanto em doenças. É especialista em nutrição genética, pacientes críticos, oncologia, psicologia da nutrição e alimentação funcional. Para mais informações acesse suas redes sociais @nutri_secrets.  E, se você quer aprender mais sobre o poder da nutrição, a nutri tem o “Mundo Terapêutico” lá você encontra, e-book, vídeos, dicas e receita sobre os mais variados temas, acesse https://www.alinequissak.com/mundoterapeutico

     

  • 7 dicas para fazer um detox e diminuir sua ansiedade

    Você pode não saber, mas o processo “detox” é natural do nosso corpo. O que acontece é que, às vezes, ele fica sem matéria-prima e muito cansado para fazer essa “faxina” no metabolismo. Toxinas geradas pela poluição, má alimentação e medicamentos desnecessários em excesso. Tudo isso acaba diminuindo nossa qualidade de vida, gerando dores de cabeça, dores musculares, alergias alimentares, problemas intestinais, baixando nossa imunidade, desenvolvendo doenças autoimunes, desequilibrando nossos hormônios, interferindo, assim, no sono, TPM e emagrecimento, além de aumentar a nossa ansiedade. Mas, não se desespere! Tem como melhorar tudo isso através da alimentação terapêutica e algumas estratégias complementares:

    1) Consuma suco de acerola. A acerola é uma fruta das mais anti-inflamatórias e revigorantes, ela vai ajudar seu organismo a trabalhar melhor e diminuir a inflamação causada pelo estresse e ansiedade. 2) Beba chás relaxantes (Melissa, passiflora, camomila e calêndula). Nada como um chazinho antes de dormir, né? Ele relaxa, acalma e ainda te ajuda a dormir melhor, fazendo com que seu corpo melhore também a detox que é feita durante a noite.

    3) Deixe seu prato mais colorido. Aliás, quanto mais colorido, melhor! Assim, você vai ter mais nutrientes ajudando o seu corpo a trabalhar. Para ajudar nos sintomas da ansiedade, aposte em alimentos roxos, laranjas e verdes. 4) Cuide das suas emoções! Essa não é uma dica nutricional, mas é superimportante para o seu corpo. Terapia, ioga, meditação, atividade física, tudo isso vai complementar o cuidado que você está tendo com a sua alimentação.

    5) Cuide do seu intestino. Você já deve ter ouvido que “o intestino é o nosso segundo cérebro”. E é mesmo. Quando ele não funciona, nada funciona direito. Evite industrializados, corantes, conservantes e aumente o consumo de fibras. 6) Cuide do seu sono. Ele é fundamental nessa tarefa. Além dos chás relaxantes, crie o seu ritual antes de dormir: use olhos essenciais, desligue os aparelhos eletrônicos pelo menos 30min antes de dormir, e se puder, faça um lanchinho da noite (1 xícara de chá de melissa, com 1 banana e 2 castanhas do Pará). Essa combinação além de diminuir a ansiedade, ainda auxilia na produção da melatonina, hormônio do sono

    7) Movimente-se! Sim, você já deve estar cansando de ouvir, mas atividade física é muito importante para o controle da nossa ansiedade e seus sintomas no nosso corpo. A recomendação é de pelo menos 40 minutos por dia de caminhada moderada. Não gosta de caminhar? Nade, jogue bola, faça alguma luta, o que você quiser, o importante é se mexer. Aline lembra, ainda, que essas são apenas algumas estratégias para ajudar no controle da ansiedade, mas cada caso é um caso e precisa ser analisado por um médico. E lembre-se, ansiedade faz parte do ser humano. O problema é quando ela começa a afetar a nossa saúde como um todo e, por consequência, a nossa qualidade de vida. Essas são apenas algumas dicas, que não substituem a avaliação médica pois cada caso é um caso e deve ser tratado de forma individual.

    Sobre Aline Quissak

    Aline Quissak é nutricionista com especializações no Canada e Estados Unidos, pesquisadora científica em alimentos terapêuticos aplicados tanto na saúde quanto em doenças. É especialista em nutrição genética, pacientes críticos, oncologia, psicologia da nutrição e alimentação funcional. Para mais informações acesse suas redes sociais @nutri_secrets.  E, se você quer aprender mais sobre o poder da nutrição, a nutri tem o “Mundo Terapêutico” lá você encontra, e-book, vídeos, dicas e receita sobre os mais variados temas, acesse https://www.alinequissak.com/mundoterapeutico

  • SAÚDE & BEM-ESTAR

    Peru com cranberries e laranja com purê de abóbora e tomilho

    Esse peru com purê é uma ótima pedida para qualquer época do ano, você for vegano, pode substituir a carne por tofu defumado. Além de saboroso, essa combinação de ingredientes ajuda a diminuir a ansiedade e melhorar o sono, aumentando também a disposição.

    Ingredientes:

    •                 2 filés de peru (aproximadamente 300g)
    •                 Raspas e suco de 1 laranja grande
    •                 200 gramas de cranberries
    •                 1 colher de chá de páprica defumada
    •                 Sal a gosto

    Modo de preparo:

    Tempere os filés com sal e páprica e coloque em um refratário. Acrescente a metade das raspas e do suco de laranja, e metade do cranberries. Leve ao forno pré-aquecido a 180 graus por 15 minutos. Após esse tempo, acrescente o restante do suco, das raspas e dos cranberries, e asse por mais 15 minutos ou até dourar (assim vamos manter a suculência do peru). Desligue o forno e deixe-o dentro para manter o peru quente enquanto você prepara o purê.

    Ingredientes do purê:

    •          200g de abóbora descascada e picada

    •          ½ cebola branca pequena picada

    •          1 colher de café de noz moscada ralada

    •          1 fio de azeite

    •          6 ramos de tomilho

    •          Sal a gosto

    Modo de preparo:

    Em uma panela, aqueça o azeite e acrescente a cebola, coloque uma pitada de sal, a noz moscada e deixe em fogo baixo até a cebola murchar. Acrescente os pedaços de abóbora e as folhas de tomilho, misturando bem. Adicione 50 ml de água, deixando a panela tampada em fogo bem baixo até cozinhar. Se você achar necessário, pode acrescentar mais um fio de água. Desligue o fogo, bata os ingredientes em um processador ou mixer e, se necessário, coloque mais um fio de azeite para dar cremosidade.

    Sobre Aline Quissak

    Aline Quissak é nutricionista com especializações no Canada e Estados Unidos, pesquisadora científica em alimentos terapêuticos aplicados tanto na saúde quanto em doenças. É especialista em nutrição genética, pacientes críticos, oncologia, psicologia da nutrição e alimentação funcional. Para mais informações acesse suas redes sociais @nutri_secrets.  E, se você quer aprender mais sobre o poder da nutrição, a nutri tem o “Mundo Terapêutico” lá você encontra, e-book, vídeos, dicas e receita sobre os mais variados temas, acesse https://www.alinequissak.com/mundoterapeutico

     

  • SAÚDE & BEM-ESTAR

    5 chás para aumentar a produtividade

    Após quase dois anos de tanta coisa acontecendo é normal que a gente se sinta um pouco mais cansado, com a produtividade em baixa. Porém, com prazos para cumprir, metas a bater, a gente precisa mais do que nunca estar bem, para conseguir dar conta da correria e de todo nosso trabalho. Quando nosso corpo está com desequilíbrio de nutrientes, ele nos conta através de alguns sinais. Vontade exagerada de comer doce, gastrite e/ou refluxo, ganho de gordura abdominal, são apenas alguns dos sinais que podem estar atrapalhando sua produtividade.

    Mas calma, existem estratégias que podem te ajudar a se manter mais produtivo e sentir menos cansaço.  Como? ajudando nosso corpo a receber esse descanso necessário e deixando nosso fígado com energia total para faxinar o "peso" do estresse no metabolismo. A rama da cenoura é rica ferro, vitamina C e ajuda o oxigênio circular melhor nas pernas, braços melhorando o cansaço. Você pode fazer um suco verde, picada na omelete, na salada ou refogada.      

    O chá verde rico, por exemplo, é rico em EGCG um dos mais poderosos antioxidantes para o fígado e para a saúde do coração, além de conter cafeína com L theanina que tão uma animada sem nos deixar ansiosos. E os ovos, ricos em vitaminas do complexo B, E e vitamina A, além de conter enxofre, ajuda no foco, concentração, imunidade, memória e diminui o estresse que causa o cansaço. Consuma esses alimentos por 7 dias para começar a sentir os resultados.   

    E quanto a nossa produtividade? Para isso, algumas sinergias especiais, são 5 chás, fáceis e práticos que podem ser consumidos durante o dia e vão te ajudar nessa tarefa, vale lembrar que para extrair bem os antioxidantes do chá precisamos deixar de 8 a 10 minutos em infusão tampado, e depois, se quiser adicionar gelo tudo bem. 

    1) Chá verde com morango: Essa sinergia ajuda a melhorar o bom humor, disposição. Indicado para quem tem depressão ou está mais pra baixo;

    2) Chá de camomila com hortelã: É uma ótima opção para quem é ansioso e não consegue focar no trabalho porque fica com os pensamentos acelerados;

    3) Chá de maçã com damasco: É a opção perfeita para quem precisa de mais criatividade;

    4) Chá verde com canela e laranja:  Melhor opção para aqueles que sentem que dependem do café para ficar produtivos e alerta, já que sente muito cansaço;

    5) Chá de gengibre, com hortelã e erva-doce: Essa opção vai para quem precisa de energia, mas a digestão pós-almoço acaba o deixando lento e sonolento, atrapalhando a produtividade no período da tarde.

    O ideal é tomar até 2 chás desses entre as refeições. O importante para que a gente aguente o tranco além de inserir esses alimentos no nosso dia a dia, é nos mantermos bem hidratados, bebendo bastante água, até nosso xixi sair transparente, e dormir bem para que no dia seguinte o corpo esteja pronto para outra.

    Sobre Aline Quissak

    Aline Quissak é nutricionista com especializações no Canada e Estados Unidos, pesquisadora científica em alimentos terapêuticos aplicados tanto na saúde quanto em doenças. É especialista em nutrição genética, pacientes críticos, oncologia, psicologia da nutrição e alimentação funcional. Para mais informações acesse suas redes sociais @nutri_secrets.  E, se você quer aprender mais sobre o poder da nutrição, a nutri tem o “Mundo Terapêutico” lá você encontra, e-book, vídeos, dicas e receita sobre os mais variados temas, acesse https://www.alinequissak.com/mundoterapeutico

  • SAÚDE & BEM-ESTAR

    5 dicas nutricionais para aproveitar o cafezinho

    Se tem uma coisa que nós, brasileiros, amamos é café. Até quem não gosta consegue reconhecer aquele cheirinho da bebida sendo preparada. Para se ter uma ideia, dados da Associação Brasileira da Indústria do Café (Abic) mostram que o consumo no Brasil cresceu 1,34% no ano passado, o que corresponde a 21,2 milhões de sacas de café - café torrado e moído e cafés solúveis. O café é a segunda bebida mais consumida no país, só perdendo para a água.

    Nós amamos café, isso é um fato. É uma das bebidas mais tradicionais na casa dos brasileiros. Além disso, o café tem vários nutrientes interessantes para o nosso corpo, basta saber como consumi-lo. Abaixo, você confere as 5 dicas nutricionais para aproveitar melhor o seu cafezinho:

    1) Quando estiver na padaria, cafeteria ou restaurante, prefira sempre o café espresso. Ele é a forma mais pura da bebida e, consequentemente, tem mais nutrientes, graças a sua forma de extração, diferente do café coado;

    2) Na hora de comprar seu café, prefira as embalagens a vácuo. Elas conservam melhor o produto e evitam a oxidação dos nutrientes. E, se puder, prefira os cafés 100% arábica (essa informação está na embalagem);

    3) Espere pelo menos 15 minutos após a refeição para consumir a bebida. Assim você não atrapalha sua digestão dos minerais e vitaminas que acabou de ingerir;

    4) Prefira sempre consumir o café com uma fonte de proteína e gordura do bem, assim você avita a agitação que pode ser causada pela bebida e favorece apenas o efeito de mais energia. A proteína segura a absorção do café, tornando-a mais lenta, já as gorduras do bem (as castanhas, por exemplo) levam a cafeína mais ativamente para o nosso cérebro. Vale tomar o café tanto com o leite de vaca quanto com o leite de coco. Pela manhã, você pode tomar puro, acompanhado de um iogurte e frutas;

    5) Café dá, sim, mais disposição, mas se você é ansioso, precisamos de uma atenção especial. A indicação é consumir no máximo 3 xícaras de 80ml ao longo do dia, para não afetar e piorar os efeitos da ansiedade.

    Seja espresso, coado, prensado, quente ou gelado, o café é sempre uma ótima pedida. Uma das maiores fontes de antioxidantes da nossa cultura. Só não vale ficar sem ter uma alimentação saudável. E quando você sabe como consumi-lo, é melhor ainda. Aproveite!

    Sobre Aline Quissak

    Aline Quissak é nutricionista com especializações no Canada e Estados Unidos, pesquisadora científica em alimentos terapêuticos aplicados tanto na saúde quanto em doenças. É especialista em nutrição genética, pacientes críticos, oncologia, psicologia da nutrição e alimentação funcional. Para mais informações acesse suas redes sociais @nutri_secrets.  E, se você quer aprender mais sobre o poder da nutrição, a nutri tem o “Mundo Terapêutico” lá você encontra, e-book, vídeos, dicas e receita sobre os mais variados temas, acesse https://www.alinequissak.com/mundoterapeutico

  • SAÚDE & BEM-ESTAR

    O ciclo das sementes para regulação hormonal e alívio da TPM

    Você já ouviu falar no ciclo das sementes? Essa é uma sinergia alimentar que ajuda a regular os hormônios e diminuir os efeitos da Tensão Pré-Menstrual no nosso corpo. Dados do Ministério da Saúde mostram que 80% das mulheres sofrem com a TPM, e que esses sintomas estão diretamente ligados com a produção dos hormônios femininos: o estrogênio e a progesterona. Os sintomas vão variar de mulher para mulher, mas esse protocolo natural ajudará na regulação hormonal e, consequentemente, nos desagradáveis sintomas.

    O ciclo das sementes consiste no rodízio de quatro delas: a linhaça, a semente de abóbora sem casca, a semente de girassol sem casca e o gergelim. Você pode torrá-las em uma panela antiaderente ou no forno e guardar em potes bem fechados. Não se mistura as 4 sementes, já que cada uma tem um papel em um período do ciclo. A primeira fase do seu ciclo hormonal é a fase folicular, que começa no primeiro dia da menstruação e vai até a o 14 dia (se você tem um ciclo de 28 dias).

    Nesta fase, consuma diariamente 1 colher de sopa de semente de linhaça (na menopausa trocar por chia) e 1 colher de sopa de semente de abóbora (sem casca). Junto com as sementes, tome chá de folhas de framboesa com hortelã (3 vezes ao dia), e Vitex (chastberry) 500mg todos os dias. Neste período o hormônio predominante é o estrógeno. Porém, tanto seu excesso quanto sua falta causam sintomas indesejados na mulher. O uso do ciclo das sementes vai ajudar nos dois casos, de falta e excesso, pois atua no seu equilíbrio.

    A segunda fase é a fase lútea, e começa após a ovulação (quando ela acontece), o que seria aproximadamente no 15 dia do ciclo (se você tem um ciclo de 28 dias). Nesta fase, você deve consumir diariamente 1 colher de sopa de semente de girassol (sem casca) e 1 colher de sopa de gergelim. O objetivo desta fase é estimular e manter a produção natural de progesterona. A progesterona é quem mantém a camada do útero para uma possível fecundação. Quando isso não acontece, ela cai e promove a menstruação. O que poucos sabem é que a progesterona é essencial para regular o humor, memória, ansiedade, inchaço, gasto calórico, tireoide e o excesso de estrógeno. A progesterona também tem uma função de relaxante muscular, por isso seus níveis adequados reduzem cólicas menstruais e melhoram o funcionamento do intestino.

    Outra dica é inserir na sua dieta alimentos ricos em ferro, lisina e vitamina C, como o espinafre cozido, lentilha e limão, e alimentos com propriedades imunológicas, como a spirulina, o gengibre, frutas cítricas, e o alho. Ingerir, também, alimentos que amenizam a questão hormonal, como a camomila, e alimentos de fácil digestão, como o gengibre. Também vale priorizar os alimentos quentinhos, cozidos ou refogados.

    Por que o ciclo das sementes funciona?

    Essas sementes guardam nutrientes indicados para cada um dos períodos em que são utilizadas. Por isso, é simples e eficiente. As sementes de linhaça têm alto nível de um nutriente chamado lignina, um fito hormônio, que se liga nos receptores de estrógeno, regulando seu excesso ou falta. Sua ação secundária é sobre as bactérias do intestino, que convertem a lignina em enterolactona, uma substância que bloqueia os receptores de estrógenos, impedindo o excesso de seu estímulo.

    As sementes de abóbora têm um alto teor de zinco, mineral importante para formação de hormônios e prevenção da conversão de estradiol em estrona, esse último sendo uma forma de estrógeno mais indesejada. semente de girassol é rica em selênio e ácido linoleico, ela auxilia na manutenção dos níveis adequados de progesterona após a ovulação, mantendo a fase lútea por tempo adequado. O gergelim é rico em cálcio e tem efeito anti-inflamatório, o que ameniza as dores da menstruação. Ele também possui pequena quantidade de lignina, o que auxilia na modulação de estrógeno, já preparando para início do novo ciclo.

    Por quanto tempo devo fazer o ciclo das sementes?

    O indicado é fazer por pelo menos 3 meses, para observar resultados consistentes, apesar de muitas mulheres relatarem melhora dos sintomas antes disso. Não há contraindicações no uso contínuo. Em alguns casos, alguns ajustes precisam ser feitos, como aumentar a quantidade de uma semente e reduzir de outra. Só recomendo pausa durante a gestação. As contraindicações são somente para aquelas que têm alergia a alguma das sementes ou não se sentem bem ao consumi-las. Nesses casos, alguns ajustes podem ser necessários.

    Sobre Aline Quissak

    Aline Quissak é nutricionista com especializações no Canada e Estados Unidos, pesquisadora científica em alimentos terapêuticos aplicados tanto na saúde quanto em doenças. É especialista em nutrição genética, pacientes críticos, oncologia, psicologia da nutrição e alimentação funcional. Para mais informações acesse suas redes sociais @nutri_secrets.  E, se você quer aprender mais sobre saúde da mulher, a nutricionista tem o “Mundo Terapêutico” lá você encontra, e-book, vídeos, dicas e receita sobre os mais variados temas, acesse https://www.alinequissak.com/mundoterapeutico

  • SAÚDE & BEM-ESTAR

    Super trufa de chocolate sem açúcar

    Ingredientes:

    •                 8 tâmaras Jumbo (retirar o caroço)
    •                 3 col. de sopa de farinha de amêndoas ou de coco ralado
    •                 2 col. de sobremesa de cacau em pó 100℅ de boa qualidade
    •                 1 col. de sopa de extrato de baunilha

    Modo de preparo:

    Bata todos os ingredientes no processador até virar uma massa fácil de moldar. Ela vai "descolar" e virar uma massa lisa e redonda - esse é o ponto. Enrole tipo brigadeiro e passe no cacau, no coco ralado ou em lascas de amêndoas.    

    Tempo de preparo: em média 20min.

    Porções: rende 10 trufas pequenas.

    Dica da nutri: um bom horário de consumo para obter os benefícios terapêuticos é sempre após do almoço. Vale lembrar que as trufas duram até dez dias se conservadas na geladeira.

    Benefícios terapêuticos: As tâmaras são uma fonte doce sem que a gente precise usar açúcar, apesar de ter um nível maior de carboidratos – o que interfere em pessoas com diabetes ou em processo de emagrecimento –, a sinergia dessa receita diminui e muito o índice glicêmico, ou seja, o pico que o carboidrato daria normalmente quando ingerida sozinha não acontece. Elas também têm propriedades revigorantes, energéticas, diminuem o cansaço e ajudam a relaxar a musculatura, já que ela é rica em potássio. Quando feita a união com a farinha de amêndoas (alimento rico em vitamina E), diminui-se também as inflamações causadas pelo estresse. Já o cacau, um dos alimentos mais antioxidantes que existe, atua diminuindo o cansaço, melhora a depressão, além de melhorar a saúde cardiovascular e a diabetes. Por fim, mas não menos importante, o extrato de baunilha entra para dar mais sabor e ainda ajuda no estresse.

    Sobre Aline Quissak

    Aline Quissak é nutricionista com especializações no Canada e Estados Unidos, pesquisadora científica em alimentos terapêuticos aplicados tanto na saúde quanto em doenças. É especialista em nutrição genética, pacientes críticos, oncologia, psicologia da nutrição e alimentação funcional. Para mais informações acesse suas redes sociais @nutri_secrets.  

     

  • SAÚDE & BEM-ESTAR

    5 alimentos para incluir na dieta se você tem intestino solto e ansiedade

    Durante muitos anos acreditou-se que a únicas funções do intestino eram: ajudar na digestão, absorção de nutrientes e água, e na eliminação de toxinas e produtos que não devem ser absorvidos pelo corpo. No entanto, após anos de estudo, médicos e cientistas foram descobrindo outras funcionalidades essenciais para o nosso organismo, já que ele age também como um importante órgão endócrino, produzindo hormônios importantes para o nosso bem-estar, e na produção de neurotransmissores que acabam influenciando todo o corpo, bem como nossa saúde mental.

    Um intestino saudável tem que funcionar com regularidade. Assim, ele ajuda a combater problemas, como o estresse, a ansiedade e os problemas de humor. Atualmente, devido a ansiedade, várias pessoas acabaram desenvolvendo a Síndrome do Intestino Irritável ou, ainda, problemas de intestino solto, o que antigamente não era tão comum, mas, hoje, sabemos que as duas coisas estão interligadas. É por isso que o intestino é considerado o nosso segundo cérebro. Porém, existem estratégias nutricionais que podem ser adotadas para ajudar nessa tarefa e que, com certeza, vão valer a pena.

    Se você sofre com problemas de intestino solto – muitas vezes causa da ansiedade -, confira a lista que eu fiz especialmente para te ajudar:

    BATATA - A batata por ser pobre em gordura e rica em amido, principalmente o purê simples, tem a função de segurar o intestino solto. Seja em caso de diarreia ou intestino solto por ansiedade. Especialmente por ser rica em potássio, um nutriente que é perdido no organismo devido à diarreia.        

    CENOURA - A cenoura também possui um carboidrato que ajuda a segurar o intestino quando cozida. Se ela for crua, ajuda no intestino preso, que não é o caso agora. Então, cozinhe bem. Além de conter vitamina A, com sua função anti-inflamatória, essencial para o intestino solto que está inflamado.

    AVEIA - A aveia pode ser usada em ambos os casos, preso ou solto, o que muda é o tempo de cozimento. Quando cozinhamos o mingau por mais tempo, chegando em um mingau grosso, ajuda a segurar o intestino. Especialmente pela aveia ter fibra solúvel e ser rica em vitaminas do complexo B e magnésio ajudando na causa do intestino solto crônico que é a ansiedade.

    BANANA - A banana tem bastante amido, vitaminas do complexo B e magnésio também ajuda nessa função quando cozida. Por isso asse, grelhe ou adicione no mingau.

    CANJA - E por último, a canja. Ela te dá um conforto emocional, principalmente quando estamos com dor de barriga, nos sentindo mal, mas especialmente porque o arroz, cenoura, a batata, frango, todos eles muito bem cozidos são de fácil digestão e excelentes para quem tem intestino solto.

    Adicione também ao seu dia a dia, ervas como: noz moscada, louro, orégano, nos gases e digestão. Mas atenção, Aline alerta que em casos de diarreia liquida mais de 4x ao dia, por mais de 3 dias, pode estar relacionada a algum tipo de infecção, por isso o ideal é que você procure a ajuda de um médico especialista.            


    Sobre Aline Quissak

    Aline Quissak é nutricionista com especializações no Canada e Estados Unidos, pesquisadora científica em alimentos terapêuticos aplicados tanto na saúde quanto em doenças. É especialista em nutrição genética, pacientes críticos, oncologia, psicologia da nutrição e alimentação funcional. Para mais informações acesse suas redes sociais @nutri_secrets.  E, se você quer aprender mais sobre saúde intestinal, a nutri tem um combo de alimentação terapêutica para problemas de intestino relacionados às emoções, o “Combo Intestino de bem com a vida” https://www.alinequissak.com/combodebemcomavida 

  • SAÚDE & BEM-ESTAR

    BOLO STRUDEL DE MAÇÃ COM CANELA ANTI-ANSIEDADE

    Ingredientes:

    •                 3 ovos
    •                 1 maçã com casca
    •                 1 colher de sopa de mel
    •                 ½ xícara de manteiga de amendoim 100% integral
    •                 ½ xícara de coco ralado sem açúcar
    •                 ½ xícara de farinha de aveia
    •                 1 colher de chá de canela em pó
    •                 ½ banana bem madura
    •                 1 colher de sopa de essência de baunilha natural
    •                 1 colher de sopa cheia de fermento

     

    Modo de Preparo:

    Pré-aqueça o forno 180°. Bata o coco ralado no liquidificador para ficar fino como uma farinha. Pique a maçã grosseiramente para facilitar o trabalho do liquidificador. Adicione todos os outros ingredientes com exceção do fermento. Bata tudo até ficar uma massa homogênea (em média 1 minuto); depois, coloque o fermento e dê uma última batida ou misture com o auxílio de uma colher. Coloque a massa em uma forma de pão (retangular) antiaderente ou forre com papel manteiga para não precisar untar. Despeje a massa e salpique ½ xícara de nozes picadas por cima.

    Coloque para assar por 20 a 25 min (o tempo pode variar de forno para forno); por isso, a melhor opção é espetar um palitinho e ele sair limpo. Deixe esfriar por

    cerca de 10 minutos antes de desenformar/cortar. A consistência é a de um bolo cremoso. Aproveite!

    Obs.: Pode manter congelado por até 2 meses. Quando for descongelar, coloque o bolo na geladeira na noite anterior ao consumo. Rende 10 porções.

    Dica da Nutri: Você sabia que a banana tem triptofano e magnésio, que auxiliam na comunicação dos neurônios e por isso ajudam a diminuir a ansiedade e a depressão? Além disso, esse benefício é potencializado por duas farinhas: a de coco ralado e a de aveia!

    A canela foi adicionada para auxiliar na diminuição da vontade de comer doce - por um controle hormonal da insulina - ficando ainda mais eficiente na presença da pasta/manteiga de amendoim. Essa é uma ótima opção para comer no final da tarde, onde os picos de ansiedade e impulsos por doce tomam conta. Use esses ingredientes no seu dia a dia.

     

    Sobre Aline Quissak

    Aline Quissak é nutricionista com especializações no Canada e Estados Unidos, pesquisadora científica em alimentos terapêuticos aplicados tanto na saúde quanto em doenças. É especialista em nutrição genética, pacientes críticos, oncologia, psicologia da nutrição e alimentação funcional. Para mais informações acesse suas redes sociais @nutri_secrets e no site http://www.alinequissak.com/combodebemcomavida

  • SAÚDE & BEM-ESTAR

    6 alimentos para acrescentar na dieta de quem está em tratamento contra o Câncer de Mama

    O câncer de mama é o segundo colocado quando falamos de câncer em mulheres. Ele corresponde a 28% do total de casos, os dados são do Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Quanto antes diagnosticado, maiores são as chances de cura. O tratamento da doença requer uma série de cuidados e tratamentos que acabam deixando o organismo mais debilitado, e uma aliada importante nesses casos é a alimentação.

    Porém, após muitas pesquisas em laboratório, percebemos que alguns alimentos, quando inseridos na dieta, trazem vários benefícios cientificamente comprovados aos pacientes.  Uma dieta equilibrada é fundamental, principalmente nesse período tão delicado. Tais alimentos auxiliam pessoas em tratamento contra o câncer. Porém, vale lembrar que eles não são remédios, nem substituem o tratamento específico e o acompanhamento médico. São opções terapêuticas para ajudar na recuperação do organismo.

     Abaixo, você confere a lista preparada pela especialista com esses alimentos:

    1) Kefir (pode ser de água ou de leite)

    Durante o tratamento de quimioterapia as bactérias do bem do nosso intestino são afetadas. Elas são responsáveis pela imunidade, além da absorção de nutrientes. Se o paciente está com imunidade baixa, ele não pode dar continuidade ao tratamento quimioterápico, por isso a importância de repor a flora intestinal. O kefir, seja de água ou de leite, é uma ótima fonte desses probióticos.  Consumir de preferência antes de dormir ou logo que acordar. Depois, esperar 15 minutos para comer algo.

    2) Brócolis cozido no vapor

    Esse vegetal possuí um composto chamado sulforafano. Essa substância só é liberada quando se une com outra substância chamada mirosinase, presente na mastigação ou pelo cozimento leve. Por isso, não é recomendado comer brócolis cru ou fazer sopas (cozinhar demais). Indicação: consumir pelo menos 3x na semana 100g de brócolis. O consumo desse alimento, da maneira indicada, ajuda na ativação do apoptose (mecanismo que mata células infectadas e que é desativado pelas células cancerígenas), principalmente nos casos de câncer de mama.

    3) Azeite de oliva (extravirgem)

    O azeite de oliva (extravirgem) é o único óleo com pontuação anti-inflamatória - cada colher de sopa tem 74 pontos. Quem está em tratamento contra o câncer o cardápio deve ter por volta de 3 a 4 mil pontos, por isso ele deve ser sempre associado com alimentos saudáveis, além de ser uma boa opção de calorias do bem para os pacientes que estão perdendo peso. Todos os outros óleos possuem pontuação negativa, atrapalhando a meta diária do cardápio nutricional terapêutico.

    4) Alho

    A alicina, composto benéfico para o tratamento do câncer, vem se mostrando eficaz na inibição do crescimento das células tumorais, especialmente de mama. Indicação: 1 dente de alho por dia (também auxilia no cardápio terapêutico dos 3 a 4 mil pontos, pois cada dente de alho tem 215 pontos positivos). Dê preferência para o consumo do alho amassado, pois assim libera mais alicina.

    5) Cebola Roxa

    A cebola roxa auxilia os rins a filtrarem das toxinas e o sangue, dando ao paciente melhor disposição e oxigenação. Além de ser rica em quercetina, um antioxidante que não atrapalha a quimioterapia e auxilia as células de câncer a não se desenvolverem novamente. Recomendação 1/4 de xícara de cebola roxa por dia.

    6) Cúrcuma (Açafrão da Terra) com gengibre

    A curcumina, composto bioativo da cúrcuma, só é absorvida pelo corpo humano quando combinada com pimenta do reino ou gengibre. No caso dos pacientes em tratamento quimioterápico, o estomago fica sensível, gerando enjoo, então a pimenta não é indicada, mas o gengibre sim. Ele também ajuda a potencializar o antioxidanteanti-inflamatório do açafrão da terra (1/2 colher de chá tem 147 pontos positivos), e ainda melhora o enjoo. Pode ser feito um shot gelado (no enjoo, tudo que é gelado melhora a percepção, ao contrário dos alimentos e bebidas quentes).

     

    Sobre Aline Quissak

    Aline Quissak é nutricionista com especializações no Canada e Estados Unidos, pesquisadora científica em alimentos terapêuticos aplicados tanto na saúde quanto em doenças. É especialista em nutrição genética, pacientes críticos, oncologia, psicologia da nutrição e alimentação funcional. Para mais informações acesse suas redes sociais @nutri_secrets